VISÃO DE UMA CRIANÇA DE QUATRO ANOS, SOBRE A CIDADE ONDE MORA.

Escrevi esse texto em setembro de 2013, como se quem contasse fosse a própria Isadora, minha neta de 4 anos (na época).

“Sei que nasci em uma capital chamada Curitiba, que quer dizer “muitos pinheiros”e é considerada uma cidade de primeiro mundo.

Não sei bem o que isso quer dizer, mas sei que é muito bela, limpa e arborizada.

Ouvi na TV que seus moradores separam o lixo e desde muito pequena aprendi que não se joga papel nas ruas.

Meu pai é engenheiro civil e minha mãe é arquiteta e resolveram se mudar para Luanda, capital de Angola, na África.

Lá vim eu, ainda bebê para cá.

Sempre pensei em leões, elefantes, girafas, zebras, mas nunca encontrei nenhum a não ser no parque, porém isso também tem no Zoológico da minha cidade. Só não tem a Palanca Negra que é um antílope e considerado animal símbolo aqui em Angola.

Não tive nenhum problema com as pessoas: para mim são tão amigos quanto os amigos de lá. Falam mais rápido (papai disse que é o português falado em Portugal) e peguei logo o jeito deles.

As mulheres é que se vestem diferentes: são blusas e saias largas e coloridas, até os pés e um turbante na cabeça. Carregam seus bebês em uma espécie de bolsa em suas costas e ainda levam bacias enormes com roupas ou frutas em suas cabeças. Parecem equilibristas!

O dinheiro deles chama-se kwanza e vale bem menos que o nosso real.

Mamãe contou que Kwanza é o nome do rio que banha a cidade.

Aprendi com eles que aqui houve uma guerra que durou quase 30 anos e a cidade foi quase toda destruída. Então existem os prédios que sobraram desse tempo e os novos que papai ajuda a construir. Com isso a cidade vai ficando mais bonita e seu povo tem muito orgulho disso.

Precisam aprender ainda sobre os lixos. É muito triste ver as ruas amontoadas deles e isso traz doença para as crianças.

Mas são todos muito alegres!

Quando falamos “bom dia”, eles respondem “obrigado”, diferente do nosso jeito brasileiro de cumprimentar. Muito legal!

Em agosto, vovó veio nos visitar e fomos passear com ela pelas redondezas.

Como aqui o clima é sempre tropical, com muito sol, nos dirigimos à praia. No caminho, papai parou o carro ao lado de uma placa que dizia: “Miradouro da Lua”. Vovó só repetia: fantástico, fantástico! Aí mamãe explicou que aquele lugar é onde dizem que se encaixava o Brasil há milhões de anos atrás.

Não sei não…

Mas o nome é porque o solo se assemelha ao solo lunar. São fendas incríveis feitas nas pedras arenosas e de cima onde estávamos, pareciam crateras enormes. Só que não tinha ninguém tomando conta e o resultado era montes de lixo ao lado da única placa na frente do local. Acho que deveria ter uma casinha com muitos cartazes e folders explicando tudo para as pessoas e que pudessem ser levados para casa, mas… nada!

Que pena!

Vovó tem o livro “O Pequeno Príncipe” e já me contou a história do baobá que é uma árvore enorme. Pois é…esse baobá da história é a mesma árvore que existe aqui.

São muitas e em toda parte. Elas têm o tronco muito largo e, como estávamos no inverno, quase sem folhas em seus galhos.

Nesse dia quando saímos para passear vovó não se cansava de tirar fotos e mais fotos.

Fomos visitar também a feira de artesanato que é enorme e se chama Mercado do Benfica. Papai ficou só olhando enquanto as mulheres nem decidiam o quê comprar entre quadros e esculturas, tudo tão lindo!

Agora o que mais gostamos mesmo foi o safári que fizemos no Parque Nacional do Quiçama!

