POESIA EM VÍDEO

Há muito tempo, coloquei no youtube alguns vídeos de histórias infantis.

Na verdade, 4 pequenas histórias e um vídeo das comidinhas da vovó.

Nunca mais coloquei nada ali.

Acontece que comecei a gravar vídeos de poesias que me pediam para colocar em reuniões online, como manda a pandemia.

Assim gravei alguns e resolvi postá-los em outro canal do youtube com o nome de Sílvia Fernandes- POESIAS (assim como está escrito com o acento agudo e tudo).

Esse foi o primeiro que gravei para a AML (Academia Mourãoense de Letras), um poema de minha autoria: BAILARINA.

“FESTA JUNINA”, é o tema dessas quadrinhas que fiz para um sarau online da AME (Associação Mourãoense de Escritores).

Essa poesia também é minha e foi a pedido da AML e se chama : CONVERSA COM A NATUREZA.

Pablo Neruda é o autor desse pequeno poema sobre as “estações do ano” e gravei para a AME que pediu para um sarau sobre a PRIMAVERA.

Bem, por enquanto são só esses, mas gostei da ideia e a partir de agora vou gravar mais algumas poesias para esse canal.

Se quiserem, o link é:

https://www.youtube.com/channel/UC8lnrkD_MpUaU3mujn4vRWw

Espero que tenham gostado!

“O SENHOR, TEU DEUS, ESTÁ NO MEIO DE TI, PODEROSO PARA TE SALVAR; ELE SE DELEITARÁ EM TI COM ALEGRIA; CALAR-SE-Á POR SEU AMOR, REGOZIJAR-SE-Á EM TI COM JÚBILO.” Sofonias, 3- 17

SERÁ VERDADE?

Um pequeno conto que poderá se tornar verdadeiro daqui alguns anos…

SERÁ VERDADE?

E aquela velha senhora sentou-se em sua cadeira de balanço e começou a lembrar. Devagar, porque agora em sua vida, não existia pressa para nada.

Seus bisnetos irrequietos não aguentavam a espera para ouvi-la contar histórias do seu passado distante.

– Bisa, conta logo! Pediu o menino de cabelos cacheados.

– Vai ser de medo? Não gosto de histórias que me fazem ter medo. Reclamou a bisneta mais velha.

– Vou contar uma história verdadeira que aconteceu há muito tempo atrás quando eu tinha a idade de vocês.

E ela começou e o silêncio reinou.

Era somente sua voz embalada no vai e vem da sua cadeira.

Num belo dia como outro qualquer, surgiu um mal em nosso mundo. Ele era invisível e muitas vezes mortal.

Tudo parou!

As pessoas não podiam sair de casa, se encontrar com amigos e muito menos abraçar porque esse vírus estava rodeando as pessoas para apanhá-las de jeito.

As escolas fecharam bem como as igrejas, parques, lojas, restaurantes, tudo foi fechado.

– Nossa, bisa, e como vocês faziam? Ficavam presos em casa? Perguntou o mais curioso.

Muitas vezes sim. Respondeu a bisavó. Sair significava não ver esse inimigo que podia entrar pelo nariz e boca nos deixando doentes. As pessoas não podiam ir ao trabalho e começou faltar dinheiro para comprarmos alimentos. Éramos obrigados a usar máscaras.

– O que? Tipo Homem Aranha? Perguntou o menorzinho.

– Mais ou menos, continuou a velhinha, e lavávamos as mãos centenas de vezes ao dia e ainda usávamos álcool nelas e nos móveis, fechaduras, pacotes. Tudo era muito difícil.

– Bisa, muita gente morreu por causa disso? Perguntou tristemente a menina.

– Sim, respondeu a bisa, milhares e milhares! Cada manhã chegavam mais notícias de pessoas contaminadas e os hospitais não davam conta de cuidar de tanta gente. O desespero só crescia!

Até que um dia, a vacina foi inventada!

– Ainda bem, que legal! Todos falaram juntos.

– Verdade, queridos! Sorriu continuando a contar. Mas ela foi vindo de pouquinho em pouquinho e todos nós enfrentávamos fila no desejo de sermos vacinados e ficarmos tranquilos.

