UM CAMINHO PARA A LIBERDADE

Férias é sempre assim: vou até uma livraria para escolher um livro com o intuito de ler durante o período de folga.

Geralmente já vou com algum na cabeça, mas dessa vez fiquei olhando, lendo as orelhas, a contra capa, passando de um a outro, até que achei esse.

Essa autora já era minha conhecida, desde que li “A Última Carta de Amor”em 2015 e que reli em outubro de 2019 com o mesmo encantamento da primeira vez.

É também dela o livro “Como eu era antes de Você”, que virou um filme visto por milhares de pessoas chorosas em todo o mundo.

Bem, mas voltando a esse em questão: chorei muitas e muitas vezes!

A história é emocionante e conta a trajetória de cinco mulheres no ano de 1930 e que enfrentam uma cidade inteira por amor aos livros.

Juntas, descobrem o poder do conhecimento, da liberdade e da amizade.

(Jojo Moyes)

A ideia delas é formar uma biblioteca itinerante e levar livros para os moradores mais pobres da região.

E elas enfrentam preconceitos, dificuldades com o tempo gelado, aprendem a andar à cavalo e atirar, mas afinal quem disse que ganhar a liberdade é algo fácil?

Eu amei demais essa história, por isso compartilho com vocês.

“AFASTA, POIS, A IRA DO TEU CORAÇÃO E REMOVE DA TUA CARNE O MAL, PORQUE A ADOLESCÊNCIA E A JUVENTUDE SÃO VAIDADE.” Eclesiastes, 11- 10

 

UM SÁBADO NA FAZENDA SANTA HELENA

Dalva Araci Lopes Medeiros, uma mulher sábia que aos 81 anos recebeu homenagem da Câmara da Mulher Empreendedora em reconhecimento ao seu trabalho, numa linda festa em maio passado.

E nós que fazemos parte da CME fomos até sua casa, em uma fazenda, onde ela com seu espírito empreendedor, transformou o local em um lugar para eventos.

Ônibus fretado, lotado, e todas numa animação até a chegada lá.

Quem nos recebeu foi ela própria ao lado de seu filho que nos levou a conhecer toda a instalação.

Era só celular tirando fotos daqui e dali, tanta coisa linda para ser registrada e ser vista de novo em casa com carinho.

A casa de paredes tortas e quase centenária que é como se fosse um museu, tantas pequenas coisas usadas antigamente e que vai despertando em nós aquela nostalgia de tempos passados.

O escritório onde seu marido escrevia (ele é falecido) continua intacto como se ele ainda estivesse por ali escrevendo poemas, livros e textos que fizeram dele um membro da Academia Mourãoense de Letras.

Tudo ali contrasta com a modernidade do salão de festas onde pudemos ouvir a doce senhora Dalva, nos contar sua história.

E o café colonial que nos ofereceu?

Só de lembrar dá água na boca!

Agora o que não posso esquecer mesmo, é que fui tirar uma foto ao lado de uma árvore linda, florida e que tinha ao lado um grande cacto com flores.

Não sei como foi, se encostei sem querer, só sei que de repente senti como se mil espinhos me espetassem.

Saí correndo até o banheiro e fui tirando casaco, camiseta procurando algum bicho ou formigas, mas nada!

Não se via nada!

Eram minúsculos, invisíveis como uma poeira mas que me pinicavam sem dó!

Meu corpo ficou com pequenas manchas grosseiras e até em outros dias, senti os espinhos em meu corpo.

Sei lá o que foi…

Procurei no Google, mas não encontrei nada que me desse uma explicação.

Mistério!

Saímos de lá bem a tardinha, sentindo ainda o abraço gostoso dessa senhora linda que uma vez, em seus poemas, o marido definiu mais ou menos assim:

“Dalva, uma estrela em minha vida, minha estrela Dalva!

Isso se chama amor!

“A NINGUÉM DEVAIS COISA ALGUMA, A NÃO SER O AMOR COM QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS; PORQUE QUEM AMA AOS OUTROS CUMPRIU A LEI.” Romanos, 13- 8

 

O FINO DA BOSSA

Quando eu estava quase desistindo de poder assistir um BOM programa de música na TV, eis que aparece na Record essa maravilha!

Sim, porque o que tenho visto na Globo nunca pode ser considerado um programa musical, com Anitas, Jojôs e Pablos!!!