Fiquei meio cansada até chegar lá e, para falar a verdade, dei umas cochiladas. Acordei mesmo quando entramos na estrada de terra, muito estreita e os macacos começaram a aparecer.

Dali fomos para um pequeno caminhão alto, aberto dos lados com motorista e guarda do parque para “procurarmos” os animais. Cada vez que víamos, eram gritos de alegria e eram zebras em bando, girafas tranqüilas e maravilhosas, gnus e veados. Só não vimos os elefantes que procuramos na beira do rio, mas não estavam mais lá.

Que pena!

No condomínio onde moramos acontece uma coisa bem diferente: quando é mais ou menos seis horas da tarde, nos recolhemos dentro de casa e mamãe fecha portas e janelas. Isso porque vai passar o “fumacê”, um homem com uma máquina nos ombros e soltando uma névoa de veneno para matar pernilongos.

Pelo menos ficamos a salvo deles!

Aqui não temos aquela infinidade de shoppings que temos em Curitiba. Temos apenas um e bem novo que se chama Belas Shopping e fico orgulhosa quando vou até lá e vejo o restaurante japonês feito pela minha mãe.

É bem bonito!

Minha escola é muito parecida com as escolas do Brasil mas já estou querendo logo as férias para voltar. Tenho saudades de muitas comidas que não se encontram os ingredientes para fazer além de ser muito caro porque vem de fora do país.

Quanta coisa tenho para contar para meus primos e amigos dessa minha vida aqui!

E, como todos dizem, são experiências e conhecimentos que levarei para sempre!

Nada como ser um pouquinho angolana!”

Imagens: 1) curitiba-parana.net; 3) africa21online; 4) voaportugues.com; 7) escolabritannica.com.br

“NUNCA MAIS SE PORÁ O TEU SOL, NEM A TUA LUA MINGUARÁ, PORQUE O SENHOR SERÁ A TUA LUZ PERPÉTUA, E OS DIAS DO TEU LUTO FINDARÃO.” Isaías, 60- 20

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LIVROS, LIVROS E MAIS LIVROS

Nunca é demais falar sobre livros!

E eu pensava cá com meus botões o quanto sou fascinada por eles, mas, para falar a verdade, um amigo escritor é super mais do que eu!

Eu mostrava a ele o meu livro (O Nasquimi Dourado) quando ele abriu, levou ao nariz e cheirou!!!

-Adoro o cheiro de um livro novo! Falou para mim.

Somos assim mesmo: gostamos prá valer!!!

Essa é a Biblioteca Pública do Paraná, em Curitiba, fundada em 07 de março de 1857 e onde fiz muitas pesquisas desde a época do magistério.

E essa é a Biblioteca Municipal Prof. Egydio Martello em Campo Mourão, com 60 anos completos e onde temos reuniões mensais da AME (Associação Mourãoense de Escritores) e da AML (Academia Mourãoense de Letras).

E parece que os livros nos procuram quando gostamos deles.

Foi o caso do restaurante em Cape Town, África do Sul, quando eu e minha filha entramos e literalmente ficamos de boca aberta!

As paredes repletas de livros!!!

(Minha filha Fabiane)

Sabe aquele lugar aconchegante, lareira acesa, (lá fora um frio terrível), comida e vinhos maravilhosos e livros em profusão!

Ainda em Cape Town fomos visitar a biblioteca que estava comemorando naquele mês seus 200 anos!

(Mais sobre essa visita você pode ler aqui em “Os Esquilos e a Biblioteca“)

Fui até o Google para saber sobre a maior biblioteca do mundo e descobri que a Biblioteca do Congresso nos Estados Unidos, foi inaugurada em 24 de abril de 1800 e  possui mais de 155 milhões de itens, entre livros, manuscritos, jornais, revistas, mapas, vídeos e gravações de áudio, incluindo materiais disponíveis em 470 idiomas, sendo a maior biblioteca do mundo, tanto em espaço de armazenagem como no número de livros.

