ROCAMBOLE DE PATINHO MM- VÍDEO 02

Hoje vou colocar abaixo, o 2º vídeo que fiz da série “NA COZINHA COM MARIA”.

Como ele foi postado em redes sociais e encaminhado para muitos amigos através do whatsapp, os comentários foram muitos!

Diversos parabéns, palmas, desejo de felicidades, sucesso, que de tão feliz,  acabei escolhendo alguns para compartilhar aqui com vocês.

Obrigada a todos e espero que me acompanhem durante esse delicioso percurso.

MARIONI TOMAZI- parabéns, Sílvia! Você é muito criativa e tenho certeza que esse projeto vai ser muito abençoado. Principalmente por ser receitas simples, que todos precisam. (Curitiba-PR)

LUCIANE PRENDIN- amiga linda. Sempre inovando! Sucesso nesse novo projeto. Acompanhando daqui. (Curitiba-PR)

CIDA FREITAS- que delícia! A simpatia da Sílvia aliada ao seu dom só pode resultar em sucesso! Campo Mourão-PR)

VANESSA VALENTE- cadê o botão do “quero comer”! Ficou com uma cara ótima, tia. Adorei! (Maringá- PR)

WALNI VIANA- onde você estava todos esses anos??? Tinha que ter ido para a TV!!! Perfeita! Show! Ana Maria Braga deve estar preocupada!!! Adorei!!! – (Itacimirim-Ba)

ROSE KFOURI- hummmmm…parabéns…gostei da apresentação e do prato… e também do panô na parede kkkk  (Campo Mourão-PR)

CECÍLIA CAGNONI MEURER- parabéns, Sílvia! Já me inscrevi para receber todos os vídeos. Sucesso, prima! (Novo Hamburgo- RS)

CLÁUDIA OLIVEIRA TISKI- vale a pena experimentar essa delícia que ela nos ensina! (Campo Mourão- PR)

ANGELA CAVALI- muito bom ouvir tua voz! Receitas ótimas e práticas! (Maringá- PR)

MIRIAN HUNNICUTT- estou salivando… (São Paulo- SP)

ESTER DE ABREU PIACENTINI- sucesso, querida amiga! “O mundo é daqueles que sonham e correm atrás para realizá-los”. (Campo Mourão- PR)

LISMARY PINHEIRO- eu quero!!! Parabéns pelas mãos de fada e por compartilhar essas delícias conosco. (Curitiba- PR)

SHEYLA NOVAES- água na boca, tia. Parabéns, parece que nasceu para apresentar programa culinário! (Londrina- PR)

MARIA DE LOURDES RESENDE BOTAN- vi o vídeo, achei perfeito! Vou fazer o risoto. Curti e me inscrevi. Parabéns! (Campo Mourão- PR)

“MAS A TODOS QUANTOS O RECEBERAM DEU-LHES O PODER DE SEREM FEITOS FILHOS DE DEUS: AOS QUE CREEM NO SEU NOME.” João, 1- 12

 

RISOTO DE LINGUIÇA MM- VÍDEO 01

A partir de hoje e durante 10 semanas, vou postar vídeos de comidinhas deliciosas, fáceis e rápidas para você fazer.

(Esse é o Fábio Nogaroli, cinegrafista da Maria Macia e que foi meu companheiro durante as filmagens).

Como expliquei na entrevista que dei (você pode conferir aqui), é uma parceria com a MARIA MACIA, onde mostramos a qualidade dessa carne e o resultado final das receitas feitas com ela.

Já postei também aqui outras receitas de risotos e você pode clicar aqui no nome para ver.

Risoto à la Piemontese

Risoto de Camarão

Risoto de Abobrinha

Então, aproveitem e bom apetite para todos vocês que, com certeza, vão assistir todos os vídeos.

Fique ligado!!!

“MAS, AGORA, Ó SENHOR, TU ÉS O NOSSO PAI; NÓS, O BARRO, E TU, O NOSSO OLEIRO; E TODOS NÓS, OBRA DAS TUAS MÃOS.” Isaías, 64- 8

 

 

 

 

COUVE FLOR AO FORNO

A couve flor está na moda!

Isso porque alem de saborosa é rica em vitamina C e pode ser usada das mais diversas maneiras: temperada com azeite em saladas, assada inteira, recheada e gratinada.

Para essa receita, primeiro cozinhe as flores em água e sal e coloque em um pirex untado com bastante manteiga.

