DUNGA, O ANÃO QUE NÃO ERA MUDO

Há muitos e muitos anos atrás, dois irmãos muito amigos, começaram a escrever histórias.

E entre todas que escreveram a que mais gosto é a de Branca de Neve e os Sete Anões, não, por acaso, eu ser um deles…

Até aí tudo bem.

Como sou o mais novo dos sete, minha barba ainda não tinha aparecido como a dos outros e, por isso, fiquei diferente.

Dunga

Aí surge o Walt em nossas vidas!

Uma pessoa fabulosa que transformou nossa história em um filme de desenho animado que fez um sucesso estrondoso em todo o mundo.

Só que na hora de gravarem as vozes dos personagens, cada um ficava bem com a escolhida, menos eu… parece que ninguém tinha uma voz que combinasse comigo…

Então, Walt Disney me deixou mudo!

Fiquei conhecido como Dunga, o anão mudo!

Mas vou contar agora, porque falo, e muito, algumas coisas sobre a história que somente eu sei.

Branca de Neve era realmente linda!

E muito boazinha!

Depois de tudo o que ela passou nas mãos daquela madrasta malvada, ela chegou a nossa casa levada pelos animaizinhos da floresta.

Quando voltamos do trabalho na mina, a encontramos dormindo em nossas camas.

É claro que nos assustamos!

Mas a medida que os dias passavam nos afeiçoamos a ela como uma irmã mais velha.

Foi comigo que ela dançou uma valsa pela primeira vez.

E era eu quem dava palpites na sua comida porque, aqui entre nós, esse não era seu forte.

Foi por querer experimentar uma receita de torta de maçãs é que ela abriu a porta para uma velhinha (que não era outra se não sua madrasta transformada) deixando-a entrar.

E mordeu a maçã envenenada.

Claro que choramos muito.

Mas vou contar mais uma coisa: fui eu quem foi atrás do príncipe que estava caçando por ali, contando sobre o ocorrido e trazendo-o até a clareira onde estava Branca de Neve adormecida.

Ele chegou, ajoelhou-se ao lado dela, beijou-a e o encanto se quebrou.

Foram embora montados em um cavalo branco.

E sabem quem escreveu a última frase da história?

Eu, é claro e o que escrevi foi:

“E viveram felizes para sempre!”

walt4

(Baseada na história de Branca de Neve e os Sete Anões dos irmãos Grimn)

Imagens: 1) pt-br.disney.wikia.com; 2) fe.epaentretenimento.com

 

 

BOLO DE IOGURTE GREGO

Essa receita encontrei no site da Nestlé e fiz para saber se realmente ficava um bolo macio, fofo, gostoso e fácil.

Ele é tudo isso!!!

Não usa batedeira e nem liquidificador!

Por isso não tem mais desculpa; naquela hora que der vontade de um bolo com café…é simples: entre no meu blog e copie a receita.

bolo iogurte

INGREDIENTES

1 xícara de óleo

2 potes de iogurte grego tradicional

4 ovos (inteiros)

2 xícaras de farinha de trigo

1 xícara de açúcar

1 colher (sopa) de fermento

Coloque os ovos em uma tigela e misture.

Coloque o óleo e o iogurte mexendo bem.

Em seguida o açúcar, farinha e fermento mexendo bem a cada adição.

Leve para assar em forma untada, em forno médio (180º) e previamente aquecido por uns 30 minutos.

bolo iogurte grego

Pode servir acompanhado de geleia, doce de leite ou nata.

De qualquer modo, é delicioso!!! 

FRANGO COM ABÓBORA

Esse fim de semana com feriado, fui até Campo Mourão visitar meu filho e minha nora (Paulo Emílio e Patrícia).

Aproveitei para testar uma receita nova e que foi aprovadíssima!

Paulo ficou tão animado com a história da receita vir para o blog que fez questão de fotografar o passo a passo.

E ficaram ótimas: as fotos, o prato e a companhia deles, é claro!

DSC03770

 

INGREDIENTES

2 peitos de frango cortados em cubos

300 gr de abóbora cortadas em cubos

1 embalagem de “Meu frango assado Knorr- cebola e alho”

1/2 xícara de leite de coco

1/2 xícara de requeijão cremoso

champignon a gosto.

Arrume o frango e a abóbora na embalagem que vem dentro do pacote “Meu frango assado” e junte o tempero anexo (conforme a indicação da embalagem). Junte o leite de coco e requeijão e feche bem o saco plástico.

DSC03771Leve ao forno pré aquecido (180°) por uma hora.

DSC03778Retire com cuidado em uma travessa e junte o champignon.

Sirva com arroz branco.

DSC03782(Adaptada da Recepedia.com)

 

 

 

BOLO INDIANO

“A culinária indiana apresenta uma forte dependência de ervas e especiarias, com pratos muitas vezes apelando para o uso sutil de uma dúzia ou mais de condimentos diferentes”- Wikipédia.

Uma das gostosuras dessa culinária é o bolo indiano.

Compramos algumas vezes na Requinte e minha neta Isadora comia e repetia com gosto.

Então por que não buscar e aprender essa receita para prepará-la em casa?

Foi o que fiz e, por coincidência, no mesmo dia minha filha lá em Angola onde mora, também fez!

Comparamos as receitas (e com outras também) e basicamente são todas iguais.

Isadora falando comigo no skype me contou feliz:

– Vovó estou comendo o bolo indiano!

E eu respondi:

– Também estou!

Maravilhosa coincidência!

14-09-2013bolo indiano 001INGREDIENTES

8 ovos

11/2 xícara de açúcar

4 colheres (sopa, rasas) de manteiga

2 xícaras de farinha de rosca

1 colher (sopa) de canela em pó

1 colher (sopa) de fermento

Bata as claras em neve e reserve.

Na batedeira, bata bem o açúcar com a manteiga e depois com 6 gemas (reserve duas para o recheio)

Junte a farinha de rosca e canela batendo bem.

Por último, acrescente as claras em neve, delicadamente e a seguir o fermento.

Leve para assar em forma untada por mais ou menos 40 minutos em forno 180º.

RECHEIO E COBERTURA

1 lata de leite condensado

1/2 lata de leite

1 colher (sopa) de manteiga

2 gemas

Leve ao fogo até ficar um brigadeiro mole.

Corte o bolo ao meio, recheie e cubra.

Salpique canela em pó.

(Eu não coloquei canela na cobertura para ficar um pouco mais leve).

14-09-2013bolo indiano 004