Agora vou escrever sobre o que mais me tocou ultimamente!

A saga de uma professora que desenvolveu um projeto na Escola Municipal Paulo VI aqui em Campo Mourão.

Chama-se Projeto Ambiente de Leitura: não deixe essa amizade esfriar!

Ela pediu para quem tivesse uma geladeira sem uso para doar e ali ela fez a biblioteca.

(A idealizadora do projeto, professora Silvania)

Isso é amor aos livros!

Não importa se o local é amplo, lindo, se tem muitos livros ou não; o que importa é passar para as crianças essa importância que eles tem, o mundo que se abre através de suas páginas e que nos deixa apaixonados por eles.

E eu não poderia encerrar sem os versos que fiz, há muito tempo atrás, mas que resumem o que sempre vou sentir sobre eles.

LIVROS

AH, LIVRO AMIGO!

QUE SE DEITA COMIGO,

E ABERTO TEIMA EM FICAR

SOBRE MEU PEITO,

ENQUANTO DURMO,

A ME ESPERAR…

“DISSE-LHE JESUS: EU SOU A RESSURREIÇÃO E A VIDA; QUEM CRÊ EM MIM, AINDA QUE ESTEJA MORTO, VIVERÁ.” João, 11- 25

 

 

ENFIM… CAPE TOWN!!!

Dia 17 de junho, domingo, deixei Luanda e meus queridos para seguir rumo a África do Sul, encontrar-me com minha filha Fabiane e conhecer essa cidade.

Saí de uma temperatura de 27° e tempo muito seco, para entrar em 12° com muito vento e uma chuva fininha!

Nada que abalasse minha vontade de conhecer tudo e dar um abraço apertado em minha filha…

E eis que chego, então, depois de 4 horas de um voo tranquilo.

Cape Town (Cidade do Cabo) é apelidada de “Cidade Mãe” e é a capital legislativa do país, sendo a segunda mais populosa (a primeira é Joanesburgo) com 3 milhões e setecentos mil habitantes.

Foi ocupada primeiramente pelos holandeses e depois o Reino Unido.

(Aqui, fotos do nosso encontro)

Como cheguei no primeiro dia do jogo da seleção do Brasil pela copa, fomos até um local chamado Mojo onde colocaram um telão e onde estava reunida uma turma de brasileiros para assistirem.

Nesse lugar, tem bem no centro um local onde se vendem somente as bebidas e, espalhados ao redor, tipo umas barraquinhas cada uma vendendo comidas diversas: pizzas, sushis, frutos do mar, sanduíches, nachos, pipocas, etc.

Fiquei a lembrar onde estava há quatro anos atrás, no dia do jogo do Brasil… quanta coisa aconteceu! Se me falassem que eu iria mudar de cidade, jamais acreditaria… e lembrei do que escrevi aqui nesse dia ( Dia dos Namorados/ Primeiro Jogo do Brasil).

Saindo dali, tipo decepcionada com a seleção, fomos até Waterfront.

Gente, o lugar é o que há de lindo!!!

Pode-se sentar, comer e degustar um bom vinho.

Ali se reúnem turistas de todo o mundo, dá para curtir lojinhas de artesanato, passeios de barco, roda gigante, museus, corais de música típica africana e muito, muito mais, que contarei em outros posts.

As fotos saíram cinzentas, como estava o dia, mas nem por isso deixa-se de ver um pouco a beleza do lugar.

Logo estarei contando como foi estar desbravando essa cidade linda!

“NO DIA DA PROSPERIDADE, GOZA DO BEM, MAS NO DIA DA ADVERSIDADE, CONSIDERA; PORQUE TAMBÉM DEUS FEZ ESTE EM OPOSIÇÃO ÀQUELE, PARA QUE O HOMEM NADA ACHE QUE TENHA DE VIR DEPOIS DELE.” Eclesiastes, 7- 14

 

 

 

 

MÊS DE JUNHO, MÊS DE FESTAS!