INGREDIENTES

1 couve flor média

1 copo de requeijão

2 ovos

50 gramas de queijo ralado

1 tomate picadinho

cheiro verde

muçarela para colocar por cima

Coloque o requeijão em colheradas espalhadas por cima da couve flor.

Reserve.

Bata os ovos, junte o tomate picadinho, o cheiro verde, temperos que gostar e o queijo ralado.

Misture bem e jogue por cima da couve flor.

Coloque algumas fatias de queijo muçarela por cima e leve ao forno pré aquecido em 200º por mais ou menos 20 minutos.

Sempre dê uma olhada para ver se a mistura está no ponto.

Um acompanhamento delicioso para seu almoço!

Como é nutritivo e saudável, até somente esse prato já é uma excelente refeição!

E aguardem para a próxima semana o início dos vídeos do projeto NA COZINHA COM MARIA! Vocês vão amar!!!

“BEM AVENTURADOS OS QUE CHORAM, PORQUE ELES SERÃO CONSOLADOS; BEM AVENTURADOS OS MANSOS, PORQUE ELES HERDARÃO A TERRA.” Mateus, 5- 4 e 5

 

 

 

NA COZINHA COM MARIA

O ano era 2013.

Eu morava em Curitiba, trabalhava no Positivo e vez ou outra aproveitava um final de semana prolongado para visitar meu filho em Campo Mourão, onde ele morava.

Então aproveitávamos essa visita para lembrar de lugares, fazer passeios e acabávamos indo ao Super Mercado comprar coisas para eu fazer no jantar.

Numa dessas idas ele me mostrou um banner enorme em frente onde parei para ser fotografada: era propaganda das carnes Maria Macia onde meu filho é um dos diretores.

Mal eu podia imaginar que viria a morar novamente nessa cidade e faria uma parceria de sucesso com essa empresa.

E muitas vezes escrevi aqui no blog sobre essa carne: como em dezembro de 2013.

Pois é…

Todo esse início é para contar sobre esse projeto: “NA COZINHA COM MARIA” onde eu mostro como usar essa carne nos mais variados pratos.

Fizemos um bloco com dez tipos de carne: maminha, fraldinha, linguiça, patinho, costela, lagarto, coxão mole, alcatra, mignon e sobras de churrasco.

Dei uma entrevista sobre isso e coloco aqui o vídeo, onde vocês terão oportunidade de saber detalhes sobre esse projeto.

A partir de cada semana de setembro teremos uma receita nova para vocês apreciarem no site da Maria Macia e no YouTube.

Então…

Abram alas para a chegada da: NA COZINHA COM MARIA ( MACIA, é claro!!!)

 

“TU ÉS O MEU DEUS, E EU TE LOUVAREI; TU ÉS O MEU DEUS, E EU TE EXALTAREI. LOUVAI AO SENHOR, PORQUE ELE É BOM, PORQUE A SUA BENIGNIDADE É PARA SEMPRE.” Salmos, 118- 28 e 29.

 

 

 

ELA, ELE E O HAICAI

Ela era tão jovem e sonhadora…

Gostava de flores, das árvores, dos animais do campo, dos riachos e do silêncio.

Passava horas sentada embaixo daquela “sua” árvore, um ipê florido, à beira do lago.

Pensava em quão lindas seriam as cerejeiras do Japão…

Tinha a maior vontade de conhecer suas origens e esse país que ela admirava tanto por suas paisagens belíssimas e pessoas tão apegadas às suas tradições!

Em seu colo, sempre um livro aberto ou um caderno no qual escrevia seus haicais e poemas.

“PERFUME NO AR,

JAPONESAS CONVERSANDO.

SÃO AS CEREJEIRAS.”

Nesse momento, fechou os olhos e pareceu ouvir as vozes sussurradas das japonesas sob as árvores carregadas de flores.

Sentiu o perfume que exalavam e abrindo os olhos tomou em suas mãos uma folha de papel que começou a dobrar, várias vezes, sem formar nada.

– Por que não consigo fazer maravilhas como fazem os japoneses?

E novamente escreveu:

“AS DOBRAS SUTIS

NO PAPEL TOMARAM FORMAS.

SÃO OS ORIGAMIS.”

– Ainda bem que consigo me expressar escrevendo. Falou baixinho.

– Não deixa de ser uma forma linda de se expressar também! Alguém disse.

Ela olhou assustada, repentinamente tirada do seu devaneio, para um jovem japonês parado ao seu lado.

