A CASA DO PORQUINHO PRÁTICO

“No jargão da didática de leitura e escrita, reescrever um texto não é corrigi-lo ou revisá-lo, como faz supor o senso comum. No contexto da disciplina, reescrever é contar, com as próprias palavras, uma história conhecida, com a qual a turma já está bem familiarizada.”

E é isso que fiz em várias histórias que coloquei aqui, como:

A FILHA DA GALINHA RUIVA

DUNGA, O ANÃO QUE NÃO ERA MUDO

Como tenho visto nas estatísticas um grande número de procura por essas historinhas, resolvi colocar outra.

E hoje, a reescrita vai ter como personagem principal, A CASA DO PORQUINHO PRÁTICO.

Éramos três casinhas: uma feita de bambu, outra de tábuas e outra de tijolos.

Eu sou a de tijolos e vou contar o que aconteceu com as outras duas.

Fomos construídas por três irmãozinhos: o Cícero, o Heitor e o Prático.

Eles andavam com muito medo porque souberam que um Lobo muito mau havia chegado nas vizinhanças e logo acabaria por ali.

Foi quando cada um resolveu fazer uma casa e eu fui a última a ficar pronta.

Fui construída com tijolos, muito cimento e muita paciência e fiquei uma beleza: com janelas e floreiras, porta com cadeado e até uma lareira com enorme chaminé.

Enquanto isso, eu observava os dois irmãos que já estavam com suas casas prontas, a cantar e dançar pelos caminhos.

Nisso, uma correria danada!

Cada um entrou e se fechou dentro de suas casas.

Era o Lobo que chegava!

E logo ouvi sua voz, alta e forte, gritando na frente da casa do Cícero:

– Abra essa porta senão eu assopro e bufo e faço voar essa casa pelos ares!

E ele soprou e bufou e as palhas voaram nada sobrando daquela casinha.

Também ela era amarrada com barbantes e cola!

E não é que o Lobo já estava gritando na porta do Heitor onde o Cícero entrara correndo?

– Abra essa porta senão eu sopro e bufo e faço voar essa casa pelos ares!

E ele soprou e bufou e as tábuas foram caindo como se feitas de papel.

Que susto!

Abri minha porta para os dois irmãozinhos que entraram correndo como um raio, tremendo de medo.

Mas o Prático que estava sossegado, pois sabia como tinha me construído, acalmou-os dizendo que nada iria acontecer porque eu era muito forte.

Fiquei contente, mas sabia que a responsabilidade era enorme.

Eu tinha que salvar a vida daqueles três irmãozinhos adoráveis!

E o Lobo chegou gritando na minha porta:

– Abra essa porta senão eu assopro e bufo e faço voar essa casa pelos ares!

E o ouvimos soprar e bufar, e bufar e soprar e eu ali, firme como uma rocha.

Não balancei nem um milímetro!

Mas o Lobo não desistiu.

Resolveu entrar pela chaminé.

Mas o Prático que além de tudo era muito inteligente colocou fogo na lareira e quando o Lobo desceu, seu rabo começou a pegar fogo e ele saiu como um foguete, correndo sem nem olhar para trás.

E o final foi feliz, é claro: os irmãos se abraçaram e Cícero e Heitor resolveram construir casas iguaizinhas a mim.

Sou ou não sou poderosa?

Outras historinhas com centenas de visualizações:

O SORRISO DO GATO DA ALICE

O ARCO ÍRIS

A FADA SERELEPE

O LANCHE DAS PRINCESAS

O DIA DO PAPAI NOEL

Imagens: 1) Dentro da História; 2) Cultura Genial; 3) iStock

“OUVE-ME, SENHOR, POIS BOA É A TUA MISERICÓRDIA; OLHA PARA MIM SEGUNDO A TUA MUITÍSSIMA PIEDADE.”Salmos, 69- 16

MEUS DIAS COM (OU SEM?)O CORONA VÍRUS

Tudo começou quando recebi em minha casa uma visita que sentou, conversou, tomou cafezinho e foi embora.

Sentamos distante, mas estávamos sem máscara.