As festas juninas são mais antigas do que todo mundo pensa!

Elas surgiram na Antiga Europa, há centenas de anos.
Não se sabe se o nome “junina” é uma adaptação que veio com o tempo ou se mudou porque a festa é comemorada no mês de junho.

acordeon

Cada um dos países deu o seu toque à festa que conhecemos hoje em dia.

Da França veio a dança (quadrilha), de Portugal e da Espanha veio a dança com fitas, entre outras culturas que foram se popularizando.
Como é de se imaginar, a festa junina foi trazida para o Brasil pelos portugueses durante o período colonial.

Por coincidência, os índios que habitavam o nosso país realizavam rituais nessa mesma época de junho para celebrar a agricultura e, com a vinda dos jesuítas, as festas se fundiram e os pratos passaram a utilizar alimentos nativos,como mandioca e milho.

casamento
As festas juninas acontecem em todo canto do país, mas podem ser divididas em dois tipos distintos: aquelas que acontecem na Região Nordeste e aquelas do Brasil caipira (inspiradas nos Estados de São Paulo, região norte do Paraná, região sul de Minas Gerais e Goiás). Elas possuem diferenças e costumes bem diferentes.
As festas do Brasil caipira são realizadas em quermesses com danças de quadrinha em torno da fogueira e, como não pode deixar de ser, com muita música caipira.

quadrilha

Em todos os lugares, as mulheres usam vestidos coloridos de chita e os homens vestem camisa quadriculada e calças remendados com tecidos também cheios de cores.
A fogueira é um dos maiores símbolos das festas juninas.
Assim como a maioria dos elementos de uma festa junina, existem dois significados para a famosa fogueira.

Nas festas pagãs e indígenas, elas eram feitas para espantar os maus espíritos.

Já na tradição cristã, ela tem uma explicação: Isabel teria dito à Maria (mãe de Jesus) que acenderia uma fogueira para avisá-la do nascimento de seu filho (João).
Maria viu as chamas de longe e foi visitar a criança que tinha acabado de nascer.
Hoje, por questão de segurança, elas também só são feitas em poucas cidades do interior, já que também não são permitidas nas grandes quermesses para que se evite incêndios e acidentes causados pelas chamas.

Mas o símbolo está sempre presente quando pensamos nas festas juninas.

fogueira-na-festa-junina
No Nordeste, o forró é, talvez, o ritmo mais requisitado para as festas juninas, seguido pelo baião, xote, reisado, o samba de coco e outras cantigas típicas. 
Simpatias e promessas para os santos são comuns em todas as épocas do ano, mas, para os três santos homenageados em junho, agora é a hora, principalmente para Santo Antônio, já que ele é considerado o santo casamenteiro e as moças que procuram um namorado, noivo ou marido se apressam para ter tudo pronto no dia 13.

mesa
Difícil não ficar com fome em uma festa junina.

Milho cozido (ou assado), pipoca, bolo de fubá cremoso (ou de milho), maçã do amor, pé-de-moleque, vinho quente, quentão, arroz-doce, canjica, chá de amendoim e muitas outras delícias (normalmente quentinhas, porque essa época do ano é bem fria) são a alma da festa.
Reparou que muitas comidas são derivadas do milho verde?

Isso se deve ao fato de que junho é a época propícia para a colheita do alimento e essa tradição está presente nas festas juninas desde que ela chegou ao Brasil.

Outros grãos — como o amendoim — e raízes — como a mandioca — também marcam presença nas comemorações de junho.

E eu me lembro de uma musiquinha que cantávamos nessa época e que dizia assim:

“MÊS DE JUNHO, MÊS DE FESTAS,

DE FOGUEIRAS AO LUAR.

NO TERREIRO ILUMINADO

TODA GENTE VAI DANÇAR.