Foi uma alegria quando todo o mundo pode tomar a vacina e por o vírus prá correr!

– Que sorte a nossa, né bisa, por não termos mais esse vilão por perto! Ponderou o mais velho.

Sim, falou a bisavó, nossa fé e esperança de que tudo iria passar, foi nossa salvação. É por isso que agora vocês podem usufruir dessa paz e tranquilidade em que o mundo se encontra.

Gostaram da história?

– Sim, muito! Obrigado, bisa! Respondeu o mais esperto que ao sair com os outros para as brincadeiras no quintal, pergunta: vocês acreditaram na história que a bisa contou? Acham que aconteceu tudo aquilo mesmo? Não sei não…

E a bisavó que ouvia tudo pensou com seus botões, será mesmo?

Imagens: 1) dreamstime; 2) Vecteezy; 3) BC boa consulta

“POIS ASSIM COMO POR UMA SÓ OFENSA VEIO O JUÍZO SOBRE TODOS OS HOMENS PARA CONDENAÇÃO, ASSIM TAMBÉM POR UM SÓ ATO DE JUSTIÇA VEIO A GRAÇA SOBRE TODOS OS HOMENS PARA JUSTIFICAÇÃO DE VIDA.” Romanos, 5- 18

O VÍDEO DA LIVE

Tudo passa…e a live já ficou na memória!

Foi uma noite linda com a presença do mestre de cerimônias FÁBIO SEXUGI e da presidente atual da Academia Mourãoense de Letras, DALVA HELENA DE MEDEIROS.

(Fábio e eu)

E meus filhos, nora e netos leram poemas e haicais!

Super emocionante!

O vídeo já está no Youtube, mas vou colocar aqui para quem não pôde assistir, ver!

O link para comprar o ACALANTO é: http://www.livrariaamolivros.com.br

“BOM É O SENHOR PARA OS QUE SE ATÊM A ELE, PARA A ALMA QUE O BUSCA. BOM É TER ESPERANÇA E AGUARDAR EM SILÊNCIO A SALVAÇÃO DO SENHOR.” Lamentações, 3- 25 e 26

LANÇAMENTO DO LIVRO: AMANHÃ!!!

LIVE DO DIA 10 DE AGOSTO

Amanhã é o grande dia: o lançamento do meu livro ACALANTO pela internet!

Meu primeiro livro de poesias foi em 2005, no espaço da LIVRARIA CURITIBA do Shopping Barigui em Curitiba.

Foi um dia festivo onde servi vinho branco e trufas aos presentes.

Muitas pessoas, mas cito uma em especial, a do escritor Túlio Vargas na época presidente da Academia de Letras do Paraná.

(Com Túlio Vargas e com Domingos Pelegrini)

O segundo livro, CRÔNICAS AO MEIO DIA, foi feito através da AGBOOK e está a disposição no site deles.

No terceiro teve uma festa linda: lançamento do livro infanto juvenil O NASQUIMI DOURADO E OUTRAS HISTÓRIAS nas dependências da Biblioteca Municipal de Campo Mourão.

Presenças importantes de amigos, confrades e confreiras (na época ainda não tinha sido eleita para a Academia), prefeito, tricocheiras e alunos de escolas locais. Servi um coquetel enquanto autografava o livro.

Bem, dessa vez vai ser completamente diferente!

O novo livro ACALANTO, trazendo crônicas, haicais e poemas, será todo online, mas nem por isso menos interessante.

A programação já está pronta e posso dizer que todos vão se emocionar comigo nesse dia!

Vou contar com a participação especial da atual presidente da Academia Mourãoense de Letras DALVA HELENA DE MEDEIROS e do presidente anterior FÁBIO ALEXANDRO SEXUGI.

E mais: meus 3 filhos, nora e 4 netos farão a leitura de versos durante o programa.

Que alegria!!!

Por isso tudo, convido a todos para ficarem ligados no dia, horário e link da programação.

