PAVLOVA

“A pavlova é um doce feito para homenagear Anna Pavlova, uma bailarina russa. Apesar disso, diz-se que essa sobremesa não é originária da Rússia e, sim, da Nova Zelândia. A pavlova é um grande suspiro com recheio no meio, como se fosse uma torta.”

Bem, fomos eu, minhas filhas e netos até uma confeitaria aqui em Campo Mourão.

A Viviane pediu a pavlova e nós, outras gostosuras, mas quando chegou a sobremesa dela, todos nós quisemos experimentar porque estava maravilhosa!

Resultado, passamos no mercado, compramos os ingredientes e resolvemos fazer juntas, cada qual com seu pratinho, a dita gostosura.

Claro que não fizemos o suspiro: compramos 2 pacotes de suspirinhos prontos.

Não compramos a nata e substituímos por creme de leite com açúcar.

Mas foi tão bom podermos juntas montar a nossa própria delícia que resolvi mostrar como fizemos.

Cada uma foi colocando as camadas no próprio prato de sobremesa.

Primeiro os suspirinho, amassados grosseiramente.

Depois colocamos o creme de leite misturado com uma colher de açúcar e em seguida os morangos cortados ao meio.

Em seguida, jogamos mais creme e suspiro e para finalizar, um morango inteiro.

Pois é… foi uma sucessão de risos, de alegria e de disputa para ver qual ficou mais bonito!

Tudo isso para comermos e sentir o quanto é bom partilhar a companhia uma das outras.

Eu, Viviane, Fabiane e Isadora, amamos tudo!!!

“MUITAS SÃO, SENHOR MEU DEUS, AS MARAVILHAS QUE TENS OPERADO PARA CONOSCO, E OS TEUS PENSAMENTOS NÃO SE PODEM CONTAR DIANTE DE TI; EU QUISERA ANUNCIÁ-LOS E MANIFESTÁ-LOS, MAS SÃO MAIS DO QUE SE PODEM CONTAR.” Salmos, 40- 5

BOLINHOS DIFERENTES

Precisou a vinda de minhas filhas para eu fazer essa delícia de bolinho que elas amavam!

São feitos com batatas, mas o sabor é…diferente!

INGREDIENTES

1/2 quilo de batatas cozidas com sal

100 gramas de manteiga

1 pacote de queijo ralado

4 ovos inteiros

1/2 xícara de farinha de trigo

3/4 de xícara de água

óleo para fritar

Primeiro cozinhe e amasse as batatas.

Reserve.

Em uma panela coloque a água e manteiga para ferver.

Jogue a farinha de trigo dentro mexendo para formar uma massa que desgrude da panela.

Tire do fogo e junte os ovos um a um, mexendo sempre.

Junte as batatas amassadas e o queijo ralado.

Leve para fritar (com o auxílio de uma colher) em óleo quente até dourar.

Atenção: eles dobram de tamanho ao fritar.

Gente, é bom demais!!!

“MAS, Ó HOMEM, QUEM ÉS TU, QUE A DEUS REPLICAS? PORVENTURA, A COISA FORMADA DIRÁ AO QUE A FORMOU: POR QUE ME FIZESTE ASSIM?” Romanos, 9- 20

O VÍDEO DA LIVE

Tudo passa…e a live já ficou na memória!

Foi uma noite linda com a presença do mestre de cerimônias FÁBIO SEXUGI e da presidente atual da Academia Mourãoense de Letras, DALVA HELENA DE MEDEIROS.

(Fábio e eu)

E meus filhos, nora e netos leram poemas e haicais!

Super emocionante!

O vídeo já está no Youtube, mas vou colocar aqui para quem não pôde assistir, ver!

O link para comprar o ACALANTO é: http://www.livrariaamolivros.com.br

“BOM É O SENHOR PARA OS QUE SE ATÊM A ELE, PARA A ALMA QUE O BUSCA. BOM É TER ESPERANÇA E AGUARDAR EM SILÊNCIO A SALVAÇÃO DO SENHOR.” Lamentações, 3- 25 e 26

BRINCADEIRAS DE UM PROFESSOR

Até aonde vai a inspiração e criatividade de um professor?

Pois bem, ela não tem limites!

Vou contar a vocês um feito de muitos anos atrás.

Conheci o professor GILL DE OLIVEIRA quando meus filhos estudavam no Colégio Marista Santa Maria e tinham aulas de Português com ele.

Apesar de rigoroso os alunos gostavam muito de suas aulas.

Bem mais tarde, eu trabalhando na Tecnologia Educacional do Positivo, encontrei o professor Gill que agora trabalhava na Editora Positivo.

