SOPA ESLAVA

A sopa eslava é uma versão aproximada do também eslavo Strogonoff. Leva carne picada num corte semelhante, catchup, molho inglês creme de leite, etc.

E fica deliciosa!

Nesse nosso inverno curitibano nada melhor que saboreá-la e aquecer…

INGREDIENTES

eslava 1

200 gramas de carne (patinho ou coxão mole), cortado em tiras

1 quilo de batatas

1 cebola média picada

1 colher (sopa) de óleo

2 colheres (sopa) de molho inglês

4 colheres (sopa) de catchup

1 caldo de carne

1 colher (café) de páprica

sal e pimenta à gosto

1 lata de creme de leite

Cozinhe as batatas e depois bata em liquidificador com o caldo do cozimento.

Reserve.

eslava 2

Refogue a carne no óleo e acrescente a cebola fritando mais um pouco.

Adicione o catchup, caldo de carne, molho inglês, sal, pimenta do reino e a páprica.

Deixe cozinhar até a carne ficar molinha (se precisar junte um pouquinho de água).

Junte as batatas batidas.

eslava 3

Deixe ferver, mexendo para não grudar.

Desligue o fogo e acrescente o creme de leite.

eslava 4

Pronto!

Já está pronta uma sopa especial para servir com um pãozinho a pessoas especiais!

eslava 5

“POR ISSO VOS DIGO: NÃO ANDEIS CUIDADOSOS QUANTO À VOSSA VIDA, PELO QUE HAVEIS DE COMER OU PELO QUE HAVEIS DE BEBER; NEM QUANTO AO VOSSO CORPO, PELO QUE HAVEIS DE VESTIR. NÃO É A VIDA MAIS DO QUE O MANTIMENTO, E O CORPO, MAIS DO QUE A VESTIMENTA?” Mateus, 6- 25

CIDADES ONDE MOREI: 3. CASTRO (INSTITUTO CRISTÃO)

No município de Castro, a quatro km da cidade, está o Colégio Instituto Cristão, uma das mais importantes instituições de ensino agropecuário do país.

É dirigido por holandeses e foi fundado em 1915.

mapa

E é lá que fomos morar!

Minhas lembranças agora já são muitas pois fiz o 1º e 2º ano primário ali.

Tínhamos um trole puxado por um cavalo de nome Petiço e que nos levava até a cidade para compras e passear.

trole

Castro está às margens do rio Iapó e tem um bom potencial turístico devido ao Canyon Guartelá, Carambei e Castrolanda.

Castro_1

Nessa foto antiga é como me lembro do Colégio.

antigo

Pinheiros, muito pinheiros rodeavam nossa casa que era grande, aconchegante, com lareira para nos aquecer do frio terrível que fazia por lá no inverno.

Havia dois lados: o dos rapazes, uma estrada no meio que levava a Tibagi e o lado das moças onde morávamos.

estrada castro

Foram anos deliciosos!!!

igreja

“ESFORÇA-TE E TEM BOM ÂNIMO; NÃO PASMES, NEM TE ESPANTES, PORQUE O SENHOR, TEU DEUS, É CONTIGO, POR ONDE QUER QUE ANDARES”. Josué, 1-9

Imagens: 1) pt.dreamstime.com; 2) http://www.diariodoscampos.com.br; 3) http://www.preciolandia.com; 4) http://www.castro.pr.gov.br

CURITIBANO

Aproveitando que estamos em pleno inverno, vou falar sobre o frio do curitibano, em forma de poesia.

Aproveito também para ilustrar com essas duas belíssimas fotos de pinheiros, tiradas pelo meu colega de trabalho (Positivo Informática), Radamés Manosso.

O blog dele http://www.radamesm.wordpress.com tem muito mais fotos e seus textos são inteligentes e oportunos.

Vale a pena visitar!

Pinheiro e sol(Pinheiro e sol- área rural de Campo Magro em 02-08-12)

E, segue o poema.

 

Frio!

Como é bom o frio!

O nosso bem amado cobertor

sai dos armários

cheirando sabonete

e nos envolve sonhador.

E aí vem meias,

grossas, de lã,

por cima de outras meias,

calças, fio quarenta sim,

que estão sob outras

calças, de brim.

E o nariz fica vermelho,

as mãos roxas,

o hálito a nos sair

em fumaças brancas,

arco íris de geada

penetrando nossas coxas.

E aí o curitibano se alegra.

Pode falar do frio

sentindo o frio que quis.

Coloca seu gorro, seu poncho,

casaco, luvas, sobretudo.

E, sobretudo, seu sorriso

de pessoa feliz.

(Do livro Um Pouco de Mim)

Pinheiro solitário(Pinheiro Solitário- Campo Magro- 08-06-13)