Depois de três dias eu soube: ela estava com o vírus!

Gente, aí começou o martírio!

Comecei a contar os dias (porque é entre o quinto e o oitavo dia que normalmente ele se manifesta) e eles não passavam.

E minha cabeça começou a dar voltas:

– se eu tossia; é ele!

-se eu ia ao banheiro duas vezes; pronto, agora é!

E eu procurava sinais cheirando a comida, o perfume, o talco, tudo para ver se meu olfato estava bom.

Estava.

Então posso ser assintomática, quem sabe?

Posso passar para outras pessoas sem saber…

E não vi mais meu filho, nora e netos…

E a casa ficou sendo minha prisão!

Depois disso, perdi o apetite.

Claro: nervosa, estressada, ansiosa…

Bem, no oitavo dia da minha suposta contaminação comecei a ter dores de cabeça.

Minha médica então entrou com o protocolo e comecei a tomar os remédios pensando, se não tiver contraído o vírus, mal não pode ter.

Hora de ir fazer o exame PCR para descobrir se realmente estou contaminada.

Só que no meu plano de saúde, o exame poderia ser feito após o terceiro dia da manifestação dos sintomas.

Resultado: no décimo primeiro dia, fui fazer e realmente é bem enjoado mesmo.

Saí de lá sabendo que só teria o resultado no sábado pela manhã que seria então o décimo quarto dia em que estaria reclusa.

As enfermeiras foram super atenciosas comigo: ligavam pela manhã e no final do dia perguntando se tinha havido alguma alteração na saúde e como eu estava passando.

Não tenho nada!

Estou bem!

Querendo muito saber o resultado!

E o décimo quarto dia chegou, sábado de sol, e com ele o resultado do exame:

NEGATIVO para COVID 19!!!

Meus pais viram a guerra.

Contavam das armas, dos soldados, dos aviões e das bombas.

Nós vamos contar sobre um inimigo invisível, mas tão letal quanto a guerra que eles presenciaram.

E ele vem sorrateiro, se apossando do nosso corpo, espalhando doença e morte.

Tudo é novo para nosso mundo de hoje.

Estamos esperando as vacinas para nos sentirmos mais seguros.

E minha fé, onde ficou?

Confesso que muitas vezes vacilei…

Talvez, nessa hora, eu fale como aquele pai ao falar com Jesus: “eu creio, Senhor, mas ajude na minha incredulidade”.

Imagens: 1) postal saúde; 2) vix.com; 3) canaltech

“E LOGO O PAI DO MENINO, CLAMANDO COM LÁGRIMAS, DISSE: EU CREIO, SENHOR! AJUDA A MINHA INCREDULIDADE.” Marcos, 9- 24.

A COBRA

Nunca pensei em escrever sobre isso, mas o fato é que hoje (04 de maio) tive o desprazer e pavor de ver uma cobra dentro da minha sala!

A sensação é terrível!

No piso bem branquinho, aquela coisa horrorosa se arrastando e entrando pelo corredor em direção aos quartos.

Surtei!

Nas portas da sala e da cozinha, eu tenho um rolo de areia que veda toda a extensão do vão delas, mas isso foi pensando em inibir eventualmente a entrada de baratas ou aranhas. Nunca pensando em cobras!

Mas a porta da sala estava aberta nesse momento…

Peguei o celular e chamei, quase sem conseguir, os bombeiros.

-Tem uma cobra dentro da minha casa! Falei tremendo.

-Calma, minha senhora, onde ela está? Perguntou.

-No corredor, quase no meu quarto!

-Quanto ela mede?

Pai do céu, como se eu pudesse pensar em medidas nessa hora… para mim ela era terrivelmente grande!

-Uns 80 centímetros. Falei.

-Qual a cor dela?

-Moço, por favor, manda alguém aqui que estou muito nervosa! Ah, sim, a cor é escura.

-Senhora, não precisa ficar nervosa. Ela não vai pular e nem picar. Qual o seu endereço?

Passei, implorando que ele viesse logo!