DESDE 13 A 29

QUE SE OUVE O ESPOUCAR

DAS BOMBINHAS, DOS FOGUETES

ESTOURANDO PELO AR”

Que lembranças boas tenho das festas da minha infância… e essa música acima, nunca mais ouvi… nem achei no google…perdeu-se com o tempo, bem como as bandeirinhas que fazíamos com capricho para enfeitar o quintal…

bandeirinhas

Fonte: http://www.megacurioso.com.br

Imagens: 1) edu-candoconstruindosaber.blogspot.com; 2) atividadesparaprofessores.com.br; 3) plus.google.com; 4) http://www.grupogsa.com.br; 5) http://www.24brasil.com; 6) http://www.vivaeventos.com.br

“DIRIGE OS MEUS PASSOS NO TEUS CAMINHOS, PARA QUE AS MINHAS PEGADAS NÃO VACILEM.’ Salmos, 17- 5

 

UM DIA A SER LEMBRADO!

Uma adivinhação: qual é o resultado de um céu imensamente azul + um sol tremendamente amarelo + árvores muito verdes?

Quem respondeu uma Bandeira do Brasil, acertou!!!

árvores

Foi assim que começamos: em verde, amarelo e azul e acabamos chegando cedo demais (a ansiedade era tanta…), queríamos ver esse dia em que o nosso país não se calou!

carro de som

O carro de som já estava posicionado na praça em frente a Matriz.

imprensa

A Imprensa também!

chegando gente

E, aos poucos, as pessoas vão chegando!

cavaleiros

cavalo

Cavaleiros vindo de longe…

E tudo na mais perfeita ordem!

rotary

Um grupo do Rotary da cidade…

criança

Crianças com balões nas cores da bandeira (esse é o Pedro, filho de amigos nossos).

drones

dro

E de repente… drones sobrevoando!

E são tantas cores: até os cãezinhos se vestem assim!

cachorro

cão

E mais pessoas vão chegando!

muita gente

mais gente

PE

(Paulo Emílio na frente de um casal que eu quis fotografar…)

E claro, não podia deixar de ter as justas homenagens: ao herói Sérgio Moro.

moro

E ao ex presidente…

Lulalá

E foi quando todos a uma só voz oramos a oração que Jesus nos ensinou, seguida do Hino Nacional Brasileiro, é que sentimos a verdadeira razão de sermos patriotas, lutando por um país melhor, sem corrupção, onde pessoas menos favorecidas tenham realmente uma esperança em seus corações.

nós

Por isso, com orgulho podemos dizer: nós estivemos ali!

“ENTREGA O TEU CAMINHO AO SENHOR: CONFIA NELE E ELE TUDO FARÁ. E ELE FARÁ SOBRESSAIR A TUA JUSTIÇA COMO A LUZ; E O TEU JUÍZO COMO O MEIO DIA.” Salmos, 37- 5 e 6..

CIDADES ONDE MOREI: 8- CURITIBA (1ª PARTE)

E cá estou eu de volta com a série sobre “Cidades onde morei”…

Morar em Curitiba sempre foi o sonho dos meus pais e foi assim que chegamos.

O ano era 1964 e eu completando 16 anos.

instituto

Entrei no Instituto de Educação do Paraná para fazer o curso Normal, hoje Magistério e comecei a namorar sério aquele que veio a ser meu marido.

Nesses três anos de curso todas as moças eram noivas ou estavam com data marcada para o casamento e era o que meus pais esperavam de mim: ser professora normalista e casar.

E assim foi.

beatles

E foram anos de inúmeros acontecimentos marcantes no Brasil e no mundo: Beatles (eu sempre preferi Elvis Presley), o homem pisando na lua, festival de Woodstock, guerra do Vietnã, Jovem Guarda, Pelé, O Pasquim, etc, etc, etc.

Bem, terminei o curso, dei aulas no Instituto Maria José que ficava na rua Dr. Murici, bem no lugar onde hoje temos um viaduto e… casei.

curitiba anos 60

(Praça Rui Barbosa daquele tempo)

Tendo meu marido passado no concurso para Juiz de Direito, arrumamos nossa mudança e fomos morar no interior do Paraná, uma cidade que pertencia à primeira instância e onde começamos nossa jornada.