DIA 10, TERÇA FEIRA, ÀS 19:00 HORAS, NA PÁGINA DA ACADEMIA MOURÃOENSE DE LETRAS NO FACEBOOK.

Para adquirir o livro, é só entrar no link abaixo, da LIVRARIA AMO LIVROS!

https://www.livrariaamolivros.com.br/loja/search/?nome=acalanto

Espero vocês AMANHÃ!!!!!!!

“PERTO ESTÁ O SENHOR DE TODOS OS QUE O INVOCAM, DE TODOS OS QUE O INVOCAM EM VERDADE. ELE CUMPRIRÁ O DESEJO DOS QUE O TEMEM; OUVIRÁ O SEU CLAMOR E OS SALVARÁ.” Salmos, 145- 18 e 19.

NA ERA DO RÁDIO

Era do Rádio é o período que, nos Estados Unidos e outros países, compreendeu os anos de sucesso das emissoras de rádio. Nos EUA foram as décadas de 20 e 30, enquanto no Brasil o auge desse meio de comunicação ocorreu nos anos 40 a 50 do século XX. Wikipédia

Nesse período, iniciou-se a chamada “Era de Ouro do Rádio”, quando ele se popularizou e tornou-se um meio de entretenimento.(Fundação Cidade das Artes)

E foi assim que recebi o convite para ir até a Rádio Colmeia FM de Campo Mourão, participar desse programa de número 1397, TOCANDO DE PRIMEIRA, do meu amigo e confrade ILIVALDO DUARTE.

Também presente o amigo escritor JOSÉ CARLOS PARAGUAIO, um professor gentil e de grande cultura.

( Aqui na chegada aguardando o horário para começar)

Ilivaldo Duarte, tem verdadeira paixão pelo que faz: entre 1999 e 2001 foi o jornalista que atuou em todos os canais (rádio, TV, jornal e internet); tem um blog completando 12 anos; na Tribuna foram 1102 colunas Tocando de Primeira e na TV Carajás foram 90 programas esportivos!

(Aqui, já no blog)

Esse programa teve como finalidade, comemorar o Dia do Escritor no dia 25 desse mês.

E assim as perguntas foram em torno de como começamos a escrever, se é mais fácil ser professor ou escritor as quais respondíamos, enquanto ouvintes mandavam suas mensagens pelo whatsApp.

” A POESIA É COMO A PLANTA QUE BROTA NA TERRA PRODUTIVA, FORTIFICA O ESPÍRITO E ALIMENTA A ALMA.” Prof. Paraguaio

No final, presenteei com meu livro ainda não lançado, ao Ilivaldo.

Esse livro ACALANTO, será lançado em uma live no dia 10 de Agosto às 19:00 horas, pelo Facebook, página da Academia Mourãoense de Letras.

“ESCREVER É FÁCIL. VOCÊ COMEÇA COM UMA LETRA MAIÚSCULA E TERMINA COM UM PONTO FINAL. NO MEIO VOCÊ COLOCA IDEIAS.” Pablo Neruda.

Salmo de Davi, 117: LOUVAI AO SENHOR, TODAS AS NAÇÕES; LOUVAI-O, TODOS OS POVOS. PORQUE A SUA BENIGNIDADE É GRANDE PARA CONOSCO, E A VERDADE DO SENHOR É PARA SEMPRE. LOUVAI AO SENHOR!

BRINCADEIRAS DE UM PROFESSOR

Até aonde vai a inspiração e criatividade de um professor?

Pois bem, ela não tem limites!

Vou contar a vocês um feito de muitos anos atrás.

Conheci o professor GILL DE OLIVEIRA quando meus filhos estudavam no Colégio Marista Santa Maria e tinham aulas de Português com ele.

Apesar de rigoroso os alunos gostavam muito de suas aulas.

Bem mais tarde, eu trabalhando na Tecnologia Educacional do Positivo, encontrei o professor Gill que agora trabalhava na Editora Positivo.

Éramos “vizinhos”.

Sempre que nos encontrávamos, parávamos para conversar e como o refeitório era o mesmo, muitas vezes sentávamos juntos e trocávamos figurinhas.