Começou às 23:30 dessa terça feira, dia 11, e até coloquei o relógio do celular para lembrar-me!

Valeu à pena!

O Fino da Bossa foi um programa dos anos 60, comandado por Elis Regina e Jair Rodrigues e que ficou na história por trazer cantores e compositores da mais alta estirpe.

Eu era bem jovem e não perdia um programa em nossa TV preto e branco.

Elis se foi cedo, com apenas 36 anos, mas deixou seus filhos Pedro Mariano e Maria Rita como seus sucessores.

Jair viveu até 2014 e sua filha Luciana Mello foi quem apresentou o programa ao lado de Pedro Mariano.

Por ali desfilaram: Alcione, Gilberto Gil, Simoninha, Jairzinho, Elza Soares, Diogo Nogueira, Marcos Valle, Fernanda Takai, Paula Fernandes, Kell Smith, Projota, Iza, Max de Castro, Roberta Sá.

Cantaram divinamente!

Simoninha cantando “Meu Limão, meu limoeiro”, me fez lembrar tanto de seu pai, Wilson Simonal, que com seu sorriso, covinha e swing, encantava a todos!

Destaque para Jairzinho (filho de Jair Rodrigues) e sua irmã Luciana cantando “Disparada” com o pai no telão e Pedro Mariano cantando “Terra de Ninguém” com sua mãe Elis, também no telão.

Emocionante!

Ao piano, Daniel Jobin, neto de Tom Jobin!

E músicas como: Garota de Ipanema, Domingo no Parque, Samba de Verão, Desafinado…

Canções de Tom, Vinícius, Menescal, Carlos Lyra, Toquinho e outros grandes!

E eu empolgada cantando junto (fazia muito tempo que não cantava alto com as letras na ponta da língua):

Wave (Tom): vou te contar, os olhos já não podem ver

coisas que só o coração pode entender

fundamental é mesmo o amor

é impossível ser feliz sozinho…

Ou, dele também:

Este teu olhar

quando encontra o meu

falam de uma coisa

que nem posso acreditar

doce é sonhar

é pensar que você

gosta de mim

como eu de você…

Ou ainda:

Se todos fossem iguais a você

que maravilha viver…

As horas passaram e não vi.

Fiquei querendo muito, muito mais!

Tomara que outros programas desse nível e qualidade possam entrar na grade dessa emissora para trazer um pouco de qualidade para nossos ouvidos, cansados de ouvir tanta bobagem!

“LOUVAREI AO SENHOR DURANTE A MINHA VIDA; CANTAREI LOUVORES AO MEU DEUS ENQUANTO VIVER.” Salmos 146- 2

 

 

 

 

ELE CHEGOU!!! A FESTA PARA ELE!!!

Lembro de uma música que se cantava nos tempos da jovem guarda, que dizia assim:

“Quando o carteiro chegou e meu nome gritou com uma carta na mão, ante surpresa tão rude, nem sei como pude chegar ao portão…”

Ele nem gritou meu nome, mas sim tocou a campainha e nem fiquei surpresa porque já esperava a qualquer hora que ele chegasse.

Ah como é gostoso receber pronto, cheirando novo, a sua última cria!

Tudo começou com uma vontade enorme de escrever para essa faixa etária que faz parte da literatura infantojuvenil e que possui poucas histórias dedicadas a ela.

Seu nome: O NASQUIMI DOURADO E OUTRAS HISTÓRIAS.

(Marcadores de páginas)

E não me perguntem o que é Nasquimi porque só saberão, ou não, quando lerem a história.

As demais são: “O Caso do Bilhete Perdido”, “O Jardim dos Três Desejos” e “Aventuras na Ilha”.

São 64 páginas e a editora é a Multifoco do Rio de Janeiro.

A capa. convites e marcadores, ficou a cargo da Estúdio Arte daqui da cidade com a competência do casal querido Rafael e Vanieli.

Bem, aí vamos para a parte mais difícil que é a organização do evento.

Afinal tenho que apresentá-lo em grande estilo!

Começamos pelo convite, que hoje em dia nem se imprime mais e vamos enviando por whatsApp e e-mails.

Segue a encomenda do coquetel, das flores e tenho a ajuda das incansáveis funcionárias da biblioteca.