Éramos “vizinhos”.

Sempre que nos encontrávamos, parávamos para conversar e como o refeitório era o mesmo, muitas vezes sentávamos juntos e trocávamos figurinhas.

Dei de presente a ele o meu primeiro livro “Um Pouco de Mim”que lancei em 2005 e ali mesmo, debruçou-se sobre ele, já começando a ler.

Passado alguns dias, ele me procurou e timidamente, me entregou 2 folhas escritas que tirou do seu bolso.

O que é isso? Perguntei.

– Ah, é uma brincadeira que fiz usando muitos dos títulos de suas poesias.

Quase caí de costas ao ler aquele papel: sim, são 38 títulos das 79 poesias do livro.

Vejam como ficou, com os títulos em negrito:

COISAS DA SÍLVIA

Lá vem o vento sibilando

a mesma canção da poeta.

É a Sílvia veloz assoviando

e valsando a valsa vienense

para tentar dizer a esse vento

somente Um Pouco de mim

e apenas um muito da vida

desta mulher contestadora.

——————–

Ela começa Redescobrindo

as Noites e Coisas da Vida

duns Catadores de Papel,

com muita Solidariedade,

para alimentar Outra Vez

aquele Menino Crescido

com Sonhos de Saudade.

——————–

Nunca irei esquecer vocês,

Mulheres Sozinhas carentes.

De Carência, Sempre Igual,

Considerando o Faz de Conta,

escondido nas Lembranças

das heroínas do Vendaval.

——————–

Eu Acho, Janela Fechada,

que Nunca Vou Esquecer

As Corujas da Pousada

no seu Estado de Graça.

Nem a Goleada Coxa Branca

com beijos de cachaça

no Poder da Caipirinha,

no copo da Tininha

pendurados num varal

esperando o carnaval.

——————-

Como eu queria Janelas Fechadas

cantar em Estado de Graça

para escrever que nem Fabiane

sobre meus Momentos de vida

e transformar todos em poesia

sem Diferenças e sem Descaso.

——————

E agora De Novo Você!

Mas O Que é Isso Mulher?

Não, Nunca Vou Esquecer:

Escolhas com Mudanças,

Momentos em Contrastes.

Fim de Caso, são Coisas da Vida!

(Gill de Oliveira; 10/11/2005)

Ao nos encontrarmos novamente, ele disse que logo me entregaria a segunda parte com os títulos que faltavam.

Não deu tempo…

Logo depois, ele virou uma estrela no céu e está lá a escrever poemas sem fim.

“POSSO TODAS AS COISAS NAQUELE QUE ME FORTALECE.” Filipenses, 4-13

ACALANTO ( MEU CAÇULA)!

Sempre chamo de filho os meus livros e falei sobre isso ao meu editor.

Então, numa tarde da semana passada, recebo uma ligação dele dizendo:

-Sílvia, tem uma criança aqui do meu lado chorando querendo a mãe!

Levei um milésimo de segundo até entender e soltar um grito: UAU!!!

Pois é.

O JAIR ELIAS DOS SANTOS JÚNIOR, da NOVA HISTÓRIA ASSESSORIA E GESTÃO CULTURAL, chegou trazendo nos braços, a minha criação!

Mas vamos começar do começo!

2020, um ano em que o mundo parou!

E fui desafiada a me submeter a novos hábitos de vida.

E em meio a tudo isso, eis que me encontro enclausurada, debruçando sobre textos guardados, a espera de saírem de suas gavetas.

Foi então que decidi reunir em um volume só, as Crônicas, Haicais e Poesias deixando pronto para depois que a pandemia passar (e ela vai passar), mostrar que em meio a reclusão, podemos sim continuar a sonhar.

E esse “ACALANTO” é mais uma realização de um sonho!

(Isso acima está escrito na orelha do livro)

Pensei muito em quem iria escrever o prefácio desse livro, mas quando pensei nele, foi como se sempre fosse dele essa tarefa: FÁBIO SEXUGI, presidente da ACADEMIA MOURÃOENSE DE LETRAS, biênio 2019 e 2020.

E ele escreveu tão lindamente que me emocionei ao ler!

A dedicatória também não foi difícil: “Para minhas filhas VIVIANE e FABIANE, com amor”.

É claro que já tenho outro preparado e que vai ser dedicado a meu filho PAULO EMÍLIO.

Essa capa linda foi obra do TIAGO SILVA ( o mesmo que desenhou a capa do nosso livro da Academia).