Dei de presente a ele o meu primeiro livro “Um Pouco de Mim”que lancei em 2005 e ali mesmo, debruçou-se sobre ele, já começando a ler.

Passado alguns dias, ele me procurou e timidamente, me entregou 2 folhas escritas que tirou do seu bolso.

O que é isso? Perguntei.

– Ah, é uma brincadeira que fiz usando muitos dos títulos de suas poesias.

Quase caí de costas ao ler aquele papel: sim, são 38 títulos das 79 poesias do livro.

Vejam como ficou, com os títulos em negrito:

COISAS DA SÍLVIA

Lá vem o vento sibilando

a mesma canção da poeta.

É a Sílvia veloz assoviando

e valsando a valsa vienense

para tentar dizer a esse vento

somente Um Pouco de mim

e apenas um muito da vida

desta mulher contestadora.

——————–

Ela começa Redescobrindo

as Noites e Coisas da Vida

duns Catadores de Papel,

com muita Solidariedade,

para alimentar Outra Vez

aquele Menino Crescido

com Sonhos de Saudade.

——————–

Nunca irei esquecer vocês,

Mulheres Sozinhas carentes.

De Carência, Sempre Igual,

Considerando o Faz de Conta,

escondido nas Lembranças

das heroínas do Vendaval.

——————–

Eu Acho, Janela Fechada,

que Nunca Vou Esquecer

As Corujas da Pousada

no seu Estado de Graça.

Nem a Goleada Coxa Branca

com beijos de cachaça

no Poder da Caipirinha,

no copo da Tininha

pendurados num varal

esperando o carnaval.

——————-

Como eu queria Janelas Fechadas

cantar em Estado de Graça

para escrever que nem Fabiane

sobre meus Momentos de vida

e transformar todos em poesia

sem Diferenças e sem Descaso.

——————

E agora De Novo Você!

Mas O Que é Isso Mulher?

Não, Nunca Vou Esquecer:

Escolhas com Mudanças,

Momentos em Contrastes.

Fim de Caso, são Coisas da Vida!

(Gill de Oliveira; 10/11/2005)

Ao nos encontrarmos novamente, ele disse que logo me entregaria a segunda parte com os títulos que faltavam.

Não deu tempo…

Logo depois, ele virou uma estrela no céu e está lá a escrever poemas sem fim.

“POSSO TODAS AS COISAS NAQUELE QUE ME FORTALECE.” Filipenses, 4-13

ACALANTO ( MEU CAÇULA)!

Sempre chamo de filho os meus livros e falei sobre isso ao meu editor.

Então, numa tarde da semana passada, recebo uma ligação dele dizendo:

-Sílvia, tem uma criança aqui do meu lado chorando querendo a mãe!

Levei um milésimo de segundo até entender e soltar um grito: UAU!!!

Pois é.

O JAIR ELIAS DOS SANTOS JÚNIOR, da NOVA HISTÓRIA ASSESSORIA E GESTÃO CULTURAL, chegou trazendo nos braços, a minha criação!

Mas vamos começar do começo!

2020, um ano em que o mundo parou!

E fui desafiada a me submeter a novos hábitos de vida.

E em meio a tudo isso, eis que me encontro enclausurada, debruçando sobre textos guardados, a espera de saírem de suas gavetas.

Foi então que decidi reunir em um volume só, as Crônicas, Haicais e Poesias deixando pronto para depois que a pandemia passar (e ela vai passar), mostrar que em meio a reclusão, podemos sim continuar a sonhar.

E esse “ACALANTO” é mais uma realização de um sonho!

(Isso acima está escrito na orelha do livro)

Pensei muito em quem iria escrever o prefácio desse livro, mas quando pensei nele, foi como se sempre fosse dele essa tarefa: FÁBIO SEXUGI, presidente da ACADEMIA MOURÃOENSE DE LETRAS, biênio 2019 e 2020.

E ele escreveu tão lindamente que me emocionei ao ler!

A dedicatória também não foi difícil: “Para minhas filhas VIVIANE e FABIANE, com amor”.

