REFLEXÕES EM MEIO A UMA PANDEMIA

No dia 16 de março, coloquei aqui um texto da minha filha, “O QUE PODEMOS APRENDER COM ESSA PANDEMIA“.

Mais de um mês se passou e ela escreve novamente, agora refletindo sobre o tema.

Uma oportunidade para nós refletirmos juntos.

“É engraçado fazer parte da história…

Quero dizer, uma história que será estudada e falada para sempre. Uma história que ficará marcada porque o mundo todo fez parte dela, sem exceções: ricos, pobres, brasileiros, europeus, africanos, chineses…

Ninguém passou incólume por essa pandemia.

Já estou na fase de achar cansativo fazer parte da história.

Sou sagitariana, é muito difícil para mim ficar presa, sem poder abrir minhas asas e voar.

Mas tenho sorte! Vejo da sacada do meu quarto o céu azul, tenho espaço para tomar sol e a minha vista é o rio Tejo – que eu chamo de mar, para acalmar meu coração.

Não posso reclamar… mas ainda assim a agonia de não saber até quando isso tudo vai durar teima em atormentar meus pensamentos.

Não sou de fazer planos, deixo a vida me levar, mas não poder nem mesmo deixar levar tem sido um exercício difícil para mim.

Mas como disse, não posso reclamar.

Em Lisboa é permitido sair, ir ao mercado, farmácia… Minha programação tem sido essa: trabalho de segunda à sexta, e sábado vou ao mercado!

Virou o programa da semana!

Assim pego um sol, respiro ar puro, vejo pessoas e percebo que a vida segue, em outro ritmo, mas tudo bem.

Apesar de correr ser permitido, tenho evitado.

Mas há dias que tudo o que eu preciso é sair correndo, literalmente.

Essa semana resolvi fazer isso. Não pensando em manter a forma, mas sim em manter a sanidade.

E foi maravilhoso! Ver a cidade calma, dormindo, quase fantasma…

Os pontos turísticos vazios, as ruas desertas.

Era possível ouvir os pássaros!

Sei que nunca mais verei Lisboa tão vazia. E nunca mais verei a cidade da mesma maneira.

Foi estranho, mas ao mesmo tempo inesquecível.

No caminho descobri construções, casas, história. E pensava no futuro, quando todas as pessoas puderem retomar sua rotina.

Não acredito que a vida será igual ao que era.

E torço para que não seja mesmo. Espero que toda essa solidariedade despertada se mantenha para sempre. Espero que os encontros e abraços sejam mais valorizados. Que o cuidado com o planeta e com os seres humanos sejam mais constantes, passem a fazer parte do dia a dia.

Acho que ninguém vai sair da mesma forma que entrou nessa quarentena.

E isso é ótimo! Precisamos evoluir, precisamos perceber o que realmente é importante. Precisamos nos conhecer mais.

Reflexões…

Mas estou muito otimista que isso tudo vai passar logo!

E em breve poderemos nos reencontrar e contar orgulhosos que sobrevivemos!

Com mais amor, com mais fé em Deus, com mais atenção ao próximo.

Enfim, melhores!”

Obrigada, mais uma vez, por repartir conosco seus textos inspiradores!

“TODAVIA, EU ME ALEGRAREI NO SENHOR, EXULTAREI NO DEUS DA MINHA SALVAÇÃO.” Habacuque, 3- 18

 

 

MEU ANJO DA GUARDA

Esses dias eu conversava telepaticamente com o meu anjo da guarda.

E conversa vai, conversa vem, começamos a relembrar as muitas vezes em que ele me salvou de boa.

-Lembra quando eu tinha meus 10 anos  e fui passar o fim de semana na fazenda dos meus tios? Perguntei. Eu e minhas primas montamos escondidas nos cavalos e trotamos até perto da linha do trem. Bem naquela hora ele veio apitando e os cavalos dispararam assustados e o que eu estava, empinou me jogando com força ao chão.

-Lembro sim! Respondeu ele. Tive que fazer do chão uma terra macia para você não se machucar tanto…

-Assim mesmo me esfolei, mas se não fosse você, eim?

E nossa conversa continuou com lembranças da minha adolescência até chegar à fase adulta onde dei bastante trabalho.

-E aquela vez do ponto de ônibus? Perguntou o Anjo. Você estava sozinha e o pivete veio com um caco de vidro enorme te ameaçando e pedindo seu dinheiro.

-É mesmo! Respondi. Eu entreguei a ele o dinheiro da passagem que estava em minha mão e nisso o ônibus encostou me livrando dele!

-Isso me fez lembrar de outro ponto de ônibus, bem cedinho, lembra?

