AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES DE UMA AVENTURA

Então… vocês leram o que escrevi há alguns dias atrás sobre “o meu ninho vazio”.

Agora vou transcrever um texto que minha filha Fabiane me enviou de lá, sua nova morada.

Como excelente jornalista que é (já contribuiu aqui no blog com “Feiras Gastronômicas”) vai nos levar a conhecer essa cidade fantástica em plena África do Sul: Cape Town!

fabi1

(Fabiane em Sea Point)

“Sempre ouvi dizer que o sonho de muitos é morar onde as pessoas tiram férias. Pois foi o que eu resolvi fazer.

Em dezembro do ano passado estive em Cape Town, África do Sul, por uma semana e fiquei completamente apaixonada por tudo.
A cidade é limpa, acolhedora, com excelentes shoppings e restaurantes, pontos turísticos incríveis, enfim, sonhei em um dia morar aqui.

Aqui porque a quatro dias Cape Town é minha nova ‘casa’. Vim passar três meses, estudar inglês, passear, talvez trabalhar, enfim, vim atrás de novidades!

fabi3

(Ao fundo Table Mountain)

E em apenas quatro dias já fiz muitas descobertas!

A primeira, e mais importante, é que por mais que você queira muito morar fora e que isso seja um grande sonho, você vai sofrer. Não, não estou sendo pessimista nem desencorajando quem pretende se arriscar por novos caminhos. Isso é real e inevitável. Claro que os primeiros dias são os mais difíceis, e sei que logo estarei bem adaptada, mas até lá…
Antes de vir, minha maior preocupação era com relação à moradia.

Em Curitiba, minha cidade, moro sozinha há mais de dez anos. E amo!! Sou super organizada, gosto de tudo no lugar, não gosto de dividir coisas, tenho muitas manias. Durmo tarde, acordo tarde, tenho fome de madrugada, adoro assistir televisão e ficar trocando os canais, nunca fico no silencio, necessito de uma xícara de café preto assim que acordo, como chocolate todos os dias…

fabi5

(Waterfront)

E, de repente, vim para a casa de uma senhora sul africana, de quem eu não tinha informação nenhuma. Mas, por sorte e benção de Deus, essa mulher é um amor! Toda vez que chego em casa ela pergunta como foi meu dia, quer saber detalhes, me força a falar inglês, me corrige quando erro, é extremamente atenciosa e carinhosa.
A localização da casa também é abençoada.

Estou em Sea Point, o segundo melhor bairro de Cape Town – perde apenas para Waterfront, que é a melhor região da cidade, e fica a 40 minutos a pé de onde estou. Ah! E da janela do meu quarto eu vejo o mar, que fica a uma quadra de distância.

fabi4

(Waterfront)

A escola, que eu achei que seria tranquila, foi péssima no primeiro dia!

Minha aula começa às 9h e vai até às 12h40. A professora só deu gramática, fiquei super frustrada. Achei que seria uma aula de conversação, onde poderia ‘gastar’ todo o meu inglês! Sai de lá odiando ter tido essa ideia estapafúrdia de estudar inglês na África!
Já o segundo dia foi melhor. A primeira parte foi de gramática e depois de conversação. Acredito que logo entrarei no ritmo e vou gostar mais.
Outra frustração foi com relação às novas amizades.

Eu, que converso até com a porta, não falei com ninguém no primeiro dia.

Todos já tinham suas turminhas e, aparentemente, eu não me encaixava em nenhuma delas. Mas no segundo dia já consegui trocar algumas palavras com um grupo de brasileiros. Sim! Eu sei que a dica é não falar com brasileiros, mas minhas opções na escola não são muitas: brasileiros, angolanos (que também falam português), e árabes, que tem o inglês mais difícil de entender de todo o mundo! Ou seja, vamos falar com os brasileiros em inglês, porque na escola é proibida outra língua!

fabi7

(Waterfront)

A comida, para quem me conhece, sabe que é um capítulo a parte.