É claro que já tenho outro preparado e que vai ser dedicado a meu filho PAULO EMÍLIO.

Essa capa linda foi obra do TIAGO SILVA ( o mesmo que desenhou a capa do nosso livro da Academia).

A revisão deixei a cargo da minha filha FABIANE PROHMANN, sendo que esse é o segundo livro que ela faz esse trabalho.

Agora, por que ACALANTO?

Porque esse nome remete a um momento único de carinho, prazer, de sentimento bom.

Me faz lembrar de uma cadeira de balanço, que é onde quero ficar contando histórias, declamando poesias, recitando haicais.

ACALANTO é um desejo profundo de estar em paz, conversando com você, meu amigo leitor.

Que possamos traduzir nesse embalo da palavra a sonoridade da minha alma para a sua.

(Isso está na contra capa do livro)

Já dei uma dica sobre ele em SPOILER- PALAVRA DA MODA em outro post.

No lançamento do livro O NASQUIMI DOURADO E OUTRAS HISTÓRIAS, pude fazer uma verdadeira festa com muitos convidados, coquetel, fotos, etc.

Veja lá em: Ele chegou!!!A festa para ele!!! como foi tudo lindo!

Esse ano, devido a pandemia, os lançamentos de livros estão sendo através de lives pelo Facebook, na página da Academia Mourãoense de Letras.

E é lá que farei assim que minhas filhas que moram fora do Brasil, chegarem.

Então é isso!

Aguardem para ler!!!

“POR TI TENHO SIDO SUSTENTADO DESDE O VENTRE; TU ÉS AQUELE QUE ME TIRASTE DO VENTRE DE MINHA MÃE; O MEU LOUVOR SERÁ PARA TI CONSTANTEMENTE.” Salmos, 71- 6

COMEMORANDO OITO ANOS DO BLOG COM POESIA

Sim, já estamos bem crescidinhos e viajamos por inúmeros lugares desse nosso mundo!

Tenho apenas uma palavra para vocês, meus seguidores, leitores e amigos: GRATIDÃO!!!

E então vamos comemorar com poesia!

OUTONO

FOLHAS CAINDO AOS POUCOS

DAS ÁRVORES A FARFALHAR.

ENTÃO A CALÇADA SE COBRE

TAPETE PARA EU PASSAR.

——————–

É O COMEÇO DO OUTONO

PARA O VERÃO TERMINAR.

E O CICLO CONTINUA

ATÉ O INVERNO CHEGAR.

——————–

A BRISA TORNA-SE AMENA

COMO CARÍCIA DE AMOR

E LEMBRANÇAS VÃO CHEGANDO

PARA MIL VERSOS COMPOR.

——————–

SÃO DOCES CHEIROS DE INFÂNCIA

IMPREGNADOS NO AR.

SÃO MÚSICAS QUE TRAZEM LEMBRANÇAS

QUE ME LEVAM A SONHAR.

——————–

A NATUREZA É PERFEITA

É OBRA DO CRIADOR.

SÃO SONS DA ORQUESTRA DIVINA

REGENDO UM SANTO LOUVOR!

(Imagem do bolo feita pela @arteempapelluanda, da minha filha Viviane; imagem outono: espaço Ciência).

Clique para ver as comemorações de outros anos:

SETE ANOS E UM POEMA

ROSQUINHAS DA MINHA MÃE E PARABÉNS PARA O BLOG

2º ANIVERSÁRIO DO BLOG

PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DO BLOG

PAVÊ DE COCO QUEIMADO E 4 ANOS DO BLOG

“BOM É LOUVAR AO SENHOR E CANTAR LOUVORES AO TEU NOME, Ó ALTÍSSIMO, PARA DE MANHÃ ANUNCIAR A TUA BENIGNIDADE E, TODAS AS NOITES, A TUA FIDELIDADE.” Salmos, 92- 1 e 2

SPOILER- PALAVRA DA MODA!

“Spoiler é quando alguma fonte de informação, como um site, ou um amigo, revela informações sobre o conteúdo de algum livro, ou filme, sem que a pessoa tenha visto.”