(Aqui os livros editados, antologias e revistas que participei)

A nossa Biblioteca é muito linda e foi fácil deixarmos tudo muito aconchegante e gostoso.

Nessa foto, temos a Mestre de Cerimônia (Fátima Braga) fazendo a abertura, logo depois eu discursei e em seguida fez-se a fila para os autógrafos.

Meu filho Paulo Emílio e minha nora Patrícia, foram representando minhas duas filhas e o Cesinha, representando os outros três netos.

Esse livro foi dedicado aos meus quatro netos: Isadora, Heitor, Cesar e Daniel que me proporcionam momentos indescritíveis de amor e me fazem voltar a ser uma Contadora de Histórias.

Paulo foi meu fotógrafo (apesar de na foto acima, seu filho estar fotografando) e se saiu muito bem (vejam as fotos lindas que estou postando); e a Pati foi minha tesoureira, agilizando a venda dos livros.

Na foto acima, estão as amigas Tricocheteiras, que fazemos um trabalho voluntário à pessoas carentes; abaixo, as meninas da biblioteca, Simone, Luciana, Vivian e Kelli.

Aqui, com o Prefeito da nossa cidade, Tauillo Tezelli que prestigiou o lançamento e com amigas da Academia Mourãoense de Letras.

E, em seguida, fotos das pessoas queridas que foram me abraçar!

 

Foram momentos muito gratificantes e que ficarão marcados para sempre!

Transcrevo para vocês, o final do meu discurso onde digo: “Monteiro Lobato escreveu certa vez que quem escreve um livro, cria um castelo; quem o lê mora nele. Eu já morei em muitos castelos, pois sempre li muito; agora eu criei esse castelo e quero que vocês venham comigo morar nesse lugar de sonhos, encantamento, onde tudo é poesia e amor.Ele chegou! Aproveitem!”

“O SENHOR É A MINHA FORÇA E O MEU ESCUDO; NELE CONFIOU O MEU CORAÇÃO, E FUI SOCORRIDO; PELO QUE O MEU CORAÇÃO SALTA DE PRAZER, E COM O MEU CANTO O LOUVAREI.” Salmos, 28- 7

 

 

 

 

 

ANO NOVO!

Mais um ano juntos!

Quanta coisa aprendemos e ensinamos através desse blog!

E aproveito para relembrar com vocês, o que já compartilhei aqui.

Em 02 de janeiro de 2014, postei três poemas sobre esse começo de ano, com o título de “Poetizando o Ano Novo“:

“Primeiro de Janeiro”, um pequeno poema de minha autoria.

“Poema de Dezembro”, de Drummond.

“Ano Novo”, de Quintana.

Em 31 de dezembro de 2015, deixei uma mensagem com o título de “Um Feliz Ano Novo“.

E hoje, o que posso desejar a vocês, leitores amigos?

Acabei me lembrando de uma mensagem gravada em que meu neto Heitor, de cinco anos, disse para mim:”Eu te amo, vovó; beijos; flores!”… isso é tudo que queremos, ser amados e ter flores em nossos caminhos!

Que seja assim para todos nós!

Imagens: 1) calendariosgratuitos.blogspot.com.br; 3) floraqueen.com

” NÃO VOS LEMBREIS DAS COISAS PASSADAS, NEM CONSIDEREIS AS ANTIGAS. EIS QUE FAREI UMA COISA NOVA, E, AGORA, SAIRÁ À LUZ; PORVENTURA, NÃO A SABEREIS?” Isaías, 43- 18 e 19

 

 

 

 

HOJE É NATAL!

Estou em Curitiba passando esse Natal com Viviane, André, Isadora e Heitor.

Fabiane, em Portugal…

Paulo Emílio, Pati, Cesinha e Daniel, em Balneário Camboriú…

Mas o importante é que mesmo longe deles, a conexão de amor permanece!

E isso vem do amor maior, daquele que hoje comemoramos o nascimento: Jesus!

Já escrevi nesses anos todos de blog, muitas coisas sobre esse dia e, portanto, passo os links para que vocês leiam.

Em dezembro de 2013, coloquei um poema meu, “Sobre o Natal“.

Em 2014, três novos posts cada um com uma reflexão.

Reflexões Natalinas I“: são lembranças dos natais da minha infância.