Não gosto de um monte de coisa, outras tantas fecham a minha glote (hahahaha!!!), ou seja, tenho muita dificuldade nesse quesito.
Café da manhã é tranquilo: café preto com pão ou bolacha. Almoço também não tenho problemas, porque eu tenho ido todos os dias para Waterfront, onde tem um milhão de opções – desde Mac Donald’s e KFC, a restaurantes de massas e frutos do mar divinos.
O problema é o jantar, que é servido às 19h, pela dona da casa.

No primeiro dia cheguei tão cansada que não quis jantar. A diferença de fuso é de 5 horas para mais aqui, então tudo o que eu queria era dormir.
Nos outros dois dias a comida estava boa para mim: arroz, carne de panela e legumes. Mas ontem foi um problema. Tinha pasta de berinjela, bolinho de alho com frango, sopa de sei lá eu o que e filé de frango frito. De tudo isso, a única coisa que eu como é filé de frango. Peguei um pedaço, e quando dei a primeira garfada… Muito gosto de cebola!

Voltei para o meu quarto e me atraquei no pacote de bolacha e nas barras de chocolate que comprei no segundo dia!

fabi2
Sei que logo vou estar adaptada, e começarei a curtir mais a cidade e todas as suas belezas. Tenho certeza de que farei amizades e de que meu inglês vai melhorar muito. Os primeiros dias são sem dúvida os piores.
Mas graças a Deus existe FaceTime e WhatsApp!

Assim recebo o apoio e carinho dos meus pais, meus irmãos e das minhas amigas (Top5, Lufas, Santas, Fas+A, Lulus, Tati, Bibs). Sem vocês sem dúvida seria muito mais difícil!!”

fabi6

Fabi, nós adoramos e vamos esperar mais textos e fotos daí, OK?

” O CHORO PODE DURAR UMA NOITE, MAS A ALEGRIA VEM PELA MANHÃ.” Salmos 30- 5

E LÁ FOMOS NÓS PARA O BETO CARRERO!

Aproveitando a vinda dos nossos “Angolanos” para Curitiba, além de Witmarsum, fomos repetir um passeio que há muito tempo tínhamos feito: Beto Carrero.

O mês de maio foi pródigo em dias de sol e calor e lá fomos nós no dia 21, uma quinta feira, para o parque no município de Penha, litoral norte de Santa Catarina.

beto carrero

(João Batista Sérgio Murad Silva, paulista, idealizador e criador do Parque Beto Carrero)

A maior parte do curitibanos já foi, alguma vez, ao parque, mas como esse blog é lido e visitado por muitas pessoas do Brasil e fora dele, achei interessante mostrar algumas fotos do lugar.

mapa_nav

(Mapa geral do maior parque temático da América Latina)

beto 1

(Eu, na entrada do Parque)

beto 6

(Nós seis: eu, Isadora, Fabiane, André, Heitor e Viviane)

E começamos o passeio.

beto 10

(A entrada da gruta onde fizemos o passeio de barco)

beto 11

(O próprio Raskapuska)

beto 12

(O barquinho vai passando por banda de Soldados de Chumbo, animais da floresta, casinhas encantadas cobertas de neve…)

beto 13

beto 3

(Eu, Fabi e Vivi esperando, enquanto o André passeava no carrossel de elefantes com as crianças)

beto 4

(Eu e o encantador de serpentes)

beto 5

(Nossa, como gostam de cobras!)

beto 19

(Tem camelos também…)

beto 18

(Isadora e os cangurus)

beto 16

(Heitor e Isadora com os personagens do show Madagascar)

beto 17

(O show- muito legal, com artistas incríveis em bicicletas, os Pinguins e muita música, luzes e alegria)

beto 2

(Aqui tomei uma banana split m a r a v i l h o s a!!! enquanto assistia o desfile dos artistas)

beto 15

(Os quatro se divertindo!)

beto 14

(Eu me divertindo!)

E aí fomos passear de trem. Mesmo sendo um dia de semana, ainda pegamos uma fila, mas valeu a pena.

beto 7

(O começo do passeio de trem e… mais cobras!!!)