– Por favor, não se assuste! Disse ele. Tenho passado sempre por aqui e vejo você sozinha, tão pensativa, sempre a ler, a escrever. Fico lá longe observando, mas hoje tomei coragem para me aproximar.

E ele se sentou ao lado da jovem.

Começava aí uma grande amizade, uma história de repartir conhecimentos, sonhos e amor.

Ficavam horas ali conversando.

Ele a contar histórias do seu país, ela a contar causos do seu.

Lá de longe, quem olhasse veria, às vezes, ela dançando tão leve, enquanto ele olhava encantado e, outras vezes, ela sorrindo muito enquanto ele mostrava a dança dos samurais.

De repente paravam e começavam a escrever.

Faziam isso muitas vezes e um mostrava ao outro, os versos que escreviam.

“VEM VINDO APRESSADO!

NO SILÊNCIO, OUÇO O GALOPE.

CAVALGO NO VENTO.”

– Eu sou como aquele que cavalga no vento. Disse ele. Venho de longe e quem sabe um dia, volto em suas asas…

“FLORES PROCURANDO

UM GIRASSOL AMARELO.

O SOL LÁ NO CÉU.”

– E esse que acabo de escrever é como sou. Disse ela. Em eterna procura de outros povos, outras pessoas, outros lugares.

E assim passavam os dias e eles se aproximando cada vez mais.

Em um dia, ela encontrou um papel dobrado em seu caderno.

“NA ESSÊNCIA DA VIDA

DESCUBRO, CHEIO DE ENCANTO,

PERFUME DE AMOR.”

Ela sorriu e guardou aquela declaração tão singela dele.

O tempo foi passando e um dia ele contou que precisava retornar ao seu país.

“MISTURARAM GOSTOS,

GESTOS, SALIVAS, TEMORES.

CHORARAM NO ADEUS.”

– Eu volto! Disse ele. Volto para te buscar!

E dia após dia, lá estava ela, com o caderno aberto em seu colo, muitas vezes o olhar perdido e, algumas vezes, lendo alto o que acabara de escrever.

“MURCHARAM AS FLORES,

PÉTALAS SE DERRAMARAM.

LÁGRIMAS DE DOR!”

E ela chorava baixinho lembrando quão doces foram os momentos passados com ele.

“ CHEIRO DE PERFUME

NA PELE LIMPA DO BANHO.

VOLTE, MEU AMOR!”

E as chuvas caíram e ela lá a escrever:

“A CHUVA CAINDO

MOLHA OS PENSAMENTOS MEUS.

ESTOU NAUFRAGANDO!”

E ali, naquele lugar onde foi tão feliz tantas vezes, ela se deixou ficar, as gotas da chuva misturadas com suas lágrimas sentidas.

Achou que ia morrer…

Sua roupa molhada, tão fria, colava em seu corpo já tão fraco da espera.

Fechou os olhos e começou a ouvir a melodia dos sinos dos ventos espalhados nas árvores ao redor.

Aos poucos foram sumindo e ela sentiu que estava prestes a entrar em um outro mundo.

De repente, sentiu uma pressão forte em seu corpo e estava com que pairando no ar.

Eram braços fortes que a seguravam com todo o carinho possível e a levavam para baixo de um abrigo.

“ AH, AQUELES RAIOS

ROMPENDO POR ENTRE FOLHAS!

DE NOVO ESPERANÇA.”

Ela abre os olhos e tudo se transforma!

“ DE REPENTE, O SOL.

É LUZ, CALOR, ENERGIA!

TRANSFORMO MEU CORPO!”

-Voltei para te buscar! Ele diz.

E ela, como por encanto, sente-se revigorada!

E quem olhasse de longe, veria o casal, mãos dadas, seguindo em direção ao arco íris no céu.

“ NAS MÃOS, UMA FLOR.

LEVO COMIGO FELIZ,

UM BRINDE AO AMOR!”

 

Essa história escrevi há muito tempo atrás e é uma homenagem a um povo ao qual tenho profunda admiração.

Foi publicada na “CIDADE EM REVISTA”, número 48 de fevereiro de 2018, da minha amiga, Cidinha Coletty.

Imagens: 1) rotadeferias, 2) 3) e 4) Pinterest

“A ESPERANÇA DEMORADA ENFRAQUECE O CORAÇÃO, MAS O DESEJO CHEGADO É ÁRVORE DE VIDA.” Provérbios, 13- 12

 

FATIAS HÚNGARAS

As fatias húngaras, também conhecidas como caracóis húngaros, pães de coco, roscas húngaras ou sticky buns, são pãezinhos com calda de coco muito famosos no nosso país.

