ELA, ELE E O HAICAI

Ela era tão jovem e sonhadora…

Gostava de flores, das árvores, dos animais do campo, dos riachos e do silêncio.

Passava horas sentada embaixo daquela “sua” árvore, um ipê florido, à beira do lago.

Pensava em quão lindas seriam as cerejeiras do Japão…

Tinha a maior vontade de conhecer suas origens e esse país que ela admirava tanto por suas paisagens belíssimas e pessoas tão apegadas às suas tradições!

Em seu colo, sempre um livro aberto ou um caderno no qual escrevia seus haicais e poemas.

“PERFUME NO AR,

JAPONESAS CONVERSANDO.

SÃO AS CEREJEIRAS.”

Nesse momento, fechou os olhos e pareceu ouvir as vozes sussurradas das japonesas sob as árvores carregadas de flores.

Sentiu o perfume que exalavam e abrindo os olhos tomou em suas mãos uma folha de papel que começou a dobrar, várias vezes, sem formar nada.

– Por que não consigo fazer maravilhas como fazem os japoneses?

E novamente escreveu:

“AS DOBRAS SUTIS

NO PAPEL TOMARAM FORMAS.

SÃO OS ORIGAMIS.”

– Ainda bem que consigo me expressar escrevendo. Falou baixinho.

– Não deixa de ser uma forma linda de se expressar também! Alguém disse.

Ela olhou assustada, repentinamente tirada do seu devaneio, para um jovem japonês parado ao seu lado.

– Por favor, não se assuste! Disse ele. Tenho passado sempre por aqui e vejo você sozinha, tão pensativa, sempre a ler, a escrever. Fico lá longe observando, mas hoje tomei coragem para me aproximar.

E ele se sentou ao lado da jovem.

Começava aí uma grande amizade, uma história de repartir conhecimentos, sonhos e amor.

Ficavam horas ali conversando.

Ele a contar histórias do seu país, ela a contar causos do seu.

Lá de longe, quem olhasse veria, às vezes, ela dançando tão leve, enquanto ele olhava encantado e, outras vezes, ela sorrindo muito enquanto ele mostrava a dança dos samurais.

De repente paravam e começavam a escrever.

Faziam isso muitas vezes e um mostrava ao outro, os versos que escreviam.

“VEM VINDO APRESSADO!

NO SILÊNCIO, OUÇO O GALOPE.

CAVALGO NO VENTO.”

– Eu sou como aquele que cavalga no vento. Disse ele. Venho de longe e quem sabe um dia, volto em suas asas…

“FLORES PROCURANDO

UM GIRASSOL AMARELO.

O SOL LÁ NO CÉU.”

– E esse que acabo de escrever é como sou. Disse ela. Em eterna procura de outros povos, outras pessoas, outros lugares.

E assim passavam os dias e eles se aproximando cada vez mais.

Em um dia, ela encontrou um papel dobrado em seu caderno.

“NA ESSÊNCIA DA VIDA

DESCUBRO, CHEIO DE ENCANTO,

PERFUME DE AMOR.”

Ela sorriu e guardou aquela declaração tão singela dele.

O tempo foi passando e um dia ele contou que precisava retornar ao seu país.

“MISTURARAM GOSTOS,

GESTOS, SALIVAS, TEMORES.

CHORARAM NO ADEUS.”

– Eu volto! Disse ele. Volto para te buscar!

E dia após dia, lá estava ela, com o caderno aberto em seu colo, muitas vezes o olhar perdido e, algumas vezes, lendo alto o que acabara de escrever.

“MURCHARAM AS FLORES,

PÉTALAS SE DERRAMARAM.

LÁGRIMAS DE DOR!”

E ela chorava baixinho lembrando quão doces foram os momentos passados com ele.

“ CHEIRO DE PERFUME

NA PELE LIMPA DO BANHO.

VOLTE, MEU AMOR!”

E as chuvas caíram e ela lá a escrever:

“A CHUVA CAINDO

MOLHA OS PENSAMENTOS MEUS.

ESTOU NAUFRAGANDO!”

E ali, naquele lugar onde foi tão feliz tantas vezes, ela se deixou ficar, as gotas da chuva misturadas com suas lágrimas sentidas.

Achou que ia morrer…

Sua roupa molhada, tão fria, colava em seu corpo já tão fraco da espera.

Fechou os olhos e começou a ouvir a melodia dos sinos dos ventos espalhados nas árvores ao redor.

Aos poucos foram sumindo e ela sentiu que estava prestes a entrar em um outro mundo.

De repente, sentiu uma pressão forte em seu corpo e estava com que pairando no ar.

Eram braços fortes que a seguravam com todo o carinho possível e a levavam para baixo de um abrigo.

