E EM MAIO, MUITOS EVENTOS!

E não foi só no mês de abril que tivemos inúmeras programações… o mês de maio também foi muito concorrido!

Começamos com um Sarau da AME (Associação Mourãoense de Escritores) no sábado dia 07 onde assistimos declamações, cantos e dança.

Tudo muito bem organizado (na própria biblioteca) pela presidente Silvania Maria Costa.

(Acima, alguns membros da AME e abaixo uma selfie da Dalva com o João Lara, eu e Silvania)

Impossível colocar todas as fotos com as participações, mas segue algumas que registrei incluindo muitas crianças e adolescentes da AMEM (Associação Mourãoense de Escritores Mirins).

Foram momentos de muita descontração onde todos que queriam, podiam se apresentar.

E como temos talentos em nosso meio!

Também tivemos o lançamento de mais um livro: “DE SUAS ORIGENS ATÉ 1970- ARTIGOS DE NELSON BITTENCOURT PRADO” que foi patrono (Cadeira 2) da nossa AML (Academia Mourãoense de Letras).

O evento aconteceu no dia 12 e foi nas dependência da Biblioteca Municipal e muitos compareceram, sendo a apresentação feita por nosso mestre de cerimônias, confrade Ilivaldo Duarte.

Esse livro foi editado pela Nova História Editora com a apresentação de Jair Elias dos Santos Júnior e a revisão feita por Hermínia Camargo Perdoncini.

E nessa semana tive mais uma alegria: recebi o trabalho que os alunos de Pedagogia da Unespar, através do professor Guilherme Antunes Leite, realizaram em seus projetos de estágio na nossa AML.

O primeiro foi esse: um áudiobook da história O Nasquimi Dourado, do livro de minha autoria com esse mesmo nome.

Foi realizado pelos alunos: Maria Luiza Dellay de Godoy e Anderson Lopes.

E esse acima, foi uma escolha das alunas; BrunaProença, Brenda Lima Giacoia e Caroline Rinaldo, uma poesia (Intimidade) do meu livro Um Pouco de Mim.

Coloquei o link para que todos que quiserem, possam conhecer o trabalho desses alunos aos quais sou muito agradecida por ter sido escolhida.

Agora o ponto alto do mês, foi a comemoração dos 20 anos da AML, celebrado com a outorga da COMENDA VIDA E LIBERDADE.

Foram duas as homenageadas com ela: REGINA MENIN GAERTNER (2020) e SINCLAIR POZZA CASEMIRO(2021), personalidades que contribuíram significativamente para as áreas de cultura, literatura e artes em nossa cidade.

Pela manhã já foram convidadas para o programa Tocando de Primeira da Rádio Colmeia FM da cidade, comandado por nosso confrade Ilivaldo Duarte na edição 1.432 do programa.

Acima: Jair, Gilmar, Sinclair e Ilivaldo; abaixo: Dalva, Agnaldo, Regina e Ilivaldo.

O evento aconteceu nas dependências do Hotel Paraná Palace e foi muito concorrido.

O mestre de cerimônias foi nosso confrade Fábio Sexugi e a mesa foi composta por autoridades presentes.

Da esquerda para a direita: Roberto Cardoso, diretor presidente da Fundação Cultural; Hozana Tezelli, representando o prefeito Tauillo Tezelli; Jair Elias dos Santos Júnior, presidente da AML por dois biênios; Dalva Helena de Medeiros, presidente da AML; Oclécio de Freitas Meneses, prefeito de Farol; Regina Gaertner e Sinclair Casemiro, as homenageadas.
Eu e Arleto Pereira Rocha, ao lado do nosso banner e em seguida a entrega das medalhas.
Entregando flores à nossa confreira homenageada ao lado da presidente da AML.
É claro que eu tinha que sair em uma foto com as duas amigas homenageadas!

Fomos ao restaurante anexo onde aproveitamos para conversar, tirar fotos e brindar o acontecimento.

Claro que a última, tinha que ser essa: os acadêmicos da Academia Mourãoense de Letras reunidos nesse importante dia!

Quando penso que não tinha mais nada para acontecer, eis que no último dia do mês, 31, vou até a FIORELLA EMPÓRIO E PADARIA e coloco no totem de livros, meus últimos dois : “O Nasquimi Dourado e outras Histórias” e “Acalanto”, sob as bênçãos do Sr. Geraldo, proprietário e incentivador da cultura.