A revisão deixei a cargo da minha filha FABIANE PROHMANN, sendo que esse é o segundo livro que ela faz esse trabalho.

Agora, por que ACALANTO?

Porque esse nome remete a um momento único de carinho, prazer, de sentimento bom.

Me faz lembrar de uma cadeira de balanço, que é onde quero ficar contando histórias, declamando poesias, recitando haicais.

ACALANTO é um desejo profundo de estar em paz, conversando com você, meu amigo leitor.

Que possamos traduzir nesse embalo da palavra a sonoridade da minha alma para a sua.

(Isso está na contra capa do livro)

Já dei uma dica sobre ele em SPOILER- PALAVRA DA MODA em outro post.

No lançamento do livro O NASQUIMI DOURADO E OUTRAS HISTÓRIAS, pude fazer uma verdadeira festa com muitos convidados, coquetel, fotos, etc.

Veja lá em: Ele chegou!!!A festa para ele!!! como foi tudo lindo!

Esse ano, devido a pandemia, os lançamentos de livros estão sendo através de lives pelo Facebook, na página da Academia Mourãoense de Letras.

E é lá que farei assim que minhas filhas que moram fora do Brasil, chegarem.

Então é isso!

Aguardem para ler!!!

“POR TI TENHO SIDO SUSTENTADO DESDE O VENTRE; TU ÉS AQUELE QUE ME TIRASTE DO VENTRE DE MINHA MÃE; O MEU LOUVOR SERÁ PARA TI CONSTANTEMENTE.” Salmos, 71- 6

PUDIM DE GOIABADA

Para comemorarmos o Dia das Mães desse ano, levei essa sobremesa para o almoço na casa do meu filho que representou suas irmãs que moram longe.

Como eu, boa mineira, amo goiabada achei maravilhosa!

INGREDIENTES

400 gramas de goiabada

2 copos de requeijão cremoso

2 caixinhas de creme de leite

4 ovos

CALDA

1 pedaço de goiabada

1/2 copo de água

Primeiramente, forre todo o fundo de um pirex com fatias da goiabada.

Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem.

Despeje essa mistura sobre a goiabada e leve ao forno (180º) por cerca de 30 minutos ou até dourar.

Retire do forno e reserve enquanto prepara a calda.

Coloque os pedacinhos da goiabada em uma caneca com a água e leve ao fogo, mexendo até derreter. Cubra o pudim com ela.

Sirva morno ou frio, de qualquer maneira é delicioso!!!

Observação: fiz metade dessa receita acima porque estávamos apenas em três adultos.

“RETENHAMOS FIRMES A CONFISSÃO DA NOSSA ESPERANÇA, PORQUE FIEL É O QUE PROMETEU.” Hebreus, 10- 23

SPOILER- PALAVRA DA MODA!

“Spoiler é quando alguma fonte de informação, como um site, ou um amigo, revela informações sobre o conteúdo de algum livro, ou filme, sem que a pessoa tenha visto.”

Não gosto de usar palavras em inglês.

Como dizia minha mãe: “moro no Brasil, falo português, não tenho obrigação de usar palavras em inglês. Imagina se eu vou pedir um HOT DOG ao invés de CACHORRO QUENTE, nunquinha!”

Algumas palavras foram incorporando aos poucos em nosso modo de falar e… voltando ao spoiler eu diria: vou te dar uma DICA.

E sim, vou te dar uma dica ótima: meu livro novo está quase nascendo!

Se fosse uma gravidez, diria que está entrando no sétimo mês de gestação.

Mas como será ele então?

De que se trata?

Qual o nome?

Vou responder: como ele já tem irmãos, terão suas parecenças, é claro.

Trata-se de uma reunião de Crônicas, Haicais e Poesias.

O nome? ACALANTO.

A capa já está desenhada, os textos revisados e a editora contratada.

Mais do que isso não posso revelar, porque em lugar de “dica”, vou entregar tudo de uma vez…

Mas sonho em tê-lo nas mãos!

Dê uma olhada nos textos que escrevi “ENQUANTO ELE NÃO CHEGA” e “ELE CHEGOU!!! A FESTA PARA ELE” em fevereiro de 2018.

(Eu autografando meu último livro)

Como pode ser isso? Essa ansiedade, essa vontade de traduzir o pensamento em palavras e mostrar a todos aquilo que levamos tempo pensando, estudando até nos entregarmos a inspiração de escrever?

Cada vez é única e especial.

Bem, já dei meu “SPOILER” de hoje.

Isso para aqueles que amam uma palavra em inglês.

