SERTÃO DE CIMA

Lá pelos idos de 1957, morávamos em Sengés, uma pequena cidade do Paraná e onde fiz o terceiro ano primário.

Minhas lembranças dessa época se resumem a poucas coisas, como o bulling que sofri na escola e a uma viagem que fiz com meus pais a um lugar chamado Sertão de Cima.

Frequentávamos a Igreja Presbiteriana local e nela havia uma família que possuía uma caminhonete, dessas abertas na parte de trás.

Pois bem.

Numa linda manhã de um sábado qualquer, fomos fazer um culto nesse lugar que fica bem distante da cidade que, como o nome mesmo diz, fica num alto onde chegamos depois de percorrer estradas sinuosas.

Valeu a pena, porque a vista era realmente maravilhosa: campos verdes, vales, rios, bem abaixo de nós!

Chegamos a um agrupamento de casas, todas muito simples, e crianças foram cercando o carro onde nos encontrávamos.

Papai com sua bíblia em mãos, se posicionou; minha mãe com seu acordeon começou a tocar e a melodia foi enchendo o ar; e eu fui colocada no alto da carroceria da caminhonete  quando comecei a cantar.

Eu sabia muitos hinos de cor e tinha realmente uma voz bem afinada para meus nove anos.

As portas se abriam, pessoas iam se chegando alegremente e, quando víamos, já eram muitas ao redor de nós.

Eu nunca tive vergonha ou qualquer problema em cantar: era o que eu sabia fazer naquele momento.

Depois disso, meu pai pregava a palavra.

Foi assim que terminado o dia, fomos dormir em uma casa onde me encantei com uma ninhada de gatinhos e com o colchão de palha onde dormi.

Que alto, que macio!

Mas a noite ainda me reservava surpresas!

Acenderam lampiões pela casa e havia um movimento de passos prá lá e prá cá, e qual não foi meu espanto ao ouvir bem alto, um choro de bebê!

-Acabou de nascer um nenenzinho aqui no quarto ao lado. Disse minha mãe empolgada!

E foi assim que na manhã seguinte entrei no quarto ao lado para conhecer o pequenino que dormia tranquilo no colo de sua mãe.

Sem médico, sem luz elétrica, sem nada!

Fomos embora, mas aquela cena de tão irreal permaneceu em minha lembrança.

Um lugar tão extraordinário e um acontecimento tão inusitado!

É para nunca ser esquecido, mesmo após mais de sessenta anos!

Imagens ilustrativas: 1) blogdobilhetepremiado.com 2) tripadivisor.com.br; 3) falandodeviagem.com.br

“Ó SENHOR, QUÃO VARIADAS SÃO AS TUAS OBRAS! TODAS AS COISAS FIZESTE COM SABEDORIA; CHEIA ESTÁ A TERRA DAS TUAS RIQUEZAS.” Salmos, 104- 24

 

 

 

ÚLTIMAS FOTOS E UM ATÉ BREVE…

E chegou a hora de voltar!

Sei que vocês, leitores, estão sentindo falta das receitas, mas foi tanta coisa bonita para contar que precisei dar um tempo nelas.

Aguardem!!!

O dia estava muito frio apesar do sol, um vento gelado, mas saímos passear.

Minha filha mora em SEA POINT ao lado desse calçadão onde caminhamos vendo o mar.

(Observem o banco onde me sentei para descansar e a vista de Waterfront)

Fui conhecer o CAPE TOWN STADIUM onde foi realizado jogos da Copa de 2010.

Fica em meio a um jardim com direito a lago com patos nadando e muito verde; uma limpeza e cuidados de impressionar!

Nesse dia andamos muito até chegar ao centro para ver mais lojas de artesanato.

(Ao lado de Nelson Mandela e em outro dia descobrindo uma feira de rua)

Teve um dia que o sol não saiu, fazia um frio terrível e ficamos pensando se devíamos sair ou não. Aí perto da hora do almoço, não teve outra: vamos almoçar fora e tomar um vinho para aquecer. E descobrimos um encanto de restaurante!

Nas paredes livros e mais livros, uma lareira acesa esquentando o ambiente e… uma comida dos deuses!!!

Ao sair dali ainda tivemos coragem para andar pela praia deserta em frente.