Pois é… assim terminou o mês e vamos que vamos porque o amor a arte e literatura está mais do que nunca enraizado em nós!

“NÃO CLAMA, PORVENTURA, A SABEDORIA? E A INTELIGÊNCIA NÃO DÁ A SUA VOZ?” Provérbios, 8- 1

UM ABRIL DE PROGRAMAÇÕES!

Como fiquei feliz por nesse mês de Abril, começar a comparecer a reuniões presenciais, ir a novos lançamentos de livros, reunir-me com alunos e pessoas de fora!

A primeira reunião da AML (Academia Mourãoense de Letras)foi no dia 13 e matamos saudades!

Nesse dia aproveitei para trocar livros com a confreira Marlene Kohts (Um Dia Normal) e o confrade Arleto, adquiriu o meu Acalanto.

Uma honra!!!

Depois veio uma linda surpresa no Facebook para mim: os irmãos poetas George Abrão e Daniel Maurício, amantes das artes em geral, fizeram em sua página uma bela homenagem como destaque na literatura paranaense.

Sílvia Fernandes- escritora em versos e prosa junto a minha biografia, o que muito me sensibilizou.

Sobre o dia 16, meu aniversário, já coloquei o post: “Meu nome, Alegria; sobrenome Gratidão” com fotos.

Outro evento formidável (dia 19), foi o lançamento de dois livros escritos pela confreira Benedita Lima Cristófoli: “Conto e Contos” e “Duas Vidas bem Vividas”.

Foram momentos de pura emoção com suas duas bisnetas cantando lindamente; um coquetel maravilhoso; um duo de violão e voz que nos deixou tão à vontade que nem queríamos ir embora…

Pensam que terminou?

Nananinanão!!!!

No dia seguinte, 20, no período da tarde, já estávamos na Biblioteca Municipal onde fomos agraciados com uma apresentação dos alunos do Colégio Estadual Antonio Teodoro de Oliveira ( ATO).

Eles fizeram a leitura de todos os 25 textos e poemas do livro da AME (Associação Mourãoense de Escritores): “ENTRE LENTES E LETRAS”, que já coloquei aqui quando do lançamento em “Dezembro e seu Começo”.

(Nessa foto, as duas alunas que leram meu texto: “A Velha Máquina de Escrever)

Os alunos saíram-se muito bem o que nos deixou emocionados e os professores e diretores do colégio, orgulhosos!

(É claro que eu tive que falar… quem me conhece, já sabe…)

No dia 28, quinta feira à noite, fizemos o lançamento do livro “Obras Reunidas do Padre Pedro Poletto” na sede da Diocese, um lugar propício para esse evento.

O religioso que era italiano, foi homenageado por suas contribuições literárias e linguísticas, tendo vivido por muitos anos como pároco em Campo Mourão como dedicado sacerdote.

(Com a presidente da AML, Dalva Helena de Medeiros, com o padre Jurandir Aguillar, pároco e acadêmico da Cadeira 17 e com Giselta e Gilson em um momento de descontração)

E para encerrar essa agenda movimentada do mês, dia 29, fui até a Biblioteca Municipal para o encontro regional de Bibliotecas Públicas onde, como convidada, pude relatar experiências no universo da literatura em geral.

(Na foto maior, com as palestrantes de Curitiba: Marta Sienna e Neiva Minozzo)
(Com os participantes)

Terminei fazendo um sorteio do meu último livro “Acalanto” e a feliz ganhadora foi a Rosely Gomes da Silva da cidade de Quinta do Sol.

UFA!!!!!!!!!!!!!

Que Maio chegue igualmente com muito fôlego para promovermos cada vez mais, a disseminação da cultura em nossa cidade!

“ESPEREI COM PACIÊNCIA NO SENHOR, E ELE SE INCLINOU PARA MIM, E OUVIU O MEU CLAMOR.” Salmos, 40-1

LANÇAMENTO DO LIVRO: AMANHÃ!!!

LIVE DO DIA 10 DE AGOSTO

Amanhã é o grande dia: o lançamento do meu livro ACALANTO pela internet!

Meu primeiro livro de poesias foi em 2005, no espaço da LIVRARIA CURITIBA do Shopping Barigui em Curitiba.

Foi um dia festivo onde servi vinho branco e trufas aos presentes.

Muitas pessoas, mas cito uma em especial, a do escritor Túlio Vargas na época presidente da Academia de Letras do Paraná.