Imagem 1- Freepik; 2- Pinterest;

“TODAVIA, O FUNDAMENTO DE DEUS FICA FIRME, TENDO ESTE SELO: O SENHOR CONHECE OS QUE SÃO SEUS, E QUALQUER QUE PROFERE O NOME DE CRISTO APARTE-SE DA INIQUIDADE.” 2 Timóteo 2- 19

E A PRIMAVERA CHEGOU!

Não, eu não errei não!

É que enquanto aqui no Brasil entramos no Outono, em Portugal onde minha filha Fabiane mora, é Primavera!

E é de lá que ela nos manda esse texto com as fotos lindas que tirou.

(Essa é a varanda do seu apartamento em Lisboa, já festejando com flores a nova estação)

Primeiro dia de primavera no hemisfério norte, confinamento começou a dar uma aliviada – a conta gotas, é bem verdade, mas qualquer passo é um avanço!

Saio pelas ruas de Lisboa, meio sem destino.

Quero ver as flores, sentir o ar da nova estação e acreditar que os bons ventos estão chegando.

(Alfama)

Sinto alegria por ter passado mais de um ano de pandemia sem ficar doente e tendo minha família com saúde.

Ao mesmo tempo sinto uma tristeza por todos os que se foram.

Pelas ruas vazias e lojas fechadas, pelo silêncio, pela dor. 

(Panteão Nacional)

Também sofri perdas por causa do vírus.

Perdi pessoas, perdi de estar com meus amigos, perdi de ver minha família…

Mas, nesse misto de sentimentos, o que prevalece é a gratidão.

Sou muito grata a Deus por me dar forças diariamente, por cuidar dos meus, por encher meu coração de esperança de que dias melhores virão.

(Amendoeira)

(Miradouro de Santa Luzia)

Enquanto isso, aproveito para apreciar a cidade, ver a natureza colorindo as ruas, as flores brotando e a certeza de que Ele está no comando.

Por isso, posso descansar em paz.

(Por do sol no Cais do Sodré)

Bem, aí está o texto entre tantos que ela já escreveu para o blog, desde sua temporada na África do Sul até agora em Portugal.

E sobre esse mesmo assunto você pode ler em “O que podemos aprender com essa pandemia texto de março de 2020.

“APARECEM AS FLORES NA TERRA, O TEMPO DE CANTAR CHEGA, E A VOZ DA ROLA OUVE-SE EM NOSSA TERRA.” Cantares, 2- 12

f

SE ESSA RUA FOSSE MINHA

Essa é uma canção antiga que minha mãe tocava ao piano e cantava.

Eu sempre achava muito triste e muitas vezes até chorava…

Muitos anos depois, assistindo o vídeo da “Galinha Pintadinha”, não é que ouvi tocar essa música?

E eu voltei a me emocionar do mesmo jeito.

Não sei o que é, se a letra ou a melodia que me toca mais…

Não sei.

Mas estou escrevendo sobre isso porque hoje recebi um whatsApp da minha filha Fabiane, que mora em Lisboa, com uma foto da rua em que mora.

(Esse texto escrevi bem antes da pandemia!)

Era para mostrar o céu azul (lá ainda é inverno), mas eu me encantei com a rua, e respondi:

-se essa rua, se essa rua fosse minha…

Veio assim na minha mente e cantarolei várias vezes durante o dia, sempre com aquele sentimento doído.

A letra é essa:

Se essa rua
Se essa rua fosse minha
Eu mandava
Eu mandava ladrilhar
Com pedrinhas
Com pedrinhas de brilhantes
Para o meu
Para o meu amor passar

Nessa rua
Nessa rua tem um bosque
Que se chama
Que se chama solidão
Dentro dele
Dentro dele mora um anjo
Que roubou
Que roubou meu coração

Se eu roubei
Se eu roubei teu coração
É porque
É porque te quero bem
Se eu roubei
Se eu roubei teu coração
É porque
Tu roubaste o meu também

(Compositores: Mario Lago / Roberto Martins).

Pois é…

Juntei algumas fotos das ruas de lá que minha filha enviou e coloco aqui para vocês apreciarem.

A propósito: minha rua não tem pedrinhas de brilhantes, nem bosque, muito menos solidão.

Anjo? Ah isso tem; só que nos meus sonhos…

“PORQUE O FILHO DO HOMEM VIRÁ NA GLÓRIA DE SEU PAI, COM OS SEUS ANJOS; E, ENTÃO, DARÁ A CADA UM SEGUNDO AS SUAS OBRAS.” Mateus, 16- 27

A ARTE CONSTRUINDO UM PLANETA MELHOR!