Não se sabe ao certo se as Fatias Húngaras são de fato originais da Hungria, a única certeza é que essa é uma ótima receita para aproveitar o inverno.

Então, resolvi fazer.

Olhei em várias receitas no Google, gostei de uma e fiz a massa.

Não deu certo!

Joguei fora…

Então me lembrei de uma receita: Rosca de Família, onde a massa tinha tudo a ver.

E não é que deu certo?

Você pode clicar em cima do nome que ele vai direcionar você aos ingredientes.

Aí é só voltar para cá.

Prepare o recheio:

6 colheres (de sopa) de açúcar

4 colheres (de sopa) de manteiga ou margarina

100 gramas de coco ralado

Primeiro misture bem o açúcar com a manteiga até ficar um creme e então, junte o coco misturando novamente.

Massa pronta e vamos esticar com um rolo até ficar um retângulo.

Coloque sobre a massa o recheio de coco e espalhe por toda ela.

Vá enrolando como um rocambole e aperte bem.

Com uma faca corte em pedaços de mais ou menos dois dedos (da próxima vez vou cortar em fatias mais finas porque crescem muito).

Coloque em uma assadeira untada e polvilhada com farinha de trigo para crescer até dobrar de volume (mais ou menos 50 minutos).

Vejam como cresceu!

Leve ao forno pré aquecido em 180º por 30 minutos ou até que veja estarem dourados.

Enquanto estiver quente, despeje sobre as fatias, 1 lata de leite condensado misturado com meio copo de leite.

As fatias ficam macias e úmidas e com um gostinho de dar água na boca!!!

“DIGO-VOS QUE ASSIM HAVERÁ ALEGRIA NO CÉU POR UM PECADOR QUE SE ARREPENDE, MAIS DO QUE POR NOVENTA E NOVE JUSTOS QUE NÃO NECESSITAM DE ARREPENDIMENTO.” Lucas 15, 7.

 

 

 

 

 

SALMÃO ESPECIAL

Nesses dias de quarentena obrigatória, não tem quem não foi para a cozinha inventar novos pratos!

E esse prato maravilhoso veio lá de Lisboa, Portugal, pelas mãos da minha filha Fabiane que já colocou aqui outra receita dela de Salmão, deliciosa também! (Cliquem para ver!)

Deu água na boca?

Pois prepare para experimentar essa delícia!

Vamos aos INGREDIENTES:

2 postas de salmão

sal, pimenta do reino, limão, azeite

1 pimentão verde

1 pimentão vermelho

1 maço de espinafre

1 caixinha de creme de leite

100 gramas de queijo muçarela

Tempere as postas do salmão com o limão, pimenta e sal.

Coloque azeite em uma forma e deite as postas, levando ao forno quente 200º já aquecido até assar levemente.

Enquanto isso, frite num fio de azeite os pimentões e o espinafre com um pouco de sal. Junte o creme de leite e mexa bem. Depois o queijo (ralado no lado grosso) e mexa com fogo baixo.

Coloque esse molho sobre as postas no forno e deixe até dourar.

Huuuuummmmm!!!!!!!!!!!!

E é claro que eu fiz essa receita para provar: o resultado foi que AMEI e vejam como ficou lindo o meu prato!

“EIS QUE FIZESTE OS MEUS DIAS COMO A PALMOS; O TEMPO DA MINHA VIDA É COMO NADA DIANTE DE TI; NA VERDADE, TODO HOMEM, POR MAIS FIRME QUE ESTEJA, É TOTALMENTE VAIDADE.” Salmos, 39-5

 

 

 

 

MEU CACHECOL COM BOLSO

Depois de meses fazendo tricô e crochê para doação na campanha para socorrer o Lar dos Velhinhos aqui da cidade, eis que me vejo sem ideia para uma próxima empreitada.

Entrei na loja onde compro minhas lãs e uma vendedora simpática veio até mim perguntando:

– O que vai levar dessa vez?

E eu:

-Estou completamente sem ideia do que fazer…

-Já sei! Disse ela. Por que não faz um cachecol com bolso? É a última moda.

Tanto gostei do palpite, que saí da loja com três novelos no pacote.

Então vou mostrar direitinho como fiz e como ficou!

Essa é a lã que comprei: Hannover da Cisne e usei 3 novelos dela.

Usei a agulha número 7 e coloquei 40 pontos.

Trabalhei todinho em ponto tricô, ida e volta.