(Com Túlio Vargas e com Domingos Pelegrini)

O segundo livro, CRÔNICAS AO MEIO DIA, foi feito através da AGBOOK e está a disposição no site deles.

No terceiro teve uma festa linda: lançamento do livro infanto juvenil O NASQUIMI DOURADO E OUTRAS HISTÓRIAS nas dependências da Biblioteca Municipal de Campo Mourão.

Presenças importantes de amigos, confrades e confreiras (na época ainda não tinha sido eleita para a Academia), prefeito, tricocheiras e alunos de escolas locais. Servi um coquetel enquanto autografava o livro.

Bem, dessa vez vai ser completamente diferente!

O novo livro ACALANTO, trazendo crônicas, haicais e poemas, será todo online, mas nem por isso menos interessante.

A programação já está pronta e posso dizer que todos vão se emocionar comigo nesse dia!

Vou contar com a participação especial da atual presidente da Academia Mourãoense de Letras DALVA HELENA DE MEDEIROS e do presidente anterior FÁBIO ALEXANDRO SEXUGI.

E mais: meus 3 filhos, nora e 4 netos farão a leitura de versos durante o programa.

Que alegria!!!

Por isso tudo, convido a todos para ficarem ligados no dia, horário e link da programação.

DIA 10, TERÇA FEIRA, ÀS 19:00 HORAS, NA PÁGINA DA ACADEMIA MOURÃOENSE DE LETRAS NO FACEBOOK.

Para adquirir o livro, é só entrar no link abaixo, da LIVRARIA AMO LIVROS!

https://www.livrariaamolivros.com.br/loja/search/?nome=acalanto

Espero vocês AMANHÃ!!!!!!!

“PERTO ESTÁ O SENHOR DE TODOS OS QUE O INVOCAM, DE TODOS OS QUE O INVOCAM EM VERDADE. ELE CUMPRIRÁ O DESEJO DOS QUE O TEMEM; OUVIRÁ O SEU CLAMOR E OS SALVARÁ.” Salmos, 145- 18 e 19.

BRINCADEIRAS DE UM PROFESSOR

Até aonde vai a inspiração e criatividade de um professor?

Pois bem, ela não tem limites!

Vou contar a vocês um feito de muitos anos atrás.

Conheci o professor GILL DE OLIVEIRA quando meus filhos estudavam no Colégio Marista Santa Maria e tinham aulas de Português com ele.

Apesar de rigoroso os alunos gostavam muito de suas aulas.

Bem mais tarde, eu trabalhando na Tecnologia Educacional do Positivo, encontrei o professor Gill que agora trabalhava na Editora Positivo.

Éramos “vizinhos”.

Sempre que nos encontrávamos, parávamos para conversar e como o refeitório era o mesmo, muitas vezes sentávamos juntos e trocávamos figurinhas.

Dei de presente a ele o meu primeiro livro “Um Pouco de Mim”que lancei em 2005 e ali mesmo, debruçou-se sobre ele, já começando a ler.

Passado alguns dias, ele me procurou e timidamente, me entregou 2 folhas escritas que tirou do seu bolso.

O que é isso? Perguntei.

– Ah, é uma brincadeira que fiz usando muitos dos títulos de suas poesias.

Quase caí de costas ao ler aquele papel: sim, são 38 títulos das 79 poesias do livro.

Vejam como ficou, com os títulos em negrito:

COISAS DA SÍLVIA

Lá vem o vento sibilando

a mesma canção da poeta.

É a Sílvia veloz assoviando

e valsando a valsa vienense

para tentar dizer a esse vento

somente Um Pouco de mim

e apenas um muito da vida

desta mulher contestadora.

——————–

Ela começa Redescobrindo

as Noites e Coisas da Vida

duns Catadores de Papel,

com muita Solidariedade,

para alimentar Outra Vez

aquele Menino Crescido

com Sonhos de Saudade.

——————–

Nunca irei esquecer vocês,

Mulheres Sozinhas carentes.

De Carência, Sempre Igual,

Considerando o Faz de Conta,

escondido nas Lembranças

das heroínas do Vendaval.

——————–

Eu Acho, Janela Fechada,

que Nunca Vou Esquecer

As Corujas da Pousada

no seu Estado de Graça.