“ AH, AQUELES RAIOS

ROMPENDO POR ENTRE FOLHAS!

DE NOVO ESPERANÇA.”

Ela abre os olhos e tudo se transforma!

“ DE REPENTE, O SOL.

É LUZ, CALOR, ENERGIA!

TRANSFORMO MEU CORPO!”

-Voltei para te buscar! Ele diz.

E ela, como por encanto, sente-se revigorada!

E quem olhasse de longe, veria o casal, mãos dadas, seguindo em direção ao arco íris no céu.

“ NAS MÃOS, UMA FLOR.

LEVO COMIGO FELIZ,

UM BRINDE AO AMOR!”

 

Essa história escrevi há muito tempo atrás e é uma homenagem a um povo ao qual tenho profunda admiração.

Foi publicada na “CIDADE EM REVISTA”, número 48 de fevereiro de 2018, da minha amiga, Cidinha Coletty.

Imagens: 1) rotadeferias, 2) 3) e 4) Pinterest

“A ESPERANÇA DEMORADA ENFRAQUECE O CORAÇÃO, MAS O DESEJO CHEGADO É ÁRVORE DE VIDA.” Provérbios, 13- 12

 

O VOO DA ÁGUIA MÃE!

Começo esse texto lembrando o que escrevi em 17 de setembro de 2015, “Meu Ninho Vazio”.

passarinho

Nele conto sobre a decisão da minha filha morar em outro país e como eu precisava, a partir daí, me reinventar.

Ela foi, viu, gostou e voltou para buscar suas coisas para partir em definitivo.

Isso quer dizer que: estou morando em uma cidade onde não tenho nem filhos e nem netos…

E é aí que essa Águia Mãe (como no haicai citado no texto acima), renova suas forças e segue para uma nova jornada: morar em Campo Mourão (depois de 32 anos…), perto do filho, nora e neto!

Águia4

E é para lá que essa Vovó Sílvia das Historinhas, das Comidinhas, do blog, de tantos amigos por aqui, resolve voar!

etiqueta vovó

Histórias da vovó Sílvia

Claro que é difícil!

Foram muitas noites pensando, analisando, pesando os prós e os contras até ter a certeza que isso era o que deveria ser feito.

E assim foi: já tenho uma casa linda lá, com até quarto para hóspedes porque sei que terei muitas visitas queridas.

casa

Como vocês sabem, as receitas que posto aqui, são todas feitas por mim e nesse mês e no próximo (que é quando estou me mudando) não terei tempo de elaborar nada novo…

Por isso espero que aguardem para março quando já estarei devidamente instalada e motivada para novas incursões culinárias.

Mas assim mesmo vou dar notícias, escrevendo algumas crônicas e indicando livros para lerem.

Li esse texto “O Voo da Águia” de Affonso Romano Sant’Anna e compartilho com vocês porque vale a pena!

“A águia é a única ave que chega a viver 70 anos. Mas para isso acontecer, por volta dos 40, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão.

Nessa idade, suas unhas estão compridas e flexíveis. Não conseguem mais agarrar as presas das quais se alimenta. Seu bico, alongado e pontiagudo, curva-se. As asas, envelhecidas e pesadas em função da espessura das penas, apontam contra o peito. Voar já é difícil.

Nesse momento crucial de sua vida a águia tem duas alternativas: não fazer nada e morrer, ou enfrentar um dolorido processo de renovação que se estenderá por 150 dias.

A nossa águia decidiu enfrentar o desafio. Ela voa para o alto de uma montanha e recolhe-se em um ninho próximo a um paredão, onde não precisará voar. Aí, ela começa a bater com o bico na rocha até conseguir arrancá-lo. Depois, a águia espera nascer um novo bico, com o qual vai arrancar as velhas unhas. Quando as novas unhas começarem a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. Só após cinco meses ela pode sair para o voo de renovação e viver mais 30 anos.”

Eu estou pronta para voar!!!

Imagens: novotempo.com; http://www.bsbvendas.com

“MAS OS QUE ESPERAM NO SENHOR RENOVARÃO AS SUAS FORÇAS E SUBIRÃO COM ASAS COMO ÁGUIAS; CORRERÃO E NÃO SE CANSARÃO; CAMINHARÃO E NÃO SE FATIGARÃO.” Isaías 40- 31

VOCAÇÃO

Talento, aptidão.

Muitas vezes é difícil reconhecermos, quando jovens, para quê temos talento.

Tem pessoas que parecem nascer sabendo aquilo que desejam ser no futuro.

_Vou ser arquiteta! Disse minha filha mais velha com apena cinco anos de idade, enquanto desenhava em seu caderno.

desenhista

E é!

Feliz da vida!