Aí tem um show à parte: passeando pela fazenda no velho Oeste, eis que surgem bandidos mascarados à cavalo que vem até o trem, mas tchan, tchan, tchan, surge o xerife que põe os malfeitores a correr.

beto 8

beto 9

E todos aplaudem e ele agradece…

Era fim de tarde e cansados fomos até o hotel ali pertinho onde já tínhamos reserva.

Tomamos um banho e fomos jantar em um restaurante uma comidinha bem básica: camarões e camarões…

Na manhã seguinte, voltamos para Curitiba porque todos tínhamos compromisso: Vovó Sílvia tinha que começar a preparar uma feijoada para 30 pessoas no dia seguinte, mas deu tudo certo (a viagem e a feijoada)!

E fecho com essas duas portas lindas que tive que fotografar!

porta 2

porta 1

“EU ME DEITEI E DORMI; ACORDEI, PORQUE O SENHOR ME SUSTENTOU”. Salmos 3-5

TIRAMISÙ

Quinta feira fiz um jantarzinho em casa para meus irmãos, cunhados e minha filha Fabiane e, de sobremesa servi “tiramisù”, esse doce de nome tão esquisito e que tem sua origem na Itália.

 

tira 6

Como nós, brasileiros, amamos a cozinha italiana!!!

INGREDIENTES

tiramisu

1 xícara (cafezinho) de café bem forte (frio)

a mesma medida de licor (eu usei o Amarula)

1 pacote de bolacha champanhe

1 pote (400 gramas) de nata

400 gramas de creamcheese

3 colheres (sopa) de açúcar

chocolate em pó para polvilhar

tira2

Misture o café com o licor; forre o fundo de um pirex com metade do pacote de bolachas e respingue a metade da mistura do café e licor sobre elas.

Bata a nata até ficar bem firme, junte o açúcar e o creamcheese sempre batendo.

Coloque metade desse creme sobre as bolachas.

tira 4

Repita as camadas.

tira 5

Leve a geladeira e depois polvilhe o chocolate em pó.

tira 3

Pode servir como sorvete ou somente gelado.

Tão simples de fazer… nem precisamos usar o fogão!!!

 

VIAGEM DE SONHO: DISNEY!!!

Para comemorar meu aniversário hoje e também os mais de 20.000 acessos ao blog, nada melhor do que entrar no reino encantado da Disney!

Vou apenas colocar algumas fotos dessa viagem que foi em 2013 e que foi inesquecível para mim, que escrevo histórias infantis!

Duas semanas de puro encantamento!!!

Das mais de 5000 fotos que tiramos lá, a primeira não podia ser diferente: “Era uma vez”!!!

1

Quando vi o castelo da Cinderela ao longe… chorei!!!

2

Nessa foto estão minha filha Viviane, seu marido André e meu neto Heitor no colo, nessa época com 1 ano e 2 meses. (Paulo aparece lá atrás).

3

E nessa outra, minha filha Fabiane, que tem uma matéria linda dela sobre a Disney indicada no “Para aproveitar as férias”, um texto com o título de “Disney, um lugar para todas as idades”.

4

E, nessa outra, meu filho Paulo Emílio com minha nora Patrícia, já a caráter! Ainda não tínhamos o Cesar, então vamos ter que ir novamente para levá-lo ( claro que a vovó vai junto!!!)

5

E aqui, nossa princesa Isadora! Linda e aproveitando todos os momentos! 

6

E o Heitor, que nessa viagem não curtiu muito, mas já foi novamente e tirou o atraso…

7

E eu… feliz, feliz!!!!! (Epcot Center)

8

Nessa, abaixo, no hotel onde ficamos (All Star Movies).

11

E eram passeios e mais passeios: à noite, de trem, de balão, nos brinquedos e parques!

9

10

12

13

20

14

21

22

E as compras, então? Loucura total!!!

15

16 (1)

E os jantares? Muito chique!!!

