A VELHA MÁQUINA DE ESCREVER

Dia dois de dezembro desse ano, comemoramos os 25 anos da AME (Associação Mourãoense de Escritores) e foi lançada mais uma Antologia com a participação de 25 escritores.

A presidente em exercício, Silvania Maria Costa, enviou aleatoriamente, 25 fotos sendo uma para cada, com a mensagem que deveríamos escrever um poema ou texto sobre aquela foto recebida.

A que recebi foi a seguinte.

E saiu assim.

A VELHA MÁQUINA DE ESCREVER

Tac, tac, ta, tac…

É assim que eu ouvia o som batendo nas teclas daquela máquina de escrever.

Antiga, como eu.

Mas eu era menina ainda quando via meu pai, sentado em sua cadeira do escritório, tocar aquelas teclas.

Era música para meus ouvidos, pois sabia que meu pai estava em casa, bem perto de mim.

Tac, tac, tac, tac…

E daquelas folhas brancas saiam seus poemas, cartas e sermões.

Meus filhos não conheceram esse tipo de máquina, muito menos meus netos.

E foi nela que eu, seguindo os passos de meu pai, aprendi a escrever tirando também poemas, cartas e histórias.

Hoje em dia, elas só existem em museus e no google.

E também nessa foto que me fez relembrar o passado já distante e quase ouvir o tocar das teclas.

Tac, tac, tac, tac…

“E SEJA O VOSSO CORAÇÃO PERFEITO PARA COM O SENHOR, NOSSO DEUS, PARA ANDARDES NOS SEUS ESTATUTOS E GUARDARDES OS SEUS MANDAMENTOS…” I Reis, 8-61

A MAGIA DE ESCREVER

A MAGIA DE ESCREVER

Sou mágica, acreditem!

Transformo pensamentos em letras,

que se transformam em palavras,

para tudo virar poesia,

contos, histórias,

na mais perfeita harmonia.

—–

Gosto de escrever.

Sinto-me plena quando

minhas mãos parecem ter vontade própria

e tecem poemas que voam

para outros mundos

levando toda minha história.

—–

Gosto do cheiro do livro.

Do novo, do velho.

De sentir em meus dedos

o toque das páginas passando

uma a uma,

como melodia tocando.

—–

Só quem escreve

sabe o poder que recebeu.

Transformar mentes,

instigar o leitor

a imaginar, exercitar, criar!

É sou mesmo mágica!

Imagens: 1) Freepik; 2) Espaço Cognita

“DESPERTA, GLÓRIA MINHA! DESPERTA, ALAÚDE E HARPA! EU MESMO DESPERTAREI AO ROMPER DA ALVA.” Salmos, 57- 8

POESIA PARA O ANO NOVO EM VÍDEO

Escrevi essa pequena poesia há muito tempo atrás, mas sinto que passei uma mensagem meio pessimista nela… não sei não.

Deixo então, agora, o meu desejo profundo de um novo ano repleto de bons acontecimentos, novos recomeços e uma bênção antiga e especial.

“O SENHOR TE ABENÇOE E TE GUARDE; O SENHOR FAÇA RESPLANDECER O SEU ROSTO SOBRE TI E TENHA MISERICÓRDIA DE TI; O SENHOR SOBRE TI LEVANTE O SEU ROSTO E TE DÊ A PAZ.” Números, 6- 24, 25 e 26

POESIA EM VÍDEO II

Aos poucos vou conseguindo gravar novos vídeos e colocando no Youtube.

Além de escrever as poesias, gosto de ler e muitas vezes até encenar as que estou lendo.

Me divirto muito!!!

Aqui nesse post, Poesia em Vídeo, estão as primeiras que gravei e hoje coloco mais algumas.

A primeira é ÁFRICA onde estive por duas vezes e… me encantei!

A segunda, ofereço ao meu time do coração: GOLEADA COXA BRANCA, onde presenciei tudo isso que conto.