-E como lembro! Confirmei ao Anjo. Eu entrava no trabalho às sete da manhã e tinha que pegar o ônibus das seis e quarenta. Muitas vezes, noite ainda. E lá estava eu naquela manhã, sozinha novamente, quando veio um homem em uma bicicleta e para em minha frente e pede meu celular. Nem sei o que me deu naquela hora, mas peguei minha sombrinha contra ele, ameaçando e nessa hora, o ônibus encostou!

-As duas vezes o ônibus te salvou, não é mesmo? Pergunta meu Anjo sorrindo.

-É, sempre tem o seu dedinho salvador em tudo isso , né? Pergunto.

-E teve aquela vez em que você seguia bem cedinho para o trabalho na rua deserta e dois homens começaram a te seguir?

-Nossa! Escapei por pouco! Entrei em um prédio onde milagrosamente o porteiro abriu para mim e onde fiquei, agradecida, até o perigo passar.

-Milagrosamente, não? Sorriu meu Anjo ao se lembrar da cena.

E fomos lembrando tantas outras passagens enquanto nossa conversa se mantinha docemente entre risadas gostosas.

-Mas teve uma agora recentemente e que você agiu como uma verdadeira atriz, não foi?

-É verdade! Era um domingo de manhã, rua deserta e eu voltava do mercado carregando minha bolsa e algumas sacolas. Nisso um homem em uma moto passa por mim olhando para trás, faz a volta e vem em minha direção. Tive a certeza que iria ser assaltada por ele. Rapidamente me lembrei de ter visto, na ida, umas pessoas sentadas dentro da varanda em uma casa bem perto de onde eu voltava. Levantei meu braço e gritei na direção deles: -oi, já estou chegando!!! O homem fez uma curva quase em cima de mim e foi embora em disparada!

-Que presença de espírito você teve, não é mesmo? Pergunta meu Anjo sorrindo enigmaticamente.

-Pois é… você deve se lembrar de muitas e muitas vezes em que esteve a meu lado, me salvando, né?

-Isso se chama livramento! E foram tantos que você nem teve conhecimento na hora em que aconteceu!

-Ah, Anjo, obrigada! Nem sei como agradecer tudo que faz por mim!

-Não me agradeça! Ele respondeu. Eu sou apenas servo. Agradeça a Deus que é nosso Senhor e criador e que tem muito amor por você.

Ali terminamos o nosso papo.

Foi bom conversar com alguém que está sempre a meu lado, cuidando de mim!

Observação: os acontecimentos do texto são todos verídicos!

Imagens: 1) astroClick; 2) aquinoticias; 3) getty Images; 4) iQuilibrio

“NENHUM MAL TE SUCEDERÁ, NEM PRAGA ALGUMA CHEGARÁ À TUA TENDA. PORQUE AOS SEUS ANJOS DARÁ ORDEM A TEU RESPEITO, PARA TE GUARDAREM EM TODOS OS TEUS CAMINHOS. ELES TE SUSTENTARÃO NAS SUAS MÃOS, PARA QUE NÃO TROPECES COM O TEU PÉ EM PEDRA.” Salmos, 91- 10, 11 e 12.

 

PROJETOS PARA O ANO NOVO!

Ui isso é tão demodê…mais ou menos como essa palavra…

Lista disso, lista daquilo, meus propósitos… quase todo mundo faz e quase ninguém cumpre.

Pois é… vou fazer a minha e espero poder cumpri-la integralmente.

Vamos lá!

Não tenho levado muito a sério meus exercícios de andar…então pelo menos três vezes na semana vou caminhar trinta minutos.

Ai, ai… comer doces! Amo doces e chocolates, mas vou cortar pela metade, pelo menos (que ainda é bastante).

Escrever e publicar mais um livro! Tenho muitos projetos para isso, só preciso criar coragem e ir atrás.

Tricotar e crochetar cada vez mais, afinal faço parte de um projeto e preciso terminar a colcha que estou fazendo para um velhinho do lar.

Reunir em minha casa meus três irmãos para passarmos pelo menos um final de semana juntos.

Fazer novos amigos e cultivar os antigos.

Fazer mais jantares e cafés em casa para minhas amigas porque essa troca é deliciosa.

Visitar mais vezes as amigas de Curitiba porque isso é preciso.

Continuar fazendo minhas comidinhas com amor para que cada vez mais as “Comidinhas da Vovó Sílvia” se tornem conhecidas e apreciadas.

Participar sempre das reuniões da AME (Associação Mourãoense de Escritores) levando uma palavra sempre que possível

Participar das reuniões da célula pois é ali que estudamos e compartilhamos experiências.

