FRANGO DE PANELA COM POLENTA

Ah, minhas raízes mineiras!

Minhas avós, minha mãe, matando as galinhas, depenando, cortando e preparando em panelas de ferro e fogões à lenha; e o angu, que por essas bandas chamamos de polenta, tudo tão saboroso, tão cheiroso, tão cheio de saudades…

Mas esses dias chamei meu filho, nora e neto e preparei com carinho essa gostosura!

image

Hoje em dia, não compro o frango inteiro, somente coxa e sobrecoxa.

Primeira coisa a fazer é cortar alho e cebola em pedacinhos e fritar em óleo muuuuito bem, até ficar quase escura!

image

Ah, sim, eu fiz em panela de ferro!

Acrescente o frango em pedaços, junte tomate picadinho, sal, pimenta do reino e, se gostar, um tablete de caldo de galinha.

image

Não tem segredo: ele vai soltar um pouquinho de caldo, mas vá mexendo, colocando água aos pouquinhos porque ele tem de ir meio fritando e meio cozinhando. Quando estiver quase pronto, coloque um punhado de cheiro verde.

Enquanto isso, prepare a polenta.

Para 3 xícaras de água fria, eu coloco 1 xícara de fubá e é isso mesmo, coloco na água fria para não empelotar.

Junto óleo, um caldo de galinha, sal e pimenta e vou mexendo até ferver.

Aí é só deixar ferver e ir mexendo de quando em quando, mais ou menos uma meia hora, dependendo da quantidade.

Eu gosto dela mais molinha, mas lembro que minha mãe fazia o angu de cortar.

image

Depois de pronta, jogue cheiro verde picadinho por cima.

image

E o frango fica assim: maravilhoso, com um molho que a gente joga no prato por cima da polenta e… se delicia!!!!!

“AS PALAVRAS DOS SÁBIOS DEVEM EM SILÊNCIO SER OUVIDAS, MAIS DO QUE O CLAMOR DO QUE DOMINA SOBRE OS TOLOS.” Eclesiastes, 9- 17

 

A FILHA DA GALINHA RUIVA

Eu gosto de ler e contar histórias.

Assim, foi um pulo para eu escrever minhas próprias histórias.

Essa, escrevi baseada no conhecido conto da Galinha Ruiva (um conto popular inglês).

Vai para os filhos e netos dos meus seguidores e…para os próprios que ainda devem possuir uma “alma de criança”.

galinha

(peregrinacultural.wordpress.com)

Era uma vez um pintinho amarelinho que, quando cresceu, se tornou uma Galinha Loira.

Ela era muito importante,  pois era filha da Galinha Ruiva que todos conheciam.

A história de sua mãe tinha ultrapassado fronteiras,  mas mesmo ela sendo sua filha, via contradições nela.

Afinal, era milho ou trigo que sua mãe plantara?

Era pão ou bolo que tinha feito?

Os amigos preguiçosos eram o Gato, Cachorro, Porco, Vaca ou ainda o Peru estava no meio?

Entrou no Google e leu as várias edições da história de sua mãe.

– Puxa, mãe, acho que você tem que escrever algo contando a versão correta da sua história, como ela realmente aconteceu.

E a Galinha Ruiva respondia:

– Já estou cansada dessa história. Por que você, como minha filha mais velha, não escreve?

E foi o que fez a Galinha Loira que, apesar de loira era muito inteligente.

Sua história acabou sendo escrita como nos dias atuais, em um computador, mandada por e-mail aos editores que, adoraram!

E ficou assim:

” Um belo dia estava a Galinha Ruiva cansada após pintar suas penas de um ruivo brilhante e andar pelo Shopping, quando resolveu passar pela feira para comer uns pastéis que só lá encontrava.

Lá estavam seus amigos: o Pato, o Peru e o Porco em volta da barraca de milho verde cozido e todos os derivados dele como o curau, pamonha, bolo, etc. Estavam se deliciando com um pedaço de bolo quando a Galinha Ruiva comentou que o que ela fazia era muito melhor!

patoperuporco


(galeria .colorir.com)

– Queremos experimentar! Falaram em coro.

– Pois vocês vão ver o que é bom! Respondeu ela. Só que preciso da ajuda de vocês. Quem vai me ajudar?

– Eu não posso! Disse o Pato. Tenho aula de natação agora mesmo!

– Eu não posso! Disse o Peru. Vou ao salão dar uma aparada em minhas penas.

– Eu não posso! Disse o Porco que já estava até deitado de tanta preguiça. Tenho que ir a academia fazer uns exercícios. Estou acima do peso…

– Está bem, está bem! Disse a Galinha. Vou fazer tudo sozinha.

Mas o “sozinha” dela era bem fácil de fazer: comprou uma mistura para bolo que era só colocar para assar em seu forno elétrico.

Ainda dava tempo de passar na casa da sua amiga Galinha Pintadinha e ensaiar uma canção nova.

galinha pintadinha

(portalozk.com)

Mais tarde, já em casa, o cheiro do bolo inundava tudo quando a campainha soou.

Lá fora estavam seus três amigos.

– Que cheiro bom! Falou o Pato.

– O bolo de milho já está pronto? Perguntou o Peru.

– Podemos entrar? Continuou o Porco.

A Galinha ia fechar a porta quando eles falaram em coro:

– Trouxemos uma garrafa térmica com café e um DVD para assistirmos juntos.

– Então entrem. Disse a Galinha.

E sentaram, comeram e conversaram.

Depois assistiram um filme em que uma certa Galinha Ruiva preparava um bolo e comia tudo sozinha!”

Quando saiu a edição do livro da sua filha Galinha Loira, sua mãe era todo orgulho!

– E aí, mamãe? Gostou da repaginada que dei em sua história? Perguntou a mais nova escritora do pedaço.

– Gostei muito, minha querida! Disse a Galinha Ruiva. Você se tornou tão famosa quanto eu!

E viveram felizes para sempre!