MASSA DE PIZZA FACÍLIMA

Como eu gosto de pizza!

Já coloquei aqui no blog, uma receita deliciosa de uma amiga querida e escrevi até sobre o Dia da Pizza!

Mas ainda não tinha achado uma massa tão fácil e gostosa como essa!

De liquidificador!

Isso mesmo, então vamos aos INGREDIENTES!

1 xícara de leite

1 ovo

1 colher (chá) de sal

1 e meia colher (sopa) de manteiga

1 e meia xícara de farinha de trigo

1 colher (sopa) de fermento Royal

Coloque todos os ingredientes no liquidificador, na ordem acima, e bata até que se forme uma massa homogênea.

Unte uma forma e coloque a massa.

Espalhe em toda a forma.

Leve a assar em forno aquecido até a massa ficar firme (pré assada).

Retire e cubra com o recheio de sua preferência.

Eu coloquei: molho de tomate, milho verde, presunto, duas espécies de queijo, orégano e azeite.

Leve ao forno novamente até derreter bem o queijo.

Ficou maravilhosa!!!

Agora que aprendi essa massinha, só vai dar ela!

“O SENHOR AFASTOU OS TEUS JUÍZOS, EXTERMINOU O TEU INIMIGO; O SENHOR, O REI DE ISRAEL, ESTÁ NO MEIO DE TI; TU NÃO VERÁS MAIS MAL ALGUM.” Sofonias, 3- 15.

 

 

 

 

COOKIES DELICIOSOS

Os famosos cookies existem desde o século XVII.

A palavra cookie vem do holandês “koekje” e significa pequeno bolo.

Segundo a história, antes de colocar a receita toda de um bolo para assar, era feito um teste, separando uma pequena porção da massa e colocando no fogo para testar a temperatura.

Mas foram os britânicos que descobriram que essa massa do teste combinava com o tradicional chá porque parecia com uma bolachinha. (Superbeal.com.br)

Então aqui vai uma deliciosa receita desses famosos Cookies e super fácil de fazer.

INGREDIENTES

100 gramas de manteiga em temperatura ambiente

1/2 xícara de açúcar mascavo

1/3 xícara de açúcar comum

1 ovo

1 xícara e meia de farinha de trigo

1 colher (chá) de essência de baunilha

1 colher (chá) de fermento

1 pitada de sal

180 gramas de gotas de chocolate ou chocolate picado

Coloque na batedeira a manteiga e os dois açúcares.

Bata bem até ficar uma mistura esbranquiçada.

Adicione a essência e o ovo batendo muito bem.

Retire da batedeira.

Adicione os ingredientes secos, misture com uma colher e junte o chocolate até ele se incorporar à massa.

Observação: o ponto da massa é bem amanteigado mesmo, pegajoso.

Forre uma forma com papel manteiga (eu untei com manteiga) e com a ajuda de duas colheres pequenas, faça bolinhas irregulares (quando assar ela vai esparramar) e coloque distante uns 3 dedos uma das outras.

Decore com um pedacinho do chocolate.

Leve ao forno pré aquecido em 200º até que as bordas fiquem levemente douradas e o miolo macio.

Retire do forno e espere esfriar antes de retirar da forma.

Guarde em uma lata ou pote bem fechado.

Ah, sim, essa receita eu copiei do blog do Rodrigo Rondelli!

Maravilhosa!!!

E sim, fiz em um sábado, véspera do dia da Páscoa.

“CHEGADA, POIS, A TARDE DAQUELE DIA, O PRIMEIRO DA SEMANA, E CERRADAS AS PORTAS ONDE OS DISCÍPULOS, COM MEDO DOS JUDEUS, SE TINHAM AJUNTADO, CHEGOU JESUS, E PÔS-SE NO MEIO, E DISSE-LHES: PAZ SEJA CONVOSCO!”João, 20- 19

 

MEU ANJO DA GUARDA

Esses dias eu conversava telepaticamente com o meu anjo da guarda.

E conversa vai, conversa vem, começamos a relembrar as muitas vezes em que ele me salvou de boa.