E ele calmamente:

-Se a senhora não se acalmar vou ter que mandar uma ambulância junto para socorrê-la. É preciso?

-Não, não precisa, vou me acalmar! Falei baixando a voz.

Aí então fui de longe seguindo o trajeto que ela fazia DENTRO DA MINHA CASA!!!

Entrou no meu quarto, passou por trás das cortinas, embaixo da cama e voltou para o corredor.

Enquanto isso fechei as portas dos outros quartos e banheiros.

E ela veio vindo, passando pela sala (aí eu já estava na área do lado de fora), atrás do sofá e pelos cantos veio vindo até sair na área.

Nessa hora os bombeiros chegaram.

Três!

Com uma caixa grande, ganchos, luvas e tudo mais.

-Ela está ali, moço. Indiquei a peçonhenta.

E eles riram…

-Essa é uma cobra cega, não faz nada. E dizendo isso, pegou-a com a mão enluvada.

Então o outro disse:

-Parece uma minhoca gigante…

E eu começando a ficar envergonhada falei:

-Olha, eu não sei o nome dela, só sei que fiquei apavorada. De onde ela pode ter vindo? Será que tem outras por aí?

-Vem da grama, dos matos desse terreno aí perto e sim, claro que tem outras, respondeu.

Puxa vida, será que ele não podia me acalmar e mentir um pouco?

E o terceiro falou:

-Oitenta centímetros, eim? Vamos deixar pela metade! E continuou: o dia que entrar outra, a senhora pega uma vassoura e joga ela prá fora…

-Hã? Brincadeira, né? Outra? Moços, obrigada por terem vindo! Falei agradecida.

E eles foram rindo para a viatura com a cobra na mão…

Pois é…

Sei que por muito tempo vou ficar com a sensação de ver outra dentro de casa.

Entrei e de repente alguma coisa roça em minha perna.

Dou um grito!

Era só uma mosca esvoaçando por ali…

“… MALDITA SERÁS MAIS QUE TODA BESTA E MAIS QUE TODOS OS ANIMAIS DO CAMPO; SOBRE O TEU VENTRE ANDARÁS E PÓ COMERÁS TODOS OS DIAS DA TUA VIDA. E POREI INIMIZADE ENTRE TI E A MULHER…” Gênesis, 3-14 e 15.

 

 

 

 

UMA TARDE/NOITE NA FAZENDA

Piratuba é uma cidade de Santa Catarina onde nossa anfitriã nasceu e, portanto, o nome dessa fazenda linda.

E foi lá que passamos horas num encontro de amigas com a natureza que explode em flores, campos, árvores, lago e ar puro.

O convite veio da Marlene, amiga de longa data, para vermos o por do sol tomando um champanhe.

(Aqui ela e seu marido Valmor)

E chegamos quase na hora dele se por.

(A casa)

Tirei muitas fotos porque tudo me encantava!

E chegou a hora do sol se por: majestoso!

E foi quando fizemos um brinde à nossa amizade de tantos anos e silenciosamente agradeci a Deus por aquele momento.

(Tita, Marlene, Irma, Rose, Maria Tereza e eu)

Logo, logo a lua apareceu!

E nós invadimos literalmente o interior da casa!

E como quando a gente se junta vira criança, entramos no close onde achamos chapéus de todos os tipos e regiões diferentes!

Claro que colocamos e… mais fotos!!!

Mais duas amigas chegaram nessa hora para participar do jantar conosco: a Walquíria e a Cláudia.

E o prato foi Bacalhoada, devidamente já preparado os ingredientes em vasilhas que a Teresa montou com a habilidade de sempre.

A salada ficou por conta da Tita que foi nomeada “nossa saladeira mor”!

E as sobremesas levei prontas: Tiramisù e Sobremesa de Manga com Limão Siciliano.

Vinho tinto servido gentilmente pelo nosso anfitrião.

Sentamos à mesa, brindamos mais uma vez, jantamos deliciosamente e jogamos conversa fora até bem tarde!

Obrigada ao casal que nos recebeu com tanto carinho!