Reflexões Natalinas II“: um relato sobre São Nicolau, origem do nosso Papai Noel e um poema (desconheço a autoria) que recitei muitas vezes há muitos anos atrás…

Reflexões Natalinas III“: um texto emocionante sobre o verdadeiro espírito do Natal.

Em dezembro de 2015, coloquei um poema lindo do meu pai, em que ele descreve a saga de José e Maria na procura de um lugar onde Jesus pudesse nascer.

Não Havia Lugar

Que nesse dia, haja paz nos corações, amor pelas pessoas, luz para iluminar nossos caminhos e a presença de Jesus em nossas vidas!

Viva o Natal!!!!!!!

“PORQUE UM MENINO NOS NASCEU, UM FILHO SE NOS DEU; E O PRINCIPADO ESTÁ SOBRE OS SEUS OMBROS; E O SEU NOME SERÁ MARAVILHOSO CONSELHEIRO, DEUS FORTE, PAI DA ETERNIDADE, PRÍNCIPE DA PAZ.” Isaías, 9- 6

 

FILOSOFANDO…

Fiquei horas com a caneta nas mãos, sobre a folha em branco.

Faz tempo que não escrevo…

Que coisa escrever?

Sobre o tempo, sobre flores, passarinhos, livros, canções?

Acho que já esgotei esses temas…

Então sobre amizade, família, netos, amor, velhice, o que acha?

Viagens talvez?

Política? Nem pensar!!!

Quero esvaziar minha mente e ficar saboreando momentos como esse em que procuro um tema e não encontro nenhum.

Hoje o dia começou mais tarde; é assim mesmo o horário de verão.

Ouço muitas pessoas que dizem gostar ou não dessa mudança que, para mim, não altera nada: nem minha saúde e nem meus hábitos.

Mas o dia está azul e os passarinhos parecem estar meio perdidos nessa mudança que o homem impõe…

Ontem a essa hora as luzes da rua já estavam acesas e hoje o sol ainda brilha forte.

Gostaria que chovesse…

Minhas plantas estão ressequidas e o pó permeia pelas frestas das portas e janelas.

Gosto da chuva como gosto do sol.

Tudo é necessário e perfeito!

Em momentos assim meu pensamento cria asas e voa para outros continentes em busca de minhas filhas e netos.

A saudade dói!

E, quando dou por mim, a folha já está repleta de palavras e sentimentos e nem sei bem o que escrevi…

Vou lendo desde o começo e vejo que reprisei todos os assuntos que achava ter esgotado…

E noto com prazer que acabei escrevendo sobre coisas da vida, a minha vida e isso acaba sendo um assunto inesgotável!

Imagens: 1) duvidas.dicio.com.br; 2) goconqr.com; 3) mixdereferencias.blogspot.com

” QUANDO VEJO OS TEUS CÉUS, OBRA DOS TEUS DEDOS, A LUA E AS ESTRELAS QUE PREPARASTE; QUE É O HOMEM PARA QUE TE LEMBRES DELE? E O FILHO DO HOMEM, PARA QUE O VISITES?” Salmos, 8- 3 e 4

UM BEBÊ EM NOSSAS VIDAS

“Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo!” José Saramago.

image

E Daniel chegou há 17 dias trazendo alegria para seu papai Paulo Emílio, mamãe Patrícia e maninho Cesar ( e todos nós também!).

image

Essa foto tirei na porta do apartamento enquanto Pati se arrumava para entrar no centro cirúrgico.

image

Essas são as lembrancinhas em uma caixa e ao fundo a foto dos quatro (Daniel ainda na barriga da mamãe…)

image

Dentro uma caixinha com pão de mel (maravilhoso, da amiga Michelle), um cartão de agradecimento e um calendário de mesa.

image

Nesse calendário tem a poesia que fiz para meu neto, antes dele nascer (leiam no Chá de Natal do Daniel).

image

Para esperar as visitas, mais docinhos lindos da Michelle.

E se antes a família já era feliz, imagina agora com mais esse presente de Deus!

image

Os dois irmãos!!!

Que cena mais linda: Cesinha olhando embevecido o seu maninho que parece sorrir…

É muito amor!!!

E assim reparto com vocês mais esse momento emocionante da minha vida de avó!!! 