-Lembra quando eu tinha meus 10 anos  e fui passar o fim de semana na fazenda dos meus tios? Perguntei. Eu e minhas primas montamos escondidas nos cavalos e trotamos até perto da linha do trem. Bem naquela hora ele veio apitando e os cavalos dispararam assustados e o que eu estava, empinou me jogando com força ao chão.

-Lembro sim! Respondeu ele. Tive que fazer do chão uma terra macia para você não se machucar tanto…

-Assim mesmo me esfolei, mas se não fosse você, eim?

E nossa conversa continuou com lembranças da minha adolescência até chegar à fase adulta onde dei bastante trabalho.

-E aquela vez do ponto de ônibus? Perguntou o Anjo. Você estava sozinha e o pivete veio com um caco de vidro enorme te ameaçando e pedindo seu dinheiro.

-É mesmo! Respondi. Eu entreguei a ele o dinheiro da passagem que estava em minha mão e nisso o ônibus encostou me livrando dele!

-Isso me fez lembrar de outro ponto de ônibus, bem cedinho, lembra?

-E como lembro! Confirmei ao Anjo. Eu entrava no trabalho às sete da manhã e tinha que pegar o ônibus das seis e quarenta. Muitas vezes, noite ainda. E lá estava eu naquela manhã, sozinha novamente, quando veio um homem em uma bicicleta e para em minha frente e pede meu celular. Nem sei o que me deu naquela hora, mas peguei minha sombrinha contra ele, ameaçando e nessa hora, o ônibus encostou!

-As duas vezes o ônibus te salvou, não é mesmo? Pergunta meu Anjo sorrindo.

-É, sempre tem o seu dedinho salvador em tudo isso , né? Pergunto.

-E teve aquela vez em que você seguia bem cedinho para o trabalho na rua deserta e dois homens começaram a te seguir?

-Nossa! Escapei por pouco! Entrei em um prédio onde milagrosamente o porteiro abriu para mim e onde fiquei, agradecida, até o perigo passar.

-Milagrosamente, não? Sorriu meu Anjo ao se lembrar da cena.

E fomos lembrando tantas outras passagens enquanto nossa conversa se mantinha docemente entre risadas gostosas.

-Mas teve uma agora recentemente e que você agiu como uma verdadeira atriz, não foi?

-É verdade! Era um domingo de manhã, rua deserta e eu voltava do mercado carregando minha bolsa e algumas sacolas. Nisso um homem em uma moto passa por mim olhando para trás, faz a volta e vem em minha direção. Tive a certeza que iria ser assaltada por ele. Rapidamente me lembrei de ter visto, na ida, umas pessoas sentadas dentro da varanda em uma casa bem perto de onde eu voltava. Levantei meu braço e gritei na direção deles: -oi, já estou chegando!!! O homem fez uma curva quase em cima de mim e foi embora em disparada!

-Que presença de espírito você teve, não é mesmo? Pergunta meu Anjo sorrindo enigmaticamente.

-Pois é… você deve se lembrar de muitas e muitas vezes em que esteve a meu lado, me salvando, né?

-Isso se chama livramento! E foram tantos que você nem teve conhecimento na hora em que aconteceu!

-Ah, Anjo, obrigada! Nem sei como agradecer tudo que faz por mim!

-Não me agradeça! Ele respondeu. Eu sou apenas servo. Agradeça a Deus que é nosso Senhor e criador e que tem muito amor por você.

Ali terminamos o nosso papo.

Foi bom conversar com alguém que está sempre a meu lado, cuidando de mim!

Observação: os acontecimentos do texto são todos verídicos!

Imagens: 1) astroClick; 2) aquinoticias; 3) getty Images; 4) iQuilibrio

“NENHUM MAL TE SUCEDERÁ, NEM PRAGA ALGUMA CHEGARÁ À TUA TENDA. PORQUE AOS SEUS ANJOS DARÁ ORDEM A TEU RESPEITO, PARA TE GUARDAREM EM TODOS OS TEUS CAMINHOS. ELES TE SUSTENTARÃO NAS SUAS MÃOS, PARA QUE NÃO TROPECES COM O TEU PÉ EM PEDRA.” Salmos, 91- 10, 11 e 12.