Essa abaixo, UM POUCO DE MIM, é a poesia que abre meu primeiro livro, do mesmo nome.

E essa última (para não cansar vocês), chama-se MINEIRA em homenagem às mulheres mineiras como eu.

Então, divirtam-se e, como dizem por aí, curtam e deixem o seu like!!!

“TUDO QUANTO TEM FÔLEGO LOUVE AO SENHOR! LOUVAI AO SENHOR!”Salmos, 150- 6

UMA POESIA DE NATAL EM VÍDEO

Ah o Natal!

Já escrevi muito sobre ele e cada vez ele me inspira a escrever mais.

Hoje deixo essa minha poesia em vídeo, esperando que ela fale aos corações de vocês e aproveito para deixar aos meus mais de 216.000 visualizadores desse blog em mais de 40 países, meus votos de um Natal feliz e abençoado por Deus!

“GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS, PAZ NA TERRA, BOA VONTADE PARA COM OS HOMENS!” Lucas, 2- 14

TORTA DA NONNA

Fiz essa torta exatamente como a receita, mas de uma próxima vez, farei com minha massa podre que dá menos trabalho e fica tão boa quanto.

INGREDIENTES

Massa (Pâte Sablée)

“A Pâte Sablée é uma massa para torta mais arenosa, que desmancha na boca, mas não chega a ser uma massa podre. Ela é uma massa quebradiça por causa da manteiga que deve ser incorporada na massa em temperatura ambiente, o que impermeabiliza a farinha, deixando a massa com essa característica.” Danielle Noce

Massa

150 gramas de manteiga gelada e em cubos

225 gramas ou 1 e 1/2 xícara de farinha de trigo

2 colheres (sopa) de água

Recheio

2 latas de leite condensado

150 gramas de castanhas do pará

Comece pela massa.

Em uma tigela junte a manteiga gelada com a farinha de trigo.

Com a ponta dos dedos, misture grosseiramente formando uma “areia molhada”; procure não manusear muito a massa para não aquecer a manteiga. Dessa forma a massa fica mais crocante.

Acrescente a água gelada até obter uma massa compacta, lembrando que tanto a manteiga quanto a água devem estar bem geladas.

Vá juntando pedacinhos da massa até forrar o fundo e laterais de uma forma com fundo removível.
Leve ao freezer por 15 minutos.

Enquanto isso, aqueça o forno a 180º e pique as castanhas.

Com a massa já geladinha, coloque o leite condensado sobre ela ainda crua.

Espalhe as castanhas por cima.

OBSERVAÇÃO: se você olhar com atenção na foto acima, vai notar que a massa que fiz não deu o suficiente para cobrir a lateral da forma… por isso o melhor mesmo é fazer a tradicional como a que coloquei aqui na receita de Empadão de Massa Podre, claro que não colocando sal e nem o açúcar, visto que o leite condensado vai adoçar bem.

O resultado é uma torta requintada, muito saborosa e facílima de fazer!

“PORQUE AQUILO QUE ESTÁ DETERMINADO SERÁ FEITO.” Daniel, 11- 36

DEZEMBRO E SEU COMEÇO

Só se passou 10 dias desse mês e como já tenho mil coisas para contar!

Dezembro é assim mesmo: parece que é até mais curto que os demais porque acumula festas, encerramentos, amigo secreto, compras, viagens, etc.

No dia 02, comemoramos os 25 anos da AME (Associação Mourãoense de Escritores) e o lançamento de mais um livro!

Escreverei sobre essa Antologia em uma próxima vez.

Na foto acima, temos a Iza como mestre de cerimônia, a Silvania, presidente da AME, Luciana, representando o Secretário de Cultura Roberto Cardoso, Dalva, presidente da AML e Rosinaldo, presidente da AMEM (Associação Mourãoense de Escritores Mirins). E logo abaixo, Silvania.

Na primeira foto, recebo das mãos da Luciana, o livro “Entre Letras e Lentes” do qual faço parte; na segunda foto aproveito para fazer uma pose com ele…

Aqui já virou festa: com amigos, com Giselta e com Fátima.