Aqui em nossa cidade, Campo Mourão-Pr, tivemos dois eventos essa semana muito importantes e tudo a ver com o texto de hoje.

O primeiro, organizado pela primeira dama do município Hosana Tezelli, tem o nome de “CIDADE LIMPA, CIDADE VERDE” onde moradores de todos os bairros se unem para a limpeza e restauro de nossas praças, ruas e casas.

O segundo e não menos importante, foi a entrega do troféu José Moser, pela ACADEMIA MOURÃOENSE DE LETRAS a inúmeros artistas plásticos de nossa cidade, de Peabiru e Mamborê.

Um reconhecimento àqueles que traduzem em arte o sentimento mais profundo de cada um.

E nesse embalo ecológico, recebo esse texto tudo a ver, da minha filha jornalista Fabiane.

Como sempre, ela escrevendo com autoridade e conhecimento de causa!

Vocês vão gostar!!!

“A arte de reutilizar o lixo para desenvolver a consciência social”

Bordalo II consegue, com suas esculturas, criar arte a partir do desperdício.

Novembro de 2017. O bairro do Beato, em Lisboa, se transforma num dos lugares mais concorridos da capital portuguesa. A fila de aproximadamente duas horas é para ver a primeira exposição de Bordalo II, o artista que faz do lixo, arte. Intitulada Attero (substantivo latino para desperdício), em 20 dias atraiu mais de dez mil pessoas.

(Exposição Attero em Lisboa – crédito: Fabiane Prohmann)

Maio de 2018.

Terminal da Lapa, Zona Oeste, São Paulo. Avenida das Américas, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

À primeira vista você pode não entender qual a relação desses dois endereços. Menos ainda, se associarmos isso à história do parágrafo acima. Mas acredite, esses três lugares estão interligados pela arte.

Artur Bordalo, 31 anos, nascido em Lisboa, é o responsável por isso. As duas maiores cidades brasileiras foram presenteadas com suas obras – o bicho preguiça e o lobo guará mostram não apenas o talento desse artista, mas principalmente faz uma crítica ao mundo em que vivemos, onde o desperdício é comum e coisas perdem seu valor ou utilidade rapidamente.

(Bicho preguiça em São Paulo – crédito: Reprodução / Facebook)

 (Lobo guará no Rio de Janeiro – crédito: Reprodução / Facebook)

“Eu pertenço a uma geração extremamente consumista, materialista e gananciosa. Com a produção das coisas em seu nível mais alto, a produção de ‘resíduos’ e objetos não utilizados também é mais alta.

‘Waste’ é citado por causa de sua definição abstrata: “o lixo de um homem é o tesouro de outro homem”. Eu crio, recrio, reúno e desenvolvo ideias com material em fim de vida e procuro relacioná-lo à sustentabilidade, consciência ecológica e social”. (www.bordaloii.com)

( Entrada do atelier de Bordalo II, em Lisboa – crédito: Fabiane Prohmann)

Criatividade vem de berço para esse artista, neto do pintor Real Bordalo (1925-2017), conhecido pelos óleos e aquarelas que retratam paisagens urbanas, em especial edifícios e locais históricos de Lisboa.

Para dar forma à sua arte, Bordalo II utiliza caixotes de lixo, mangueiras, rodas de bicicleta, garrafas pets, para-choques de automóveis, caixas de papel, lixo tecnológico, contentores partidos, móveis, entre outros.

( Big Trash Animal: o gato, no Parque das Nações, em Lisboa – crédito: Reprodução / Facebook)

As suas esculturas mais conhecidas fazem parte da série denominada Big Trash Animals, e podem ser encontradas em cidades como Lisboa (Portugal), Paris (França), Hamburgo e Berlin (Alemanha), Santiago (Chile), Talin (Estônia), Lódz (Polônia), San Nicolas (Aruba), Pataya (Tailândia), Las Vegas e São Francisco (Estados Unidos), Rio de Janeiro e São Paulo, entre outras.

E você, já se deparou com alguma obra de arte do Bordalo II?

____________________

Assim ela encerra seu texto, deixando para todos nós o sentido do dever e comprometimento que devemos ter em relação a cultura, aproveitamento e cuidado de nosso planeta.

Obrigada, filha!!!

“FAZE-ME SABER OS TEUS CAMINHOS, SENHOR; ENSINA-ME AS TUAS VEREDAS. GUIA-ME NA TUA VERDADE E ENSINA-ME, POIS TU ÉS O DEUS DA MINHA SALVAÇÃO.” Salmos, 25- 4 e 5