Nem a Goleada Coxa Branca

com beijos de cachaça

no Poder da Caipirinha,

no copo da Tininha

pendurados num varal

esperando o carnaval.

——————-

Como eu queria Janelas Fechadas

cantar em Estado de Graça

para escrever que nem Fabiane

sobre meus Momentos de vida

e transformar todos em poesia

sem Diferenças e sem Descaso.

——————

E agora De Novo Você!

Mas O Que é Isso Mulher?

Não, Nunca Vou Esquecer:

Escolhas com Mudanças,

Momentos em Contrastes.

Fim de Caso, são Coisas da Vida!

(Gill de Oliveira; 10/11/2005)

Ao nos encontrarmos novamente, ele disse que logo me entregaria a segunda parte com os títulos que faltavam.

Não deu tempo…

Logo depois, ele virou uma estrela no céu e está lá a escrever poemas sem fim.

“POSSO TODAS AS COISAS NAQUELE QUE ME FORTALECE.” Filipenses, 4-13

A POESIA EM MIM

Um dia desses, eu falava para mais ou menos 100 estudantes da oitava e nona séries de um colégio, sobre…poesia.

Comecei contando que aos 10 anos já lia um livro do meu pai que se chamava : “Grandes Poetas Românticos do Brasil”.

E aí já me encantava com os versos épicos de Gonçalves Dias em Juca Pirama, com as aventuras de Navio Negreiro contada por Castro Alves, com o romantismo de Olavo Bilac em Via Láctea, que declamei para eles.

Ouvidos atentos e eu tentando encantar.

Falei então.

-Para começar a escrever você tem que ler muito, vários assuntos e diversos autores. Aos poucos vai pegando o jeito e acaba escrevendo algo que às vezes pode nem achar muito bom, mas que deve procurar guardar em uma gaveta ou uma caixa.

Dali um tempo, lê novamente e vai vendo que até que estava bem interessante. Ou não…

Continuei contando que, um belo dia, há muito tempo atrás, juntei muitas poesias escritas e guardadas e mostrei a meu companheiro nessa época, que eu julgava ser muito inteligente, para dar uma opinião sobre elas.

Pois bem.

Fiquei na maior aflição aguardando sua palavra que pensava ser muito importante para mim.

E foi, não da maneira que eu esperava, mas foi!

Ele leu, tirou os óculos, olhou para mim e disse:

-Fraquinhas!

Pensam que desisti? Pois foi aí que me tornei mais forte!

Bem, o “casamento” acabou, mas meu primeiro livro “Um Pouco de Mim” saiu logo depois pela Fundação Cultural no ano de 2005.

Aplausos!

O importante é não desistir, continuar lendo, aprendendo, escrevendo.

Muitas vezes a poesia surge quase pronta em nossas mentes e aí você tem que correr para colocá-la no papel.

Às vezes demora a acontecer e você então procura frases, palavras e rimas até achá-las de repente o que torna mais vivo esse poeta dentro de nós.

E, outras vezes ainda, você fica tão competente que começa a trabalhar com as palavras fazendo um jogo com elas, como é o caso desse pequeno poema meu:

MUDANÇAS

FULANO ESCREVE ASSIM,

SICRANO ESCREVE ASSADO, 

BELTRANO ASSIM E ASSADO.

EU ASSO ENQUANTO ESCREVO

E QUASE O DEIXO PASSADO.

MAS NÃO PASSOU,

O TEMPO.

O QUE ESCREVO MUDOU,

COMO EU.

É uma magia, uma teimosia que nos faz querer escrever, poetizar sem parar.

Espero que com minhas palavras, tenha despertado em alguns, o poeta adormecido que espera em algum momento, despertar.

NEM TODO O QUE ME DIZ: SENHOR, SENHOR! ENTRARÁ NO REINO DOS CÉUS, MAS AQUELE QUE FAZ A VONTADE DE MEU PAI, QUE ESTÁ NOS CÉUS.”Mateus, 7-21

 

 

MAIS UMA VISITA LEGAL!

Uma das minhas alegrias é quando sou convidada a falar para alguma turma de alunos, sobre a arte de escrever ou literatura em geral.

Gosto de ver o olhos grudados em mim quando começo a andar e declamar em alta voz os versos que me vem à mente.

E é nesse momento que começo a ganhar os ouvintes e me animo em contar como foi que peguei o “vírus” de uma leitora voraz, a gostar de escrever, a pensar poesia.