17

18 (1)

E claro, minha gratidão a minha família que foi perfeita nessa viagem e a ele: Walt Disney, o criador dessa maravilha!

23

E deixo aqui, um pensamento que li hoje na minha devocional diária: “A paz está apenas a uma oração de distância”!

 

O PALITO

Na crise de falta de homem em que o mundo anda, aquelas amigas resolveram sair numa bela noite.

– Vamos para a balada! Disse uma delas.

– Quem sabe não é hoje que vamos encontrar nosso “príncipe encantado”? Falou a outra.

– Estou tendo ótimos presságios! Afirmou a terceira.

E lá foram, animadas, para aquela casa noturna, dançar.

baile

Como o dinheiro estava curto e já tinham que pagar ingresso, dividir estacionamento (quanta roubalheira!), elas pediram um refrigerante que teria que fazer o favor de durar até o final da noite.

Jantar, nem pensar!

Primeiro porque iria a grana da semana e segundo porque ficaria com hálito de comida e como dançar juntinho cheirando molhos e temperos?

Então começa a investigação propriamente dita.

– Tá vendo aquele ali? Mostra uma delas. O cara é velho e arruma uma mocinha que podia ser sua neta!

– E aquela mulher lá? Aponta a outra. Com aquele homem horrível!

– Pelo menos ela tem namorado… fala a última fazendo beicinho.

E a casa vai lotando e elas a olhar para todos os lados.

– Parece que não existem mais homens sozinhos! Observa uma delas. Todos já tem donas…

– Isso sem falar na enxurrada de mulheres que está entrando! Olhem só a porta!

– Nem quero ver!

Nisso, atraídas como por um imã, aqueles três pares de olhos críticos, caem numa mesma mesa.

Elas olham, se entreolham e tornam a observar atentamente.

O homem recém chegado sozinho, num terno m a r a v i l h o s o, senta-se enquanto o garçom , mais do que solícito, lhe entrega o cardápio.

Ele abre, lê, chama educadamente o garçom e faz o seu pedido.

E as três ali, boquiabertas, sem perder nadica de nada.

– Que homem chique!

– Bonitão!

– Tão educado!

O engraçado seria se ele viesse até elas e convidasse uma para dançar!

As outras iriam ficar arrasadas enquanto a escolhida ganharia a noite!

Isso é o que passava pela cabeça das três enquanto não tiravam os olhos de cada movimento daquele pobre ser escolhido.

E lá vem o jantar e ele, como se estivesse sozinho no mundo, vai degustando vagarosamente cada garfada.

– Mas ele realmente é perfeito! Diz a mais velha.

– Um gato! Diz a outra.

– Nossa, gente, será que ele é de verdade mesmo? Pergunta a terceira.

E, terminado o jantar, o garçom volta para retirar os pratos e aquele homem se recosta no espaldar da cadeira, aí sim observando à sua volta.

Parece que, finalmente, ele vai se preparar para escolher alguém para dançar.

As amigas nem piscam!

É quando nosso herói pega um palito (isso mesmo, Danuza, um PALITO!)  e começa a fazer a limpeza com sua boca aberta.

De bocas abertas, além dos olhos, é que ficaram nossas amigas!

Viraram para o outro lado e o encanto acabou…

Tudo!

Menos palito!

Nem pensar!

palito

 Imagens: 1. significado.sonhos.nom.br; 2. historiasdelari.blogspot.com

COMIDINHAS DE RESTAURANTE

Talvez o título desse post pudesse ser: “O ADEUS À LAGOSTA” ou ainda “POR QUE DEIXAR PARA AMANHÃ O QUE SE  PODE COMER HOJE”.

Pois é.

Ainda contando sobre a viagem que fiz para Bombinhas mais algumas peripécias!

Ao lado do hotel onde estava hospedada ficava o restaurante Casa da Lagosta onde fiz várias refeições.

202

Aqui um aperitivo à beira da piscina: bolinhos de camarão e uma caipiríssima.

Já no primeiro dia conversei com o dono e combinei que na sexta feira (meu último jantar) iria experimentar a lagosta.