E segue um poema da nossa eterna Helena Kolody.

CURITIBA, CIDADE-MENINA
Curitiba, cidade menina
paisagem do meu amanhecer.
Por toda parte, a marca de meus passos,
o fantasma de meus sonhos.
Jardins, pomares,
pinheiros e mais pinheiros,
onde moravam sabiás cantores
e bem-te-vis moleques
As torres da Catedral
olhavam por cima dos sobrados.
Carroças de Santa Felicidade
trepidavam no calçamento das ruas
e faziam tremer a voz cantante
das colonas italianas:
– “Qué comprá lenha,
batata doce, repolho,óvo!”
Bondes elétricos circulavam, vagarosos,
do centro para os bairros.
Perdia-se nos longes
o pregão do peixeiro português:
-“Pei…..xe! Camarão!”
Corria pelas ruas
o anúncio dos pequenos jornaleiros:
– “Gazeta do Dia”
– “Diário da Tarde!”
Estudantes eletrizavam a cidade
com sua ruidosa juventude.
Acotovelavam-se risos e conversas de crianças,
pombos brancos a caminho da escola.
Recordo Curitiba adolescente..
Uma névoa de saudade
me envolve o coração.
Helena Kolody 1997
Helena e eu 001
Para ler um poema meu sobre Curitiba, você clica em: Curitibano.
Imagens: 1) institutoerasmopilotto.blogspot.com; 2) beatlemania.musicblog.com.br; 3) publicar-atualidades.blogspot.com
” DISSE JESUS: O CÉU E A TERRA PASSARÃO, MAS AS MINHAS PALAVRAS NÃO HÃO DE PASSAR.” Mateus, 24- 35.

SETE DE SETEMBRO!

Sim, sei que hoje é uma segunda feira, dia de colocar uma receita nova no blog.

Mas… por ser feriado, estou em Londrina, passando o dia de hoje com meu irmão Ciro, que faz aniversário ( ele é uma parada!).

Em homenagem a nossa Pátria, posto dois haicais que fiz sobre ela.

bandeira

CORRUPÇÃO, MENTIRAS!

É O BRASIL NO QUAL VIVEMOS…

GIGANTE TRAÍDO!

Brasil-Olho

DEUS NOS SALVE, PÁTRIA!

TÃO AMADA E ABANDONADA…

MÃE SEMPRE GENTIL.

Se quiser saber mais sobre Haicais entre no “Alguns Haicais” e “De novo… Haicais“.

Imagens: 1) http://www.materiaincognita.com.br; 2) http://www.badulacris.com.br

“BEM AVENTURADA É A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR, E O POVO QUE ELE ESCOLHEU PARA SUA HERANÇA.! Salmos, 33-12

O DIA DA PIZZA

Não!

Eu não errei o dia da postagem!

Segunda feira é que é dia de receita e não na quinta feira!

Mas hoje vou escrever sobre uma unanimidade nacional e que tem, desde 1985, o seu dia: a Pizza!

pizza

(Pizza de salmão)

O dia é amanhã, 10 de julho, mas desde já… viva a Pizza hoje e sempre!!!

Egito, Grécia, não importa de onde veio,mas foi graças a imigração italiana que ela chegou ao Brasil no século 19.

pizza e texto

Eu amo pizza, de todos os sabores, com massa grossa ou fina, tanto faz, quer me ver feliz? Me leve a uma pizzaria!

dia-da-pizza-pizzamussa4

(Que tal esse tamanho?)

Já coloquei aqui uma receita ( Pizza da Maria) que é simplesmente maravilhosa e que costumo fazer.

pizza pronta 002

Infelizmente aqui no Brasil, o termo “virar em pizza” teve um novo significado graças aos políticos mal caráter (mas não vou entrar nesse assunto).