Não gosto de usar palavras em inglês.

Como dizia minha mãe: “moro no Brasil, falo português, não tenho obrigação de usar palavras em inglês. Imagina se eu vou pedir um HOT DOG ao invés de CACHORRO QUENTE, nunquinha!”

Algumas palavras foram incorporando aos poucos em nosso modo de falar e… voltando ao spoiler eu diria: vou te dar uma DICA.

E sim, vou te dar uma dica ótima: meu livro novo está quase nascendo!

Se fosse uma gravidez, diria que está entrando no sétimo mês de gestação.

Mas como será ele então?

De que se trata?

Qual o nome?

Vou responder: como ele já tem irmãos, terão suas parecenças, é claro.

Trata-se de uma reunião de Crônicas, Haicais e Poesias.

O nome? ACALANTO.

A capa já está desenhada, os textos revisados e a editora contratada.

Mais do que isso não posso revelar, porque em lugar de “dica”, vou entregar tudo de uma vez…

Mas sonho em tê-lo nas mãos!

Dê uma olhada nos textos que escrevi “ENQUANTO ELE NÃO CHEGA” e “ELE CHEGOU!!! A FESTA PARA ELE” em fevereiro de 2018.

(Eu autografando meu último livro)

Como pode ser isso? Essa ansiedade, essa vontade de traduzir o pensamento em palavras e mostrar a todos aquilo que levamos tempo pensando, estudando até nos entregarmos a inspiração de escrever?

Cada vez é única e especial.

Bem, já dei meu “SPOILER” de hoje.

Isso para aqueles que amam uma palavra em inglês.

Imagem 1- Freepik; 2- Pinterest;

“TODAVIA, O FUNDAMENTO DE DEUS FICA FIRME, TENDO ESTE SELO: O SENHOR CONHECE OS QUE SÃO SEUS, E QUALQUER QUE PROFERE O NOME DE CRISTO APARTE-SE DA INIQUIDADE.” 2 Timóteo 2- 19

E A PRIMAVERA CHEGOU!

Não, eu não errei não!

É que enquanto aqui no Brasil entramos no Outono, em Portugal onde minha filha Fabiane mora, é Primavera!

E é de lá que ela nos manda esse texto com as fotos lindas que tirou.

(Essa é a varanda do seu apartamento em Lisboa, já festejando com flores a nova estação)

Primeiro dia de primavera no hemisfério norte, confinamento começou a dar uma aliviada – a conta gotas, é bem verdade, mas qualquer passo é um avanço!

Saio pelas ruas de Lisboa, meio sem destino.

Quero ver as flores, sentir o ar da nova estação e acreditar que os bons ventos estão chegando.

(Alfama)

Sinto alegria por ter passado mais de um ano de pandemia sem ficar doente e tendo minha família com saúde.

Ao mesmo tempo sinto uma tristeza por todos os que se foram.

Pelas ruas vazias e lojas fechadas, pelo silêncio, pela dor. 

(Panteão Nacional)

Também sofri perdas por causa do vírus.

Perdi pessoas, perdi de estar com meus amigos, perdi de ver minha família…

Mas, nesse misto de sentimentos, o que prevalece é a gratidão.

Sou muito grata a Deus por me dar forças diariamente, por cuidar dos meus, por encher meu coração de esperança de que dias melhores virão.

(Amendoeira)

(Miradouro de Santa Luzia)

Enquanto isso, aproveito para apreciar a cidade, ver a natureza colorindo as ruas, as flores brotando e a certeza de que Ele está no comando.

Por isso, posso descansar em paz.

(Por do sol no Cais do Sodré)

Bem, aí está o texto entre tantos que ela já escreveu para o blog, desde sua temporada na África do Sul até agora em Portugal.

E sobre esse mesmo assunto você pode ler em “O que podemos aprender com essa pandemia texto de março de 2020.

“APARECEM AS FLORES NA TERRA, O TEMPO DE CANTAR CHEGA, E A VOZ DA ROLA OUVE-SE EM NOSSA TERRA.” Cantares, 2- 12

f