 

BATATAS INVENTADAS

E dando continuidade às invenções culinárias, eis que hoje me deparo com apenas alguns ingredientes em minha cozinha.

Na bandeja, 4 batatas e cebolas.

No quintal, meus temperos favoritos.

Na geladeira, coisas como azeitonas e requeijão cremoso.

No armário, azeite.

E vamos ver no que deu.

Primeiro descasque e leve para cozinhar as batatas em água e sal.

Não deixe cozinhar muito para não desmanchar.

Forre um pirex com azeite e cebola cortada.

Coloque as batatas cozidas e azeitonas.

Por cima coloquei: sálvia, manjericão, salsinha e alecrim e coloquei bastante requeijão. Reguei mais um pouco com azeite e levei ao forno.

O perfume é algo de maravilhoso!!!

E saiu esse prato, digno de um almoço surpreendente!

Nada como aproveitar o que temos e inventar novos pratos!

“NA VERDADE, A TERRA ESTÁ CONTAMINADA POR CAUSA DOS SEUS MORADORES, PORQUANTO TRANSGRIDEM AS LEIS, MUDAM OS ESTATUTOS E QUEBRAM A ALIANÇA ETERNA.” Isaías, 24- 5

 

 

 

MACARRÃO INVENTADO

Tem dias em que você não sabe o que vai fazer para o almoço, não é mesmo?

Ainda mais em dias como o que estamos passando…

Aí você abre a geladeira e olha como quem pergunta: o que temos?

Então começa a juntar um pouco disso, um pouco daquilo e, de repente: sai tudo isso!

Bom, primeiro achei o macarrão e já coloquei para cozinhar em bastante água e sal.

Aí encontrei três fatias de presunto, um pedaço de queijo muçarela, outro de queijo gouda e requeijão cremoso.

Peguei uma frigideira e coloquei um pedacinho de manteiga.

Quando derreteu, coloquei o presunto picadinho e fritei.

Em seguida, corri até o meu quintal e colhi algumas folhas de manjericão.

Coloquei os queijos e juntei o manjericão.

O perfume dele já subiu lindamente pelo ar da cozinha…

Quando os queijos derreteram, juntei o requeijão.

Tudo à gosto.

Nisso o macarrão já estava cozido e retirei para escorrer a água.

Então, juntei o macarrão na frigideira onde o molho já estava pronto e mexi cuidadosamente.

Como é que pode, um prato sem planejamento, com coisas da geladeira, pode ficar tão bom?

Até vale a pena repetir a primeira foto, não?

“SEMEAI PARA VÓS EM JUSTIÇA, CEIFAI SEGUNDO A MISERICÓRDIA; LAVRAI O CAMPO DE LAVOURA; PORQUE É TEMPO DE BUSCAR O SENHOR, ATÉ QUE VENHA, E CHOVA A JUSTIÇA SOBRE VÓS.”Oseias, 10- 12

 

PARECE TUDO IGUAL…

Dia 20 de março de 2020, entrando hoje no Outono.

Quer uma estação melhor do que esta para darmos adeus àquele calor sufocante ( como faz calor aqui em Campo Mourão!) e abrirmos os braços para o ventinho mais fresco que ela nos traz?

Parece tudo igual…

Eu em minha rede; o céu azul sem nuvens; as flores dos vasinhos cheias de cor e perfume; os passarinhos indo e vindo tomar a água fresca que coloquei para eles; os beija flores rodopiando por sobre as azaleias do jardim, parece tudo igual.

Só que não!

Isso não acontece nem aqui e nem no mundo!

Nesse outono bonito, dourado pelo sol, as pessoas não estão pelas ruas, estão dentro de suas casas, fechadas, sentindo medo e, muitas delas, em pânico!

Tenho visto os tele jornais e as notícias são alarmantes; recebo diariamente whats de amigos do Brasil e do exterior, constantemente abordando o mesmo assunto; nas redes sociais os acontecimentos são tão comentados que às vezes sobra tempo para recados muitas vezes, engraçados (como o brasileiro é criativo!).

E são médicos, padres e pastores, atores e atrizes, professores, pessoas comuns e que gravam seus vídeos deixando mensagens tentando de alguma maneira acalmar as pessoas com palavras de conforto (ou não…).