O caso é o seguinte: se tem alguma comida que deve ter um dia dedicado a ela, essa é com certeza a nossa querida Pizza!

Groups - Adults and Business People

Palmas para ela!!!

Imagens: receitando.blogspot.com; passadoepresentesemisturam.wordpress.com; ofelino.blogspot.com

“ENSINA-NOS A CONTAR OS NOSSOS DIAS, DE TAL MANEIRA QUE ALCANCEMOS CORAÇÃO SÁBIO”. Salmos 90-12

BOLO RÁPIDO

Hoje estou muuuuito feliz porque nasceu meu terceiro neto!

Estou em Campo Mourão e quero contar sobre as alegrias de ser avó no próximo post, quinta feira que vem.

Hoje é dia de receita de doce e esse bolo fiz no sábado, no último jogo do Brasil na copa.

Realmente é um bolo rápido, fácil e gostoso!

Bolo pronto

INGREDIENTES

3 ovos

1 e 1/2 xícara de açúcar

2 xícaras de farinha de trigo

1 xícara de Nescau ou chocolate em pó

1/2 xícara de óleo

1 colher (sopa) de fermento

1 xícara de água quente

Para a cobertura:

1 lata de leite condensado

1 caixinha de creme de leite

3 colheres (sopa) de manteiga

massa do bolo

Bata os ovos, junte o açúcar, o óleo, o chocolate em pó e a farinha de trigo (não precisa usar batedeira).

Depois a água quente e por último o fermento.

Leve para assar em forma untada em forno pré aquecido, 180º.

Prepare a cobertura: misture o leite condensado e a manteiga e leve ao fogo mexendo sempre até formar um doce de leite.

Retire e acrescente o creme de leite.

bobo e cobertura

Jogue por cima do bolo e pode comer quentinho mesmo.

Fatia do bolo

DIA DOS NAMORADOS/ PRIMEIRO JOGO DO BRASIL

UAU!!!

As duas comemorações juntas?

Como vai ser?

coração verde e amarelo

Muito se tem escrito sobre o Dia dos Namorados e a estreia do Brasil na Copa e muito tenho lido sobre isso.

Sobre o primeiro, confesso que já nem comemoro mais… meus tempos de namoro já estão bem longe.

Sobre o segundo, sim: gosto de futebol!

Torço e sofro pelo meu time.

Assisto às partidas na TV e, quando não passa, ouço pelo rádio.

Agora, a Copa do Mundo é ainda mais emocionante!

Todos torcemos juntos pelo nosso país.

Penso e fico triste ao lembrar do desperdício de dinheiro, o uso desmedido dele e o quanto poderia ter sido feito em prol de uma vida mais digna para milhares de brasileiros que, esquecidos da dor, do sofrimento e da vergonha, vão pular, torcer e gritar hoje, na hora em que o jogo começar e, como eu, vestir o verde e amarelo.

E passo a observar o casal de namorados que se prepara para assistir o jogo na sala onde estou.

Os dois com a camisa da seleção.

Ele, ansioso, mal olha para ela, parece estar concentrado, contendo a respiração.

Ela, a olhar para ele, pegando em sua mão, esperando palavras ou gestos de carinho nesse dia que é dos dois.

– Será que ele se lembra? Será que comprou alguma coisa para mim?

E começa o jogo e as vozes de um Brasil inteiro cantam unidas ao bater de um só coração… bem próprio para hoje!

bola-brasil

E termina o espetáculo!

E é quando ele se lembra de olhar ao lado e tira da mochila um presente para ela.

Ela sorri feliz e rasga o papel, curiosa, retirando algo de dentro.

Chego mais perto ao ver a decepção estampada no rosto dela!

– Completo! Ele diz com ares de vitória!

Em suas mãos o presente: um álbum de figurinhas da Copa…

Imagens: 1) seuperfilmega.blogspot.com; 2) portalcapacitar.com.br