E prestem atenção: logo vamos aceitar o convite para “uma noite do pijama”, que claro que vou fotografar e postar tudinho para vocês!

“NÃO ABANDONES O TEU AMIGO, NEM O AMIGO DE TEU PAI, NEM ENTRES NA CASA DE TEU IRMÃO NO DIA DA TUA ADVERSIDADE; MELHOR É O VIZINHO PERTO DO QUE O IRMÃO LONGE.” Provérbios, 27- 10

 

 

 

 

 

ACREDITE, SE QUISER!

E a menina, querendo virar mulher, lá no tempo do êpa, sonha acordada com seu príncipe encantado.

Não tem TV, nem celular, muito menos internet, mas tem o rádio e é nele que ouve a voz de seu ídolo.

Pega as revistas que passam por suas mãos a procura do seu amado Elvis.

14-elvis-w529-h529

Recorta e cola (com aquele grude feito com farinha de trigo e água) no caderno de cartografia guardado a sete chaves.

E cuida como se realmente fosse o maior dos tesouros e pensa, quem sabe, um dia vê-lo de perto.

Por que não?

São sonhos, mas quem em plena adolescência não sonha?

Na verdade ela tem alguns pretendentes, todos estudando no ginásio estadual e quando termina sua aula, vai pelo caminho andando devagar esperando que “aquele” especial venha a seu lado empurrando a bicicleta.

Aí chega em casa encalorada, rosto vermelho e corre escrever em seu diário a conversa que teve.

E guarda tudo com cuidado, ao lado das fotos do Elvis.

À noite, senta na calçada e começa a procurar no céu limpo a estrela desejada e quando encontra recita os versos decorados:

“primeira estrela que eu vejo

qualquer coisa desejo.

Se……….estiver pensando em mim

cachorro late, gato mia, homem assobia.”

estrela

Aí é só esperar.

Em sua casa tem gatos e cachorro, mas nada de ouvir som nenhum.

De repente para sua alegria ouve um miado e logo depois os latidos do cão.

_Só falta o assobio de um homem. Ela fala consigo mesma.

E começa a ficar aflita.

Corre até seu pai e pede com jeitinho que ele assobie uma música para ela.

Então está feito!

Ela acredita!

Ele está pensando nela!

Coisas de antigamente…

Imagem 1)www.vulture.com; 2) g1.globo.com

” ALEGRA-TE, JOVEM, NA TUA MOCIDADE, E ALEGRE-SE O TEU CORAÇÃO NOS DIAS DA TUA MOCIDADE, E ANDA PELOS CAMINHOS DO TEU CORAÇÃO E PELA VISTA DOS TEUS OLHOS; SABE, PORÉM, QUE POR TODAS ESSAS COISAS TE TRARÁ DEUS A JUÍZO.” Eclesiastes 11- 9

CASA DE VÓ

A CASA DA VOVÓ

É gostosa e perfumada

cheira talco de jasmim.

As cortinas são xadrez

e os móveis em marfim.

 

Tem uma linda cristaleira

com bibelôs pequeninos.

Uma estante com mil livros

e um gato cheio de mimos.

 

Na cozinha tem a mesa

com bolachinhas de mel,

quando derretem na boca

é como entrar lá no céu.

 

No quarto, em cima da cama,

tem a colcha de retalhos

e minha foto sorrindo

em muitos porta retratos.

(Escrevi esse poema há bastante tempo e faz parte do material do aluno do Positivo).

image

(Essa guirlanda ganhei da minha amiga Rose, que disse que ela tem tudo a ver comigo…)

Pois é… passei 30 anos morando em apartamentos pequenos, próprios para uma pessoa sozinha como eu.

Mas eu sonhava com uma casa, que fosse grande, com uma mesa de jantar onde coubesse todos, um quarto pronto para receber meus filhos e netos, uma cozinha enorme onde pudesse fazer experimentos culinários, um quintal e um jardim…

Mudei de cidade, de vida e: PLIM!!!

Estou morando na casa que sonhei!