Tudo muito válido, mas eu, por exemplo, estou me abstendo de ouvir mais de um jornal ao dia e abrir os vídeos… nem pensar!

Não porque eu queira fugir da situação em que estamos e ficar alienada; não é isso, mas quanto mais você ouve e lê e passa a viver somente para esse assunto, ele vai te fazendo mal e por uns dias me senti até doente…

No último post publicado aqui, texto da minha filha Fabiane, diz o que podemos aprender dessa epidemia.

Em uma semana a situação por lá (Portugal) mudou bastante: tudo fechado incluindo fronteiras e aeroportos e o número de infectados e mortos aumentou e muito!

Em Luanda, Angola, onde minha filha Viviane, meu genro e netos moram, aconteceu os dois primeiros casos do vírus. Estão todos em casa.

Talvez, na semana que vem, quando eu estiver postando alguma coisa, a situação por aqui também tenha mudado…esperemos que seja para melhor!

Confiar e crer que TUDO está nas mãos de Deus é o primeiro passo para nossa cura.

É difícil?

Claro que sim!

Mas a oração vai nos fazer mais fortes!

Daqui um pouco vamos poder, de fato, falar:

-parece tudo igual!

E sim! Tudo estará igual novamente!

Imagens: 1) meu jardim; 2) imovelweb.com.br; 3) tempodeagradecer.blogspot.com

“NÃO SE VENDEM DOIS PASSARINHOS POR UM CEITIL? E NENHUM DELES CAIRÁ EM TERRA SEM A VONTADE DE VOSSO PAI. E ATÉ MESMO OS CABELOS DA VOSSA CABEÇA ESTÃO TODOS CONTADOS. NÃO TEMAIS, POIS; MAIS VALEIS VÓS DO QUE MUITOS PASSARINHOS.” Mateus 10- 29, 30 e 31

 

O QUE PODEMOS APRENDER COM ESSA PANDEMIA

Esse texto veio quentinho ontem à noite, diretamente de Lisboa, Portugal, onde minha filha Fabiane, que é jornalista, está morando.

“O novo sempre assusta.

E se esse novo for uma doença, apavora ainda mais.

Mas sim, há vida nesse caos e é possível aprender a lidar com esse momento passageiro.

 Talvez você já não aguente mais ouvir falar do coronavírus.

Talvez você ache isso tudo um exagero.

Talvez isso nem tenha chegado à sua cidade ainda…

 Mas, como eu estou em Portugal, esse é um assunto que não tem como não fazer parte das conversas – online, porque reuniões com mais de cinco pessoas não são aconselháveis no momento.

Diferentemente da Itália e Espanha, aqui não estamos proibidos de muita coisa. Mas há restrições. O estado de alerta em Lisboa segue até 9 de abril.

 A cidade está mais vazia, mesmo nesses dias de calor.

Apesar de ainda estarmos no inverno, faz duas semanas que tem feito sol e calor em Lisboa. As esplanadas – restaurantes e bares ao ar livre – deveriam estar lotadas, mas não estão. Há pessoas, mas em número reduzido.

A curiosidade é que 90% dos que ainda saem às ruas são estrangeiros.

No sábado dei uma volta pela cidade e só ouvi inglês, francês e alemão. Português mesmo só dos motoristas de tuk tuk e dos garçons.

 (Apesar do sol, esplanadas com poucas pessoas, sendo 90% estrangeiros).

 As pessoas estão cuidadosas. A recomendação é não chegar perto, não abraçar nem beijar. Para mim, tudo normal: sou de Curitiba!!

 As escolas e universidades foram encerradas.

Os supermercados têm novo horário de funcionamento, reduzido. Os centros comerciais também.

A Câmara Municipal da cidade fechou museus, teatros, bibliotecas, piscinas e pontos turísticos, como o Mosteiro dos Jerônimos, a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos.

( Um dos lugares mais procurados pelos turistas, a Praça do Comércio estava vazia para um final de semana).

 Algumas empresas adotaram o home office, como forma de evitar que os funcionários peguem o transporte coletivo.

A minha foi uma delas, então desde a última quarta-feira todos trabalham de casa.