“FALOU DANIEL E DISSE: SEJA BENDITO O NOME DE DEUS PARA TODO O SEMPRE, PORQUE DELE É A SABEDORIA E A FORÇA.” Daniel, 2- 20

 

50 ANOS!!! JÁ???

O ano era 1966.

Ditadura militar, Beatles, Elvis (ai como eu amava…), O Dólar Furado, Copa do Mundo, mini saia, guerra do Vietnã, Quero que vá tudo pro inferno, Instituto de Educação…

Nós, as normalistas.

img_2613-2

Como cantava Nelson Gonçalves:

“Vestida de azul e branco

trazendo um sorriso franco

no rostinho encantador,

minha linda normalista

rapidamente conquista

meu coração sem amor…”

E a gente conquistava: namorados, noivos e até maridos!

E como o tempo passou rápido!

convite

(Nosso convite de formatura)

formatura

(Mirian Gonçalves, Maria de Fatima Meyer Costa, Regina Siéli Boryça e eu)

oradora

(Desde sempre, gosto de falar…)

Daquela formatura no antigo Cine Vitória, até hoje, cada uma das 34 alunas da 6ª turma (foram sete turmas), tomamos nossos diferentes rumos.

alunas

(As formandas da minha turma)

outra-viagem

(Viagem que fizemos pelo Paraná indo até Asunción, Paraguai)

viagem

(Que grupo animado!!!)

guaira

(Eu, Maria de Fátima e Regina conhecendo as Sete Quedas)

E aí fizemos novos cursos, tivemos filhos e agora netos.

Os cabelos embranqueceram e quando olhamos para trás vemos o filme passando, assim, devagar com as risadas fáceis que um dia tivemos, com aquela sensação que a vida era ali naquele momento e que os 50 anos… ah, esse iria demorar muito para chegar.

Mas ele chegou!

E com as facilidades dessa era de informática, fomos conseguindo encontrar algumas “meninas” embora muitas tenham mudado o sobrenome e não tivemos sucesso.

Ainda somos sete!

Alem de mim, Beatriz, Cleide, Joarina, Maria de Lourdes, Nadzieja e Sonia.

Queremos reunir essa turma para podermos olhar umas para as outras, relembrar viagens, professoras, conversas que tivemos.

Quem sabe até o final do ano seremos mais!

Porque comemorar é preciso!

Meio século merece!!!

E que venham ainda muitos encontros e muitas comemorações!

50anos

(Imagem dos 50 anos: http://www.rotadenoticia.com.br)

“BENDIZE, Ó MINHA ALMA, AO SENHOR, E NÃO TE ESQUEÇAS DE NENHUM DE SEUS BENEFÍCIOS.” Salmos, 103- 2

 

REAPROVEITANDO SOBRAS

É…não está fácil prá ninguém hoje em dia!

Alimentos caros e nós, donas de casa, tendo que nos reinventar!

Hoje foi assim: o que vou fazer para meu almoço?

Abri o congelador e lá encontrei um pote com carne moída temperada e pronta (com certeza sobra de recheio de panquecas) e um pacotinho de milho verde cozido (natural).

Vi uma caixinha de creme de leite aberta (usada uma parte ontem no recheio de um bolo de pote) e um copo de requeijão cremoso.

ingred.carne

Ulalá!!!

Já vai dar uma mistura mais que deliciosa para eu comer com um arroz branco, pensei.

Primeiro coloquei a carne em uma panela e provei para ver se precisava de mais algum tempero.

Perfeita!

Juntei o milho verde (que quando sobra alguma espiga cozida, retiro os grãos e congelo).

Vá aprendendo!

carne com milho

Deixei ferver e juntei o requeijão cremoso.

Depois, o creme de leite.

com requeijão

Fiz o meu prato e saboreei pensando em como podemos reaproveitar aquilo que guardamos com cuidado.

Essa é uma dica importante: tudo que for congelar, coloque em embalagens ou sacos plásticos limpos e… etiqueta neles (com nome e data) para saber tudo que tem em seu congelador.

prato feito

Ficou com vontade?

Reinvente suas próprias sobras com inteligência e amor!

“PORTANTO, NÃO VOS ENTRISTEÇAIS, PORQUE A ALEGRIA DO SENHOR É A VOSSA FORÇA.” Neemias, 8- 10