Outros vão descobrindo aos poucos, gastando tempo e dinheiro ao abandonar cursos ou mudando para outros completamente diferentes.

Tem aqueles que fazem testes vocacionais de tão indecisos que estão e, tem aqueles que acham não ter vocação para nada.

Do alto da minha experiência, penso que todos nós podemos descobrir, inventar e desenvolver nossas aptidões.

vocação

Um belo dia me formei professora e enquanto dava aulas, vi que poderia pintar estatuetas em gesso (muito em moda naquela época), aprender piano, violão, representar e cantar.

Fui vendedora de jóias e gerente de lojas.

Aprendi em cada uma gostar do que aprendia e fazia.

Assim eu falava de produtos dietéticos e insulinas com a mesma autoridade com que falava sobre artesanato brasileiro.

Fui recepcionista, locutora e coordenadora de cursos.

Dei palestra sobre Ética Profissional e fui modelo sênior por um período de tempo.

Sempre me saí bem.

E o que dizer do meu talento para mãe? Isso somente meus filhos podem atestar, mas pelos resultados…

Ultimamente passo meus dias na cozinha fazendo congelados.

Agora, o que sempre esteve presente, entre idas e vindas, foi minha vocação para escrever!

livros sesc 005

As poesias apareciam, muitas vezes, prontas em minha mente.

Depois me encantei com os Haicais e escrevia sem parar.

Quando comecei a escrever crônicas, foi tanta descoberta, a de não me sentir presa a rimas, sonoridade, cadência e contagem de sílabas, estava livre para escrever o que sentia e os sentimentos eram colocados amontoados em folhas de papel.

Quando pensava que não existia mais o que inventar, vieram os netos e com eles, as histórias infantis!

livros sesc 002

livros sesc 003

livros sesc 004

Meu Deus!

Pegava meu caderno, caneta na mão e elas vinham tomando forma e cores, vida, nos meus movimentos de escrever.

E, de repente, lá estavam elas, bem ali, de frente aos meus olhos, prontas!

Aí fazer um curso de contação de histórias, foi um pulo: é uma alegria imensa compartilhar com meus netos a magia do faz de conta.

Jardim Encantado22

E ainda tenho esse blog que é a mistura do que mais gosto: cultura e culinária!

Resumindo, dentro de todas as coisas, tudo que fiz e fui, a literatura sempre esteve permeando, infiltrando, sabendo que um dia seria ela, por inteiro, quem faria parte de toda a minha existência.

Vocação!

É isso!

Imagens: plurim.wordpress.com; milc.net.br

“NÃO SABEIS VÓS QUE OS QUE CORREM NO ESTÁDIO, TODOS, NA VERDADE, CORREM, MAS UM SÓ LEVA O PRÊMIO? CORREI DE TAL MANEIRA QUE O ALCANCEIS.” I Coríntios 9- 24

MEU NINHO VAZIO

Muito se tem falado sobre a Síndrome do Ninho Vazio, com textos cheios de conselhos e passos para superar essa fase.

ninho vazio

E chegou a minha vez!

Mas não, não estou ficando doente, mas é que hoje estou pensativa e chorosa…

Dos três filhos que tenho, a mais velha, já está há dez anos morando em Luanda, Angola.

angola

Meu caçula, desde cedo morou fora: primeiro fazendo faculdade, depois mestrado e por último, doutorado fora do país.

Aí voltou para se fixar em Campo Mourão, no Paraná (que nem é tão perto daqui…).

c.mourão

E agora minha filha do meio, que sempre esteve perto de mim, também vai voar…

Mesmo não nos vendo diariamente, cada uma com sua casa e seu trabalho, ELA esteve sempre aqui… perto!

Um oceano vai nos separar (ela vai para Cape Town na África do Sul) e um oceano de lágrimas já começo a derramar…

africa do sul

Claro, sei que o Brasil está difícil, cheio de problemas e eles são jovens, precisam procurar novos horizontes, ter novos projetos de vida.

Mas vou precisar me reinventar!

Quando me casei, em 1969, o mundo era diferente.

Fui morar no interior onde para falar com meus pais na capital, tinha que ir a um posto telefônico e ficar horas e horas esperando completar a ligação.

Quando conseguia…

Hoje tudo é mais fácil.

Tenho um tal de face time onde posso ver e falar com meus netos todos os dias!

Mas ELA não vai estar aqui!

Minha companheira de ir ao shopping, mercado, Igreja, almoçar fora, comentar sobre livros, filmes e novelas, comer brigadeiro, dar muitas risadas…

Mas é a SUA hora, a SUA vez de alçar voos.

passarinho

E o que uma mãe pode desejar a uma filha nessa hora?

Pedir bênçãos dos céus, o cuidado de Deus sobre ela, e desejar que seja feliz, feliz, feliz!