 Alguns restaurantes também fecharam as portas, assim como shows e peças de teatro agendados para março e abril foram adiados.

À noite, todos as discotecas e bares estão encerrados.

A maioria das academias também optou por fechar.

 No domingo o Ministro da Administração proibiu o consumo de bebida alcoólica nas vias públicas e determinou a redução para cem pessoas em espaços fechados (até então o número era de 500 pessoas).

A intenção é evitar ao máximo as aglomerações.

 (Na Ribeira das Naus, em frente ao Tejo, algumas pessoas aproveitaram o sol do final de semana, mas mantendo distância uns dos outros).

 Nos supermercados há muitas prateleiras vazias, mas a reposição é feita diariamente. Houve um certo pânico, mas quando as pessoas perceberam que se não fizerem estoque não vai faltar, os ânimos se acalmaram.

Só há duas coisas que realmente não existem: álcool em gel e máscaras.

  (Alguns produtos são mais procurados, como enlatados, leite e limpeza. Mas a reposição tem sido rápida).

 A grande preocupação agora é fazer com que as pessoas sejam menos egoístas. Talvez essa pandemia ensine isso.

Por que não se trata de ficar doente – já sabemos que a mortalidade é pequena face a tantas outras doenças. A questão é que não há espaço para atender todas as pessoas que precisam, em especial os idosos.

Por isso é tão importante respeitar as regras impostas, para que a disseminação não se alastre ainda mais.

(Em Alfama, um aviso com os cuidados básicos sobre o Covid-19).

 Ontem à noite, após uma convocação pelas redes sociais, as pessoas saíram ao mesmo tempo nas janelas de casa para aplaudir os profissionais de saúde, que têm se empenhado muito na luta contra o coronavírus. Foi lindo de ver!

 Vamos sobreviver? Com certeza!

Serão tempos difíceis, mas acredito de que vamos passar por mais essa! Enquanto isso, vamos aprendendo a ser menos individualistas e mais solidários. Vamos confiar nas autoridades, obedecer às recomendações, não entrar em pânico e não repassar fake news.

Enfim, vamos nos adaptar a esse momento, e quando tudo passar, estaremos fortalecidos e aprenderemos a dar mais valor à saúde e à liberdade.

E que Deus nos proteja!”

Muitos de nós, que estamos longe de nossos queridos que moram no exterior, com razão nos preocupamos com a saúde deles.

Então foi oportuna essa reflexão e que nossa fé em Deus, jamais seja abalada porque, como Ele mesmo disse:

“…O VOSSO PAI, SABE O DE QUE TENDES NECESSIDADE, ANTES QUE LHO PEÇAIS.” Mateus, 6-8

 

 

TORTA DE SANTIAGO

(Foto: tudoreceitas.com)

Torta de Santiago é uma sobremesa tradicional da Galiza, na Espanha. É, mais concretamente, oriunda da capital galega, Santiago de Compostela, podendo ser encontrada por toda a Espanha. Os ingredientes principais deste doce são a amêndoa e os ovos. (Wikipédia)

Tem como característica a Cruz de Santiago gravada na parte superior da torta o que  é uma invenção moderna, de 1924, feita em papel, colocada por cima do bolo já pronto e colocado açúcar de confeiteiro sendo retirado o molde para ficar assim.

Eu como só queria experimentar a receita, não fiz como a original…

INGREDIENTES

250 gramas de amêndoas

250 gramas de açúcar

4 ovos inteiros

1 colher (sopa) de canela em pó

raspas de 1 limão

Observação: para o meu paladar, o limão puxa muito o gosto e tira o sabor dos outros ingredientes; de uma próxima vez, trocarei por uma essência de amêndoas que, tenho certeza, ficará bem melhor.

Primeiro já coloquei as amêndoas no liquidificador para fazer a farinha.

Em uma tigela coloque os ovos e o açúcar e misture muito bem.

Junte a farinha de amêndoas, canela e raspas do limão ( que vou trocar em uma próxima vez).

Misture bem e leve ao forno em forma de aro removível, untada com manteiga e em forno pré aquecido em 180º por mais ou menos 30 minutos.