Sem luxo, sem ostentação, mas confortável, gostosa, aconchegante, tipo… casa de vó!

image

No momento que estou a escrever esse texto (são 19:30 horas do horário de verão),o céu está limpo, claro e eu deitada nessa rede na área de casa.

É nesse momento que fico divagando, lembrando, sonhando e agradecendo a Deus por tanto em minha vida.

image

Daqui vejo a casa para os passarinhos que coloquei no muro.

Eles passam voando perto, fazem ninho no telhado, mas ainda não descobriram a casinha onde coloco água e alpiste.

As pessoas dizem que é assim mesmo até eles se acostumarem, mas vai ser fantástico o dia em que um deles entrar nela!

Vou pular de alegria!

image

image

Ao lado coloquei dois pallets com vasinhos de flores e em baixo plantei agaphantus que ainda vão demorar a florir, mas que tem suas folhas lindas o ano todo.

Lá atrás, no quintal também são dois pallets: um que quando abro a janela do meu quarto, lá está ele como a sorrir dando bom dia.

image

Agora, o outro… é o meu xodó!

Meus temperos!!!

image

Ainda estão crescendo e fico tempo ali ao lado como para ver se crescem mais ligeiro…

image

(Cebolinha, salsa e manjerona)

image

(Hortelã para chá, alecrim e hortelã para tempero)

image

(Tomilho, sálvia e manjericão)

O dia em que cortei um punhadinho de cada para usar, foi a glória!

Tive vontade de beijar cada uma daquelas folhinhas!

O perfume delas encheu minha cozinha!

Estou terminando de escrever e o céu está escurecendo.

A luz do poste bem em frente, acabou de acender.

Os passarinhos já se acomodaram em suas casas e está na hora de também entrar.

E, como diz a guirlanda, “na casa da vó o Natal é mágico”, vai ser, quando meus filhos e netos chegarem, enchendo essa casa de risos, abraços,  alegria e muito amor!

Isso tudo é muito mais do que mereço!

É graça!!!

(Se quiserem saber mais sobre o assunto, leiam o que escrevi em “Gente… como a gente“.

“PORQUE PELA GRAÇA SOIS SALVOS, POR MEIO DA FÉ; E ISSO NÃO VEM DE VÓS; É DOM DE DEUS.” Efésios, 2- 8

 

BOLO COM CREME DE PAÇOCA

Dentro do clima desse mês de festas, hoje trago uma receita que é uma delícia!

Nem precisa ir ao arraiá…faça em casa e chame amigos para provarem.

Eu fiz e levei para um encontro e agradou a todos!!!

bolo e creme

INGREDIENTES DO BOLO

3 ovos

1/2 xícara de óleo

1 xícara de leite

1 xícara de açúcar

1 e 1/2 xícara de farinha de trigo

3 paçocas rolhas esfareladas

1 colher (chá) de canela em pó

1 colher (sopa) de fermento

ingred.bolo

Misture bem os ovos, óleo e leite. Junte o açúcar e mexa bem. Adicione a farinha aos poucos, a paçoca e canela e misture.

Antes de colocar o fermento, vi que a massa estava com pelotinhas da farinha, então bati na batedeira. 

Coloque o fermento e leve assar em forma untada.

antes de assar

Parece que a massa é bem pouca, mas ela cresce bastante e fica bem bonita!

Forno pré aquecido, 180º por mais ou menos 30 minutos.

bolo assado

INGREDIENTES DO CREME

1 lata de leite condensado

a mesma medida de leite

2 gemas

2 colheres (sopa) de maisena

1 caixinha de creme de leite

3 paçocas rolha esfareladas

ingred.creme

Em uma panela misture os quatro primeiros ingredientes.

(A maisena coloco com as gemas em uma caneca e um pouquinho de leite para desmanchar).

Leve ao fogo até engrossar.

creme na panela

Retire, junte a paçoca e o creme de leite.

Mexa bem e reserve.

creme pronto

Coloque o bolo em um prato e encha a cavidade com o creme de paçoca.

bolo pronto

Como dá bastante creme, coloque em um outro pote e sirva junto com o bolo.

fatia

Essa receita tirei da Nestlé e ficou realmente muito boa!!!