Muita animação e encontro de pessoas que não se viam há bastante tempo.

No dia 03, fui convidada para integrar a comissão de avaliação do Primeiro Concurso de Poesias “Girassóis em Versos” da Escola Municipal São José, em Peabiru.

Foi uma live apresentada pelo nosso confrade Fábio, organizador desse evento e do também confrade Arleto.

Nessas fotos, os três avaliadores do concurso: Marlene, Gilmar e eu.

Foram inscritos 50 poemas de alunos do referido colégio e 43 poemas do público em geral, com pessoas de vários estados do Brasil e até do exterior, como Portugal, Itália e Moçambique.

Foi muito bom ter participado para ver a quantidade de poetas que temos e especialmente o talento das crianças, com certeza, futuros poetas.

E, no dia 04, tivemos o jantar de confraternização da nossa AML, com direito a amigo secreto e tudo mais.

Na primeira foto, a mesa com os presentes: TODOS LIVROS!!!

Na segunda e terceira fotos o padre Jurandir Aguilar, nos presenteia com sua mensagem de amizade e nos fala sobre o Natal de Jesus.

Aqui a revelação dos amigos: eu tirei a Nelci e a esposa do confrade Leandro me tirou.

Na primeira foto, uma visão geral das pessoas, na segunda, o padre Jurandir e nossa Presidente, Dalva, na terceira a amiga Ester e eu.

Encerrando, todos os presentes, tanto da AML como alguns convidados.

Isso tudo ainda nesse começo de mês!

Haja disposição!!!

“O QUE É JÁ FOI; E O QUE HÁ DE SER TAMBÉM JÁ FOI; E DEUS PEDE CONTA DO QUE PASSOU.” Eclesiastes, 3- 15

MACARRÃO À PORTUGUESA DE FORNO

Não é porque tenho uma filha morando em Portugal que procuro receitas de lá…

É que tudo de lá é muito bom!!!

Como esse macarrão que só de ver já dá vontade de comer!

Não se assustem com a diversidade dos ingredientes, OK?

Pode substituir à vontade (no meu caso pensei que tinha comprado ervilhas e quando fui ver, era uma seleta de legumes)… aí não deu né?

INGREDIENTES

1/2 xícara de azeite

1 cebola picada

1 tomate picado

1 xícara de presunto em cubos

1 xícara de ervilhas congeladas

1/2 xícara de milho verde em conserva escorrido

1/2 xícara de azeitona picada

1/2 xícara de palmito picado

2 xícaras de molho de tomate

sal, pimenta

macarrão tipo parafuso cozido

1 xícara de queijo muçarela picado

2 ovos cozidos em rodelas

Acima já está tudo picadinho.

Primeiramente cozinhe o macarrão em bastante água com um pouquinho de sal e reserve.

Em uma panela, em fogo médio, aqueça o azeite e refogue a cebola até murchar.

Adicione o tomate, o presunto, a ervilha, o milho, as azeitonas, o palmito e refogue por alguns minutos.

Junte o molho e deixe levantar fervura, adicionando sal e pimenta.

Em uma tigela, misture o macarrão já cozido, o molho e a muçarela picada.

Disponha em um pirex, coloque as rodelas de ovo por cima e polvilhe com a muçarela ralada.

Leve ao forno médio pré aquecido por 15 minutos e sirva.

É ou não é uma refeição completa?

“PORQUE OS CAMINHOS DO SENHOR SÃO RETOS, E OS JUSTOS ANDARÃO NELES, MAS OS TRANSGRESSORES NELES CAIRÃO.” Oseias, 14- 9

NOVEMBRO, MÊS DE ENCONTROS

Ah, quanta saudade… de sair, encontrar pessoas, amigos, poder conversar (mesmo de máscara)com alguém à sua frente (nem tão de longe…).

Pois foi assim esse novembro, cheio de coisas boas!