Ler mais livros de autores mourãoenses pois quero conhecê-los cada vez mais.

Participar de eventos culturais como fiz nas escolas Paulo VI, Osvaldo Cruz e Unespar.

Fazer com que meu blog cresça cada vez mais e, se já está em 46 países e com mais de 120 mil visualizações, por que não dobrar?

Sonhar é bom, então por que não fazer um Cruzeiro, mesmo sendo por costas brasileiras?

Visitar novamente Angola e África do Sul, ver minhas filhas e netos, por que não?

Vou entrar para a Academia Mourãoense de Letras e isso me faz lembrar que logo será minha posse. Muito trabalho me espera, afinal serei uma “imortal”!

Agora, tudo isso só será possível se em todas essas “promessas” de ano novo, eu colocar na frente: SE DEUS QUISER!

Tomara eu possa cumprir tudo que planejei para 2019!!!

“DIGO-VOS QUE NÃO SABEIS O QUE ACONTECERÁ AMANHÃ. PORQUE QUE É A VOSSA VIDA? É UM VAPOR QUE APARECE POR UM POUCO E DEPOIS SE DESVANECE.” Tiago, 4- 14

 

HOJE É NATAL!

Estou em Curitiba passando esse Natal com Viviane, André, Isadora e Heitor.

Fabiane, em Portugal…

Paulo Emílio, Pati, Cesinha e Daniel, em Balneário Camboriú…

Mas o importante é que mesmo longe deles, a conexão de amor permanece!

E isso vem do amor maior, daquele que hoje comemoramos o nascimento: Jesus!

Já escrevi nesses anos todos de blog, muitas coisas sobre esse dia e, portanto, passo os links para que vocês leiam.

Em dezembro de 2013, coloquei um poema meu, “Sobre o Natal“.

Em 2014, três novos posts cada um com uma reflexão.

Reflexões Natalinas I“: são lembranças dos natais da minha infância.

Reflexões Natalinas II“: um relato sobre São Nicolau, origem do nosso Papai Noel e um poema (desconheço a autoria) que recitei muitas vezes há muitos anos atrás…

Reflexões Natalinas III“: um texto emocionante sobre o verdadeiro espírito do Natal.

Em dezembro de 2015, coloquei um poema lindo do meu pai, em que ele descreve a saga de José e Maria na procura de um lugar onde Jesus pudesse nascer.

Não Havia Lugar

Que nesse dia, haja paz nos corações, amor pelas pessoas, luz para iluminar nossos caminhos e a presença de Jesus em nossas vidas!

Viva o Natal!!!!!!!

“PORQUE UM MENINO NOS NASCEU, UM FILHO SE NOS DEU; E O PRINCIPADO ESTÁ SOBRE OS SEUS OMBROS; E O SEU NOME SERÁ MARAVILHOSO CONSELHEIRO, DEUS FORTE, PAI DA ETERNIDADE, PRÍNCIPE DA PAZ.” Isaías, 9- 6

 

TENDER

Tenro, delicado, sensível, macio.

O famoso Tender, não passa de um grande presunto (ou uma bolinha) que já vem cozido.

Então seu preparo não é demorado e ele é muito apreciado nas festas de final de ano.

2 (2)

INGREDIENTES

1 tender bolinha

4 colheres (sopa) de mostarda

meio copo de calda de abacaxi

meio copo de suco de laranja

1 xícara de açúcar mascavo

4 colheres (sopa) de manteiga

cravos

2 (1)

A primeira coisa a fazer é cortar o tender em losangos e colocar os cravos.

4 (1)

Reserve.

Numa tigela misture a mostarda e o açúcar mascavo.

4 (2)

Besunte todo o tender com essa mistura (ele já deve estar na forma forrada com papel alumínio).

6 (2)

Pique a manteiga em pedacinhos e coloque em baixo e em cima do tender.

6 (1)

Regue com os sucos.

Leve ao forno quente por mais ou menos 40 minutos.7

Pronto!

Não tenho a foto dele fatiado porque esse foi mais uma encomenda das “Comidinhas da Vovó Sílvia”.

8

(Aqui ele está junto com um peru assado e recheado com farofa e o copinho ao lado contem o molho do tender para acrescentar na hora que for esquentar- tudo muito prático!).

“PORQUE UM MENINO NOS NASCEU, UM FILHO SE NOS DEU; E O PRINCIPADO ESTÁ SOBRE OS SEUS OMBROS; E O SEU NOME SERÁ MARAVILHOSO CONSELHEIRO, DEUS FORTE, PAI DA ETERNIDADE, PRÍNCIPE DA PAZ”. Isaías, 9- 6