(Olhem o “abacaxi de Itu”)

E deixei para o fim falar da TABLE MOUNTAIN (Montanha da Mesa), principal ponto turístico da cidade. Recebe esse nome por conta de sua estrutura, reta por cima, como se fosse uma mesa. Ela é vista de vários pontos da cidade.

E eu, ansiosa para tirar uma foto com ela atrás, mas vejam só…

Em um dia, a “sorte” de aparecer um pouquinho dela e que rapidamente foi coberta pelas nuvens. Em outro, eu faço pose de “onde ela está?”.

Nessas fotos acima, a primeira e segunda fotos mostram estátuas dos quatro ganhadores do prêmio Nobel com as devidas explicações: Albert Luthuli, Desmond Tutu, Fw de Klerk e o mais famoso, NelsonMandela.

Na terceira foto, os cantores de rua e na quarta, um descanso na paisagem linda.

(Aqui uma foto do acervo da Sawabona Turismo que pertence a minha filha Fabiane)

A Table Mountain num dia de sol.

Duas outras montanhas são destaque também: Lions Head e Signal Hill.

E assim encerro essa viagem, agradecendo a Deus e feliz por poder ter convivido com minhas filhas e netos, conhecer tantos lugares novos, tantas pessoas amáveis e contente por estar de volta para minha casa em Campo Mourão!

“PORQUE A TERRA SE ENCHERÁ DO CONHECIMENTO DA GLÓRIA DO SENHOR, COMO AS ÁGUAS COBREM O MAR.” Habacuque, 2- 14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUITO VINHO E POUCAS FLORES

Que todo mundo fica encantado com essa cidade,Cape Town, não é novidade para ninguém!

São tantas belezas naturais, tantos prédios magníficos, restaurantes sofisticados, cantoria na voz grave dos moradores e muita história para conhecer.

E nada melhor que um passeio pelo ônibus de turismo para completar o meu dia.

Tive sorte de nesse dia sair sol, (apesar de muitas nuvens) e esquentar um pouco no decorrer do passeio.

Claro que fiquei na parte de cima do ônibus para não perder nada e achei ótimo ter o fone de ouvido com explicações em português (de Portugal, é claro!).

Primeira parada, KIRSTENBOSCH NATIONAL BOTANICAL GARDEN, “o mais bonito jardim da África!”

 

Fundado em 1913 e considerado um dos maiores e mais belos jardins botânicos do mundo, o Kirstenbosch é o primeiro jardim botânico de seu tipo a apresentar, exclusivamente, plantas nativas. São mais de 7.000 variedades de plantas, inclusive raras e ameaçadas, nos 36 hectares do Jardim Botânico de Cape Town.

Logo na entrada a estufa, um pequeno riacho escondido entre as pedras e uma homenagem ao tão querido por todo o povo, Nelson Mandela, que esteve ali em 1966 e que tem uma flor “Ouro de Mandela”cultivada  nesse local.

Realmente um lugar limpo, organizado com paisagens paradisíacas!

E seguimos rumo a GROOT CONSTANTIA!

A África do Sul ocupa uma alta posição na lista dos dez principais países produtores de vinho do mundo.

E cá estou eu na Vinícola Constantia, a mais antiga da África do Sul, considerada patrimônio tombado pela Província Ocidental do Cabo!

Você pode degustar 5 vinhos, harmonizados com chocolates e leva para casa uma taça de presente! Claro que trouxe a minha com o maior cuidado!!!

O lugar para isso, é apaixonante: muito amplo, com vitrines expondo garrafas e taças antigas, charretes e utensílios usados antigamente, e painéis contando um pouco da história do local.

Na volta vimos ao longe a cadeia de montanhas TWELVE APOSTLES (DOZE APÓSTOLOS), mas que infelizmente não pude ver inteira devido a muitas nuvens…

E, nesse lugar maravilhoso, vamos nos deslumbrando a cada curva.

Impossível, a gente pensa, ter mais coisas para nos deslumbrar de novo… mas tem!

No final do dia, mais um presente de Deus!

Só podemos agradecer!

“O QUE OPRIME AO POBRE INSULTA AQUELE QUE O CRIOU, MAS O QUE SE COMPADECE DO NECESSITADO HONRA-O.” Provérbios, 14- 31