Começo com uma sala de aula (eu não estava presente), na penúltima oficina com alunos da Escola Municipal São José, de Peabiru, em que o professor Arleto, ensina literatura e, qual não foi minha surpresa, quando vejo a foto que ele me mandou!

Sou euzinha no quadro! E esse verso faz parte de uma poesia minha OUTONO.

Depois foi o café nas dependências do SENAC, onde comemoramos o Dia do Empreendedorismo Feminino, uma parceria do SENAC, SESC e da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Campo Mourão e região (CMEG).

Foram homenageadas 20 empresárias e a presidente, Ester Abreu Piacentini, fez questão de homenagear as participantes da sua diretoria com flores e certificados.

(Na foto acima Sr. Reginaldo, eu, Ester e Thiana, depois eu com o certificado, abaixo Cleire, Sonia, Ester, eu e Giselta; ao lado Giselta, Luciana e eu).

Nessa mesma tarde, fui até a Biblioteca Municipal em companhia da Dalva, presidente da AML e do Jair, também integrante como eu da Academia, para doação de livros às escolas de Campo Mourão e região.

(Acima: Dalva, Jair e eu; abaixo; Daniela (Colégio Mal. Cândido Rondon) e eu.
(Eu e Lílian (Colégio Integrado); Ana Roseli (Escola Municipal Monteiro Lobato) e eu; eu e Maria de Lourdes (Colégio Olavo Bilac- Peabiru) e Edilaine (Colégio Estadual Osvaldo Cruz) e eu).

Ainda nessa semana, fui visitar o Colégio Vicentino Santa Cruz para entregar dois livros meus para a Biblioteca: “O Nasquimi Dourado e outras histórias” e o recém lançado “Acalanto”.

( Marlene, bibliotecária do Colégio e eu)

Querem saber mais?

Gravei mais duas poesias para meu canal no Youtube que logo postarei aqui, mas hoje vou colocar um que minha nora, Patrícia, fez e editou.

É sobre como presentear nesse Natal: dando livros, repartindo conhecimentos, envolvendo a todos nessa corrente de paz e alegria que nos traz os livros.

Como já disse Monteiro Lobato: “quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê, mora nele.”

Então, dê livros nesse Natal!!!

Isso tudo porque o mês ainda não acabou…rsrsrsrsrsrs

“VÊ, POIS, QUE A LUZ QUE EM TI HÁ NÃO SEJAM TREVAS.” Lucas, 11- 35

CHIPA PARAGUAIA

A chipa é uma iguaria tradicional da culinária paraguaia. Tem suas origens nas missões jesuíta e franciscana da Governação do Paraguai (Vice reino do Peru),conforme registrado nas crônicas dos séculos XVI, XVII e XVIII.

As receitas dos pratos típicos paraguaios têm como base a mandioca, o milho, o queijo, o leite e a carne bovina.

O pão de queijo brasileiro é uma das variações sul-americanas da receita.(Wikipédia)

Então vamos aos INGREDIENTES:

250 gramas de polvilho doce

200 gramas de queijo parmesão ralado

1 colher (chá) de sal

50 gramas de manteiga

1 ovo

100 ml de leite morno

Coloque todos os ingredientes em uma tigela (menos o leite).

Aqueça o leite e despeje na tigela aos poucos, mexendo com as mãos até chegar ao ponto.

O ponto é quando a massa não gruda mais nas mãos.

A massa fica macia e fácil para você trabalhar com ela.

Faça bolinhas com uma porção e forme como ferraduras.

Coloque as chipas em forma untada e leve ao forno previamente aquecido em mais ou menos 200º.

Deixe assar por mais ou menos 15 minutos ou até que esteja dourada por cima.

Aprovadíssimo!!!!!!!

“SECA-SE A ERVA, E CAEM AS FLORES, MAS A PALAVRA DE NOSSO DEUS SUBSISTE ETERNAMENTE.” Isaías, 40- 8