Que conheça pessoas boas, lugares bonitos, que aperfeiçoe outras línguas, que continue a escrever textos lindos como ela.

E eu?

Vou colocar um sorriso nos lábios, passar meu batom, fazer novas comidinhas, escrever sempre e muito no blog, sair com minhas amigas e esperar…

Afinal, sempre chega o dia da volta!

Da chegada!

E é quando o coração explode de alegria, os braços se abrem para o abraço gostoso sentindo o cheiro que só um filho amado tem.

20.07.14 - almoço de domingo Maria Helena (5)

Deus te abençoe, Fabiane, filha amada!

E aqui vai um haicai que escrevi há tempos: 

MEUS FILHOS VOARAM.

O NINHO FICOU VAZIO.

SOU POBRE ÁGUIA MÃE…

Imagens: mapas- wikipédia; 1) saude.umcomo.com.br; 2) http://www.bolsademulher.com

“NENHUM MAL TE SUCEDERÁ, NEM PRAGA ALGUMA CHEGARÁ À TUA TENDA. PORQUE AOS SEUS ANJOS DARÁ ORDEM A TEU RESPEITO, PARA TE GUARDAREM EM TODOS OS TEUS CAMINHOS.” Salmos 91-10 e 11.

SETE DE SETEMBRO!

Sim, sei que hoje é uma segunda feira, dia de colocar uma receita nova no blog.

Mas… por ser feriado, estou em Londrina, passando o dia de hoje com meu irmão Ciro, que faz aniversário ( ele é uma parada!).

Em homenagem a nossa Pátria, posto dois haicais que fiz sobre ela.

bandeira

CORRUPÇÃO, MENTIRAS!

É O BRASIL NO QUAL VIVEMOS…

GIGANTE TRAÍDO!

Brasil-Olho

DEUS NOS SALVE, PÁTRIA!

TÃO AMADA E ABANDONADA…

MÃE SEMPRE GENTIL.

Se quiser saber mais sobre Haicais entre no “Alguns Haicais” e “De novo… Haicais“.

Imagens: 1) http://www.materiaincognita.com.br; 2) http://www.badulacris.com.br

“BEM AVENTURADA É A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR, E O POVO QUE ELE ESCOLHEU PARA SUA HERANÇA.! Salmos, 33-12

TORTA NEGRITA

Para começar bem a semana, aqui vai uma receita de doce, com chocolate (hummmm!!!) acompanhada de um Haicai:

Eterna alquimista!

Misturo pós e temperos.

Preparo manjares.

 

montanha russa, penne e torta negrita 010INGREDIENTES

4 ovos

8 colheres (de sopa) de açúcar

10 colheres (de sopa) de farinha de trigo

10 colheres (de sopa) de nescau

1/2 xícara de vodka (rum ou martini)

3 colheres (de sopa) de manteiga

1 colher (de sopa) de fermento

+ ou – 1/2 copo de leite

Bata as claras em neve e reserve.

Bata a manteiga com o açúcar e gemas até ficar esbranquiçada.

Coloque o trigo, nescau, vodka e leite e bata bem (se a massa ficar meio dura,  coloque um pouquinho mais de leite).

Misture levemente as claras em neve e fermento.

Leve para assar em forma ou pirex untado por + ou – 40 minutos.

Prepare um brigadeiro mole e jogue por cima.

Depois, chocolate granulado.

montanha russa, penne e torta negrita 012

 

Para esse tamanho de pirex, fiz metade da receita.

 

 

ALGUNS HAICAIS

Essas fotos são de um lugar que visitei e que me encantou.

Estava num safári em pleno Parque Nacional do Quiçama, em Luanda, Angola, África.

A vegetação seca da savana e o calor escaldante  turvavam minha visão, até que olhei para um lado e tive a impressão que era uma miragem.

No meio de todo aquele deserto, no meio do nada, essas flores cor de rosa, lindas, desafiando a falta de chuva e o cuidado de mãos carinhosas.

É claro que fotografei!

Então lembrei-me de alguns Haicais que fiz há algum tempo e que falam de flores.

Para quem não conhece, segue a definição de Haicai: ” é uma forma poética de origem japonesa, que valoriza a concisão e a objetividade. Os poemas tem três linhas, contendo na primeira e na última cinco sílabas e sete na segunda linha”-(Wikipédia)

Para mim, defino como: “dizer muito em poucas palavras”.

Quero ver as flores,

a primavera sorrindo…

Deixe-me sonhar!

Chão atapetado

de flores brancas, vermelhas.

Mudam estações.

Flores procurando

um girassol amarelo.

O sol lá no céu.

Dê-me flores, céus,

e farei versos sem fim.

Dê-me amor e paro.

—————————————————————————————————————————————————————————————–