Pedi para fotografar dentro da cozinha todo o preparo dela e a receita com a foto do chefe.

OK, tudo certo!

3426

Esse é um linguado grelhado ao molho de ervas e requeijão.

4468

Camarões à milanesa com batatas sauté.

Acontece que depois de tanta comilança, meu organismo resolveu pregar uma peça.

Amanheci sexta feira indisposta e era eu e a rainha da Inglaterra a nos revezar no trono.

3433

Linguado à milanesa com batatas fritas.

4491

Linguado grelhado com recheio de camarão gratinado.

Resultado: fiquei literalmente a “ver navios” na sacada do apartamento…

A receita da lagosta vou ficar devendo, mas aproveitem as sugestões dos pratos acima: todos fáceis de preparar!

YAKISOBA

chamada

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cheguei hoje de Campo Mourão onde estive matando saudades do meu filho e nora.

Por isso não postei a receita nessa segunda feira…

E, como não poderia deixar de ser, fui para a cozinha:  no sábado fiz um Carreteiro para 4 casais amigos deles; no domingo à tardinha, uns Bolinhos de Chuva para a Pati matar a vontade do Cesinha (meu neto que nasce em julho) e na segunda feira, ontem, um Yakisoba que é a receita de hoje.

yakissoba (5)

INGREDIENTES

300 gramas de carne cortada em tirinhas

4 dentes de alho

4 cebolas cortadas em tiras

couve flor

cenoura

brócolis

acelga

shoyu

ajinomoto

óleo

macarrão tipo miojo

Numa panela grande frite a carne em um pouco de óleo.

Retire e reserve.

Na mesma sobra do óleo frite o alho e cebola.

Junte a carne, mexa e reserve.

Eu dou uma cozinhada no brócolis, couve flor e cenoura para não ficar muito duro então misturo ao refogado de carne e junto o shoyu e ajinomoto a gosto. Sempre experimento para ver se precisa de mais sal. Aí é que junto a acelga rasgadinha.

Numa panela à parte, cozinhe o macarrão em bastante água, retire e escorra bem.

Junte tudo e mexa com cuidado.

Faça na hora de servir para o macarrão não ficar mole demais.

yakissoba (1)

O Yakisoba é um prato de origem chinesa que significa, literalmente, “macarrão de sobá frito”.

Mas o que é um sobá?

É o tipo de macarrão usado nesse prato e que pode ser tipo talharim ou do tipo lámen (miojo).

 

PERSONAL ORGANIZER

A carioca Andrea Ibrahim mora em Curitiba há dezoito anos, e foi aqui que descobriu uma nova profissão: a de Personal Organizer ( profissional da organização).

Seu trabalho é cobrado por hora (R$ 50,00) e consiste em arrumar armários dos quartos, cozinha, banheiros, organizar a geladeira, enfim, deixar tudo em ordem para facilitar a vida de quem não tem tempo.

Andrea 1

Com toda essa arrumação, o espaço de um armário aumenta de 30% a 40%!     

Andrea 3Andrea 4

ANTES                                            DEPOIS

O primeiro passo é fazer uma avaliação dos lugares que deverão ser arrumados e, em cima disso, ela faz o orçamento.

No dia do trabalho ela usa luvas, protetor de sapatos e avental e leva uma mesa retrátil para fazer a dobradura das roupas.

O trabalho não é de limpeza e sim de organização, de arrumação de interiores para melhorar o acesso às coisas do dia a dia das pessoas.

Andrea 2Andrea

Além disso, Andrea também organiza jantares, lanches e almoços.

A ideia é criar ambientes agradáveis e mesas bem postas para uma refeição a dois, para um jantar de negócios ou para receber os filhos e amigos.

Para isso ela utiliza louças da própria casa em que está, criando um ambiente aconchegante com flores, velas e muita personalidade.

Andrea 5

Os telefones de contato são: 3029-0079/ 9967-8088.

