CAMARÃO NA MORANGA

Para vocês prepararem para a ceia de Ano Novo!!!

Nem sei quantas vezes fiz esse prato, mas sei que em todas as vezes ficou maravilhoso!!!

camarão-na-moranga

INGREDIENTES

1 moranga

1 copo de requeijão cremoso

1 quilo de camarão

1 lata de creme de leite

cebola, sal, pimenta do reino, caldo de camarão

1 colher (sopa) de farinha de trigo

1 colher (sopa) de manteiga

1

A primeira coisa a fazer é colocar a moranga em uma panela grande com água e deixar ferver por mais ou menos uma hora, tendo o cuidado de virá-la na metade do tempo.

Se você não tiver uma panela grande, pode colocá-la direto no forno coberta com papel alumínio por todo esse tempo também ou até que esteja macia.

Já fiz dos dois jeitos e dá certo de qualquer maneira.

2

Aí retire e corte na parte de cima para poder retirar toda a semente.

3

Feito isso faça uma pasta com sal, pimenta e óleo e esfregue por dentro da moranga.

Se ela ainda não estiver bem macia, volte ao forno com ela.

Prepare o camarão.

camarões

Coloque a manteiga numa panela, frite a cebola batidinha e em seguida os camarões deixando até ficarem rosados.

Cuidado: não pode deixar mais que isso porque ficam duros!

Junte os temperos.

Dissolva a farinha de trigo em um pouco de água fria e junte aos camarões. Retire e coloque o creme de leite.

4

Pegue a moranga e passe o requeijão por dentro dela e despeje os camarões cobrindo com mais um pouco de requeijão.

Leve ao forno novamente para gratinar.

Não vai caber todo o camarão dentro dela, mas a medida que as pessoas vão se servindo, vai enchendo novamente a moranga.

mesa

Acompanhe com um arroz branco e batata palha.

” AS MISERICÓRDIAS DO SENHOR SÃO A CAUSA DE NÃO SERMOS CONSUMIDOS; PORQUE AS SUAS MISERICÓRDIAS NÃO TEM FIM. NOVAS SÃO CADA MANHÃ.” Lamentações 3- 22 e 23

SOBRE O NATAL

“Sobre o Natal” é um poema que fiz há muito tempo e nos faz refletir sobre o verdadeiro espírito do Natal.

velas

SOBRE O NATAL

Natal de luzes acesas,

da família reunir.

De velas piscando,

do gosto de coisas doces,

dos odores a sentir.

—–

Natal das surpresas,

dos pacotes,

das fitas a enfeitar.

Das músicas, cantorias,

do clima de festa no ar.

—–

Natal do Noel,

roupa nova, caprichada.

Do champanhe, panetone,

presépio, pinheirinho,

da ceia tão esperada.

—–

Natal da prece,

do agradecer.

Do pesar o que passou

da saudade a nos doer

da infância que nos deixou.

—–

Natal da amizade,

do amor a repartir.

Do abraço generoso,

quente, forte, gostoso,

do parar pra refletir.

—–

Natal da fome,

escuridão.

De guerras,

desilusão.

De mão estendida,

de lágrima no olhar.

De estômago vazio,

de corpo passando frio,

de esperança perdida,

do nada a esperar.

—–

Natal é perdão.

É amor no coração.

Natal é luz infinita

é sentido novo à vida

é o brilhar de nova luz.

É o raio de esperança,

de paz, amor, segurança,

é o nascer do rei Jesus.

manjedoura

(Do meu livro Um Pouco de Mim)

Imagens: 1. ultradownloads.com.br; 2. verdadeignorada.blogspot.com