Foi assim no ano passado quando visitei pela primeira vez o Colégio Dr. Osvaldo Cruz e que vocês podem ler em “Celeiro Cultural” (é só clicar em cima).

Dessa vez foi diferente.

(Aqui sendo recebida pela diretora Rosemere Scheffer)

Fui conversar com uma turma de sétimo ano no encerramento de mais uma etapa do projeto Celeiro Cultural.

Eles leram o texto “Mãe África” e a poesia “A Poesia e a Cidade”, ambos da coletânea “Caminhos In Versos e Prosas VII” da AME, lançada em 2018.

E também os dois contos “”O Caso do Bilhete Perdido” e “O Jardim dos Três Desejos”, do livro “O Nasquimi Dourado e outras Histórias”, também lançado no mesmo ano.

(Com as professoras Edina Sacramento e Maria Pasquini, idealizadoras do projeto)

Fizeram inúmeras perguntas:

-Ganha-se muito dinheiro escrevendo livros?

-O que te levou a começar escrever?

-Já tem outros projetos prontos?

-Quais seus próximos planos?

(Desenhos e textos feitos pelos alunos)

Agora, o maior interesse mesmo foi sobre minhas viagens a África.

Queriam saber tudo sobre o lugar, sobre as pessoas, até se eu gostaria de um dia morar lá…

-Não, isso não, respondi. Meu lugar é aqui, na minha casa, cidade e país, mas enquanto puder, quero voltar lá ainda muitas vezes.

Nossa, como o tempo passou rápido!

Fizemos muitas fotos e, ainda de quebra, uma mesa com salgadinhos, doces, bolo e refrigerantes.

Virou festa!

E meu coração saiu festivo dali, ao saber que jovens leem meus livros, que se interessam pela cultura e literatura.

E, em minha imaginação enquanto caminhava, fui vendo cada um escrevendo sua própria história em forma de contos e poesias.

Será um final feliz!

“E BUSCAR-ME-EIS E ME ACHAREIS QUANDO ME BUSCARDES DE TODO O VOSSO CORAÇÃO, E SEREI ACHADO DE VÓS, DIZ O SENHOR.” Jeremias, 29-13 e 14

 

 

UM PASSEIO PELA LITERATURA

Começo agradecendo a Mara Cristina dos Santos Oliveira, estudante de Biblioteconomia do Centro Universitário Claretiano, responsável pelo projeto Nossa Gente Nossas Letras.

Em parceria com a bibliotecária Liane Cordeiro (Biblioteca Antonio Martins Filho), organizou o Encontro de Escritores, juntamente com os acadêmicos da Unespar Campus Campo Mourão (colegiado de Pedagogia e do curso de Formação de Docentes do Colégio Estadual).

Este foi o primeiro encontro organizado pelo projeto, aproveitando a data de 29 de outubro na qual se comemora o Dia Nacional do Livro.

(Liane, Mara e eu)

Pela manhã, falei para uma platéia interessada (Um passeio pela Literatura) e à noite, Jair Elias dos Santos Junior, discorreu sobre o tema:”Campo Mourão, a construção de uma cidade”.

Fui levando os ouvintes a passear primeiramente pela poesia, depois as crônicas, haicais, contos, reescritas, histórias infantis e juvenis.

Um passeio lindo para quem, como eu, ama a literatura!

(Valéria, a primeira à esquerda,-responsável pela biblioteca; em seguida a professora Dalva, Liane, professor Renato, eu e Marlene – bibliotecária do Colégio Santa Cruz).

(Momento para perguntas)

(Mara, Dalva e eu autografando um livro)

(Os alunos com as professoras Adriana e Cristiane e os outros já mencionados)

O que dizer desse momento?

Fernando Pessoa disse, certa vez: escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. 

A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida.

(Visita à biblioteca da Unespar)

“Por intermédio de diversos gêneros, formas nas quais a linguagem literária se manifesta, a literatura toma corpo e liberta-se do plano das ideias; transforma-se em um poderoso instrumento da comunicação e interação, difunde a cultura e democratiza o conhecimento”-Mundo Educação.

“COM A SABEDORIA SE EDIFICA A CASA, E COM A INTELIGÊNCIA ELA SE FIRMA; PELO CONHECIMENTO OS SEUS CÔMODOS SE ENCHEM DO QUE É PRECIOSO E AGRADÁVEL.” Provérbios, 24- 3 e 4.