Em maio seu site entra no ar no endereço http://www.andreaibrahim.com.br

Além das novidades, Andrea disponibilizará fotos de seus trabalhos e dicas para manter sua casa em ordem.

Seu trabalho já está sendo reconhecido e no mês de março saiu uma matéria sobre ela na Revista Veja, em comemoração ao aniversário de Curitiba.

Segue o link: http://vejabrasil.abril.com.br/curitiba/materia/compras-servicos-bom-barato-1994

Muito legal, não acham?

(Colaboração da minha filha jornalista Fabiane Prohmann)

POSTA ESCABECHE

Não tenho o costume de jantar. Normalmente prefiro um sanduíche de pão integral com queijo mais um copo de leite.

Mas tem uma carne que faço e deixo na geladeira.

Quanto mais o tempo passa mais gostosa fica!

Excelente com qualquer tipo de pão ou torrada.

Uma tentação!!!

13-08-2013 002INGREDIENTES

1 posta branca

1 copo de vinho branco

1 xícara de azeite

1 cebola (grande) picadinha

2 tomates picadinhos

azeitonas pretas e verdes

1 tablete de caldo de carne

1/2 xícara de vinagre

sal, pimenta do reino, louro e cheiro verde

Cozinhe a posta com o sal, pimenta, louro e o vinho e uma quantidade de água (que cubra a carne) por mais ou menos 1 hora (dependendo do tamanho da posta).

Retire, deixe esfriar bem e corte em fatias finas (eu tenho uma faca elétrica que é ótima para essas ocasiões).

13-08-2013 013

 

Prepare o molho: em uma panela coloque o azeite e frite a cebola, depois os tomates. 

Misture o caldo de carne e mais um copo de água e o vinagre.

Experimente o sal e junte as azeitonas.

Faça camadas em um pirex e leve à geladeira.

13-08-2013 016Apetitoso, não?

 

 

 

A BLUSA VERMELHA

Ela era tão simples…

Um decote V nem tão profundo assim, mangas colantes até a altura do cotovelo e o corpo que descia reto até um palmo, mais ou menos, para baixo da cintura.

O vermelho é que era o “tcham”!

Era forte, meio para o cereja e o tecido como que uma seda firme.

Comprei em uma liquidação.

Lá estava ela, dobradinha, no meio de outras de cores variadas como que chamando minha atenção.

Peguei, provei e feliz da vida, disse ao vendedor:

– Vou levar!

decote v

 

(www.modapontonet.com.br)

Nos tomamos de amores…

Qualquer festa, aniversário ou evento programado, lá ia eu na gaveta buscá-la confiante.

Às vezes eu a usava com calça preta, às vezes com jeans e muitas vezes com saia.

Se estava frio, colocava um blazer por cima e lá íamos nós, tão amigas.

Até meu perfume ela pegou: Jadore!

Lavava, secava, (nem precisava passar) e o cheiro lá estava, impregnado.

Engraçado como eu me sentia poderosa assim que a vestia!

Era sucesso certo!

Nos barzinhos recebia torpedos e até ouvia o bonitão falando ao garçom:

– Entrega para aquela de blusa vermelha.

E assim passou o tempo.

Um dia, estava em um jantar da turma de “amigo secreto” quando derrubei, sem querer, molho de carne (era mignon ao molho madeira) em cima da minha blusa.

Fui depressa ao toalete, passei sabonete, esfreguei com cuidado aquele pedacinho que virou um enorme pedaço molhado e nada de sair aquela mancha.

Vesti o blazer para esconder e, chegando em casa, coloquei talco na esperança de que sumisse por encanto (nessa hora lembramos de tudo que nos ensinaram…) e tornei a lavar, dessa vez, a blusa toda.

Quando ela secou, lá estava aquela mancha enorme!

Fiquei tão triste, deitei com ela apertada em meus braços e dormi aconchegada.

Na manhã seguinte ela estava ali: amassada, fria, acabada…

Não sei se um dia terei outra blusa da qual venha a gostar tanto.

Acho que as roupas muito amadas são como a gente: chega a hora de aposentar e ir embora…