O comprimento, cada um conforme sua altura, decide como quer.

Para o bolso usei a agulha número 6, 28 pontos, e fiz 6 carreiras em pontos: 1 tricô e 1 meia, para ficar uma gaitinha.

Voltei ao ponto tricô até chegar aos 16 centímetros de comprimento.

Depois de pronto, medi bem o meio onde iria costurar com o auxílio de uma agulha normal de costura.

Depois de pronto, foi só fazer a franja: pedaços de 24 centímetros que coloquei dobradas nas pontas do cachecol.

E olhem a belezura que ficou:

Esse fundo (papel de parede) é do @atelie.patiprohmann que é a minha nora e foi quem fez essas fotos caprichadas minhas…

E aí, quem se habilita a fazer?

“TODA BOA DÁDIVA E TODO DOM PERFEITO VEM DO ALTO, DESCENDO DO PAI DAS LUZES, EM QUEM NÃO HÁ MUDANÇA, NEM SOMBRA DE VARIAÇÃO.” Tiago, 1- 17

 

BOLACHINHAS DE CANELA

Tenho uma amiga em Curitiba, Taís, que, como eu, adora cozinhar.

Por isso sempre estou de olho em suas postagens e essa acabei de experimentar.

Ficam lindas e super crocantes, com aquele gostinho irresistível da canela!

Achei bem fácil de fazer, então, segue a receita.

Em uma tigela, juntei todos os ingredientes que são:

175 gramas de farinha de trigo

100 gramas de manteiga

60 gramas de açúcar

1 colher (de café) de fermento em pó

1/2 colher (de sopa) de canela em pó

1 colher (de sopa) de chocolate em pó

1 colher (de café) de essência de baunilha

Primeiro unte bem uma assadeira com manteiga.

Ligue o forno em 180º para aquecer.

Usei as mãos para misturar a massa e juntei um pouquinho de água que fui colocando devagar.

Modele as bolachinhas como quiser e dê uma achatadinha em cima.

Essa receita deu 20 unidades.

Leve ao forno por mais ou menos 20 minutos (dependendo do tamanho que fizer) ou até que as bordas estejam levemente coradas.

Enquanto as bolachinhas assam (e que perfume maravilhoso elas desprendem), faça em uma vasilha uma mistura de açúcar e canela.

Assim que tirar do forno, ainda bem quente, passe as bolachinhas por essa mistura e vá colocando em um prato para esfriar.

Depois de frias, coloque em potes fechados.

Maravilhosas!

Obrigada, Taís!!!

“NÃO ME REJEITES NO TEMPO DA VELHICE; NÃO ME DESAMPARES, QUANDO SE FOR ACABANDO A MINHA FORÇA.” Salmos, 71- 9

TEMPURA DE LEGUMES

UAU!!!

Quando pesquisei sobre a origem do Tempura, quase nem acreditei, porque achava ser originário do Japão ou da China. 

Qual não foi minha surpresa ao saber que ele é Português!

Isso mesmo!!!

“A receita do tempura (aqui no Brasil falamos tempurá) foi introduzida no Japão por missionários portugueses ativos particularmente na cidade de Nagasaki fundada igualmente por portugueses, durante o século XVI.” (Wikipédia)

E foi assim que depois de receber a receita pelo whatzap da minha irmã Raquel, fiz e matei minha vontade de comer essa delícia!

Então, vamos lá!

INGREDIENTES

1 xícara de água gelada

1 xícara de farinha de trigo

2 colheres (sobremesa) de vinagre

1 colher (café) de fermento

Legumes de sua preferência (eu coloquei cenoura, pimentão, abobrinha e couve flor).

Primeiro dei uma leve cozida na couve flor e piquei fininho todos os ingredientes.

Temperei com sal e aji no moto e reservei.

Mistura todos os ingredientes da massa e coloque a água bem gelada!!!

Misture bem e deixe a massa tipo massa de panqueca (não fica grossa).

Junte os legumes cortadinhos.

Em uma frigideira funda, coloque bastante óleo e deixa esquentar bem.

Vá colocando às colheradas para fritar.

Retire e coloque em papel toalha.

Eles ficam sequinhos e crocantes!!!

 

Obrigada, mana Raquel por essa receita que eu amei!!!

“ENSINA-ME, SENHOR, O TEU CAMINHO, E ANDAREI NA TUA VERDADE; UNE O MEU CORAÇÃO AO TEMOR DO TEU NOME.” Salmos, 86- 11