Deixe esfriar e retire da forma.

Cubra com açúcar de confeiteiro (no meu caso, não coloquei o açúcar).

Preferi colocar uma bola de sorvete de coco caseiro e ficou como se fosse um brownie.

Aproveitem!!!

E JESUS, OLHANDO PARA ELES, DISSE-LHES: AOS HOMENS É ISSO IMPOSSÍVEL, MAS A DEUS TUDO É POSSÍVEL.” Mateus, 19-26.

 

UM MURO EM MEU CAMINHO

Eu e minhas andanças à pé pela cidade, dou de repente com esse muro e seus dizeres esquisito.

Parei e fotografei para depois refletir sobre quem e por que, alguém escreveria isso.

-Uma mensagem para alguém?

-Uma afirmação para si mesmo?

Comecei a analisar.

“Quando não me amo”, significa que ele se ama algumas vezes e em outras, deixa de se amar.

“Eu me machuco”, essa frase tem várias conotações, como por exemplo:

-ele se fere fisicamente?

-Ele se machuca interiormente?

-Ele já passou por isso quantas vezes, porque deixa implícito que já aconteceu anteriormente.

-Isso faz com que ele tenha necessidade de se manifestar através da escrita?

-Seria o caso dele estar com tantos problemas reais que não consegue se amar?

(Aqui vale uma observação: estou me referindo a ELE, masculino, com a impressão de ter sido um homem a escrever essa frase. Meu instinto falou mais alto…)

Fui olhar no meu amigo Google para ver se existia alguma coisa, como uma música talvez, em que tivesse uma referência a essa frase.

Achei um poema no Youtube de Marina Peralta, onde ela diz: “quando não me amo eu me machuco” e em seguida “lembra? Lembra?” para encerrar com: “me amo, me acolho, me aceito, me escolho.”

Então será que nosso desconhecido passante conhecia essa letra?

Ou foi em um rasgo de emoção que pensou e escreveu?

Seja como for, parei para pensar nesse assunto…

E tudo que pensamos, pode sim virar um texto, um poema ou tema para reflexão.

Como a simples frase escrita no muro, me fez escrever!

Imagens: 1) ponto de interrogação: emojiterra.com; 2) coração partido: noticias.uol.com.br

“EIS QUE, NA PALMA DAS MINHAS MÃOS, TE TENHO GRAVADO; OS TEUS MUROS ESTÃO CONTINUAMENTE PERANTE MIM.” Isaías, 49- 16

 

COSTELINHA DE PORCO DE PANELA

Eu amo carne de porco, e essa receita é tão boa, mas tão boa, que ainda sinto o cheiro dela enquanto a preparava!

2 quilos de costelinha de porco (para 6 pessoas)

INGREDIENTES

6 colheres (sopa) de shoyo

6 colheres (sopa) de azeite

4 colheres (sopa) de mostarda

6 dentes de alho amassados

4 colheres (sopa) de água

pimenta do reino, sal, folha de louro, sálvia.

Tempere a carne e deixa nesse molho por umas duas horas ou mais.

Eu deixei em uma vasilha, tampei e mexia de vez em quando.

Corte duas cebolas grandes em tiras e forre com elas o fundo de uma panela de pressão.

Coloque a carne temperada por cima, tampe a panela e deixe (depois que pegar a pressão) por 15 minutos.

Foi o suficiente para ela ficar macia e juntar aquela borra escura no fundo, que é o que deixa a carne mais saborosa.

Eu preferi retirar da pressão e colocar em uma panela de ferro, onde fui colocando muito devagar um pouco de água enquanto ela pegava uma cor.

Gente, ficou super gostosa, macia e daquelas de comer de joelhos!

Ah sim, fiz um purê de batata doce e arroz branco para acompanhar, além de jogar um pouquinho de cheiro verde, colhido do meu quintal!

ASSIM DIZ O SENHOR: PONDE-VOS NOS CAMINHOS, E VEDE, E PERGUNTAI PELAS VEREDAS ANTIGAS, QUAL É O BOM CAMINHO, E ANDAI POR ELE; E ACHAREIS DESCANSO PARA A VOSSA ALMA…” Jeremias, 6- 16