“PORQUE, ASSIM COMO O RELÂMPAGO SAI DO ORIENTE E SE MOSTRA ATÉ AO OCIDENTE, ASSIM SERÁ TAMBÉM A VINDA DO FILHO DO HOMEM.” Mateus, 24- 27

TRICOTANDO AMOR…

E lá vou eu novamente relembrar passado!

Acho que isso é coisa da idade…

Mas é na hora em que escolho uma lã, agulhas e começo a tricotar é que aquele sentimento de avó toma conta de mim.

tricô

(Leiam também “Passeio por Curitiba com o tricô da vovó” e “Fazendo tricô“)

E enquanto a carreira termina e começo outra, as lembranças vão vindo nítidas e parece que vejo minha avó paterna que fazia maravilhas com suas agulhas.

E eu tão menina, a observar e a encher de perguntas, tipo:

-O que você está fazendo? Quando vai ficar pronto? Posso fazer um pouquinho?

Mas ela nunca ia embora de casa sem deixar pronto muitas meias, casacos e até vestidos!

São coisas tão boas prá se lembrar…

E meu tricô vai crescendo.

Estou fazendo uma manta para a boneca da minha neta Isadora.

bonecas

Já fiz muitas de muitas cores.

Mas essa é especial porque prometi a ela que quando viesse me visitar na casa nova, estaria pronta.

E como promessa é dívida, ela ganhou a mantinha para minha “bisneta”.

manta

E eu acho lindo vê-la conversar com suas filhinhas, enrolá-las para ficarem quentinhas e colocá-las para dormir…

isa e boneca

Minha pequena boneca Isadora, que nessa semana completa 7 anos, mãezinha em miniatura…

isa

Esse sorriso não tem preço…

“PODE UMA MULHER ESQUECER-SE TANTO DO FILHO QUE CRIA, QUE SE NÃO COMPADEÇA DELE, DO FILHO DO SEU VENTRE? MAS, AINDA QUE ESTA SE ESQUECESSE, EU, TODAVIA, ME NÃO ESQUECEREI DE TI.” Isaías, 49- 15

TUTU DE FEIJÃO

Como boa mineira que sou, logo que consegui me organizar em minha nova casa, fiz um almoço no domingo para meu filho, nora e neto.

A cozinha mineira é muito simples e seu forte é a criatividade e, por isso, usei o que quis nos complementos.

tutu pronto

Fiz uma carne de porco fritinha que coloco aqui a receita para vocês.

ingred.tutu

INGREDIENTES

250 gramas de feijão preto

bacon cortadinho

alho e cebola à gosto

sal e pimenta do reino

farinha de mandioca

Primeiro cozinhe o feijão. Em uma panela frite o bacon e retire assim que estiver fritinho. Reserve.

Nessa gordura frite o alho e a cebola picadinhos (coloque o tanto que estiver a seu gosto). Junte os grão do feijão cozido e tempere com sal e pimenta do reino.

Coloque a farinha de mandioca aos poucos com cuidado para não colocar muito e ficar duro.Eu, por exemplo, gosto do tutu bem molinho.

ingr.bisteca

INGREDIENTES DA CARNE DE PORCO

3 bistecas cortadas em tiras

alho e cebola

sal e pimenta do reino

óleo 

bist.na panela

Coloque um pouquinho de óleo numa panela e frite o alho e cebola.

Junte a carne e ponha o sal e pimenta. Deixe fritar bem. Retire e reserve.

bist.pronta

Frite um pouco de calabresa cortada em rodelas finas e alguns ovos e então já pode montar o prato.

tutu no prato

Não esqueça de jogar o bacon fritinho por cima do tutu, OK?

Você pode montar esse prato com couve refogada na manteiga, bananas fritas e qualquer outra coisa que combine e que tenha em sua casa.

“DISSE JESUS: EU SOU O CAMINHO, E A VERDADE, E A VIDA. NINGUÉM VEM AO PAI SENÃO POR MIM.” João, 14- 6