MEU ANJO DA GUARDA

Esses dias eu conversava telepaticamente com o meu anjo da guarda.

E conversa vai, conversa vem, começamos a relembrar as muitas vezes em que ele me salvou de boa.

-Lembra quando eu tinha meus 10 anos  e fui passar o fim de semana na fazenda dos meus tios? Perguntei. Eu e minhas primas montamos escondidas nos cavalos e trotamos até perto da linha do trem. Bem naquela hora ele veio apitando e os cavalos dispararam assustados e o que eu estava, empinou me jogando com força ao chão.

-Lembro sim! Respondeu ele. Tive que fazer do chão uma terra macia para você não se machucar tanto…

-Assim mesmo me esfolei, mas se não fosse você, eim?

E nossa conversa continuou com lembranças da minha adolescência até chegar à fase adulta onde dei bastante trabalho.

-E aquela vez do ponto de ônibus? Perguntou o Anjo. Você estava sozinha e o pivete veio com um caco de vidro enorme te ameaçando e pedindo seu dinheiro.

-É mesmo! Respondi. Eu entreguei a ele o dinheiro da passagem que estava em minha mão e nisso o ônibus encostou me livrando dele!

-Isso me fez lembrar de outro ponto de ônibus, bem cedinho, lembra?

-E como lembro! Confirmei ao Anjo. Eu entrava no trabalho às sete da manhã e tinha que pegar o ônibus das seis e quarenta. Muitas vezes, noite ainda. E lá estava eu naquela manhã, sozinha novamente, quando veio um homem em uma bicicleta e para em minha frente e pede meu celular. Nem sei o que me deu naquela hora, mas peguei minha sombrinha contra ele, ameaçando e nessa hora, o ônibus encostou!

-As duas vezes o ônibus te salvou, não é mesmo? Pergunta meu Anjo sorrindo.

-É, sempre tem o seu dedinho salvador em tudo isso , né? Pergunto.

-E teve aquela vez em que você seguia bem cedinho para o trabalho na rua deserta e dois homens começaram a te seguir?

-Nossa! Escapei por pouco! Entrei em um prédio onde milagrosamente o porteiro abriu para mim e onde fiquei, agradecida, até o perigo passar.

-Milagrosamente, não? Sorriu meu Anjo ao se lembrar da cena.

E fomos lembrando tantas outras passagens enquanto nossa conversa se mantinha docemente entre risadas gostosas.

-Mas teve uma agora recentemente e que você agiu como uma verdadeira atriz, não foi?

-É verdade! Era um domingo de manhã, rua deserta e eu voltava do mercado carregando minha bolsa e algumas sacolas. Nisso um homem em uma moto passa por mim olhando para trás, faz a volta e vem em minha direção. Tive a certeza que iria ser assaltada por ele. Rapidamente me lembrei de ter visto, na ida, umas pessoas sentadas dentro da varanda em uma casa bem perto de onde eu voltava. Levantei meu braço e gritei na direção deles: -oi, já estou chegando!!! O homem fez uma curva quase em cima de mim e foi embora em disparada!

-Que presença de espírito você teve, não é mesmo? Pergunta meu Anjo sorrindo enigmaticamente.

-Pois é… você deve se lembrar de muitas e muitas vezes em que esteve a meu lado, me salvando, né?

-Isso se chama livramento! E foram tantos que você nem teve conhecimento na hora em que aconteceu!

-Ah, Anjo, obrigada! Nem sei como agradecer tudo que faz por mim!

-Não me agradeça! Ele respondeu. Eu sou apenas servo. Agradeça a Deus que é nosso Senhor e criador e que tem muito amor por você.

Ali terminamos o nosso papo.

Foi bom conversar com alguém que está sempre a meu lado, cuidando de mim!

Observação: os acontecimentos do texto são todos verídicos!

Imagens: 1) astroClick; 2) aquinoticias; 3) getty Images; 4) iQuilibrio

“NENHUM MAL TE SUCEDERÁ, NEM PRAGA ALGUMA CHEGARÁ À TUA TENDA. PORQUE AOS SEUS ANJOS DARÁ ORDEM A TEU RESPEITO, PARA TE GUARDAREM EM TODOS OS TEUS CAMINHOS. ELES TE SUSTENTARÃO NAS SUAS MÃOS, PARA QUE NÃO TROPECES COM O TEU PÉ EM PEDRA.” Salmos, 91- 10, 11 e 12.

 

UM MURO EM MEU CAMINHO

Eu e minhas andanças à pé pela cidade, dou de repente com esse muro e seus dizeres esquisito.

Parei e fotografei para depois refletir sobre quem e por que, alguém escreveria isso.

-Uma mensagem para alguém?

-Uma afirmação para si mesmo?

Comecei a analisar.

“Quando não me amo”, significa que ele se ama algumas vezes e em outras, deixa de se amar.

“Eu me machuco”, essa frase tem várias conotações, como por exemplo:

-ele se fere fisicamente?

-Ele se machuca interiormente?

-Ele já passou por isso quantas vezes, porque deixa implícito que já aconteceu anteriormente.

-Isso faz com que ele tenha necessidade de se manifestar através da escrita?

-Seria o caso dele estar com tantos problemas reais que não consegue se amar?

(Aqui vale uma observação: estou me referindo a ELE, masculino, com a impressão de ter sido um homem a escrever essa frase. Meu instinto falou mais alto…)

Fui olhar no meu amigo Google para ver se existia alguma coisa, como uma música talvez, em que tivesse uma referência a essa frase.

Achei um poema no Youtube de Marina Peralta, onde ela diz: “quando não me amo eu me machuco” e em seguida “lembra? Lembra?” para encerrar com: “me amo, me acolho, me aceito, me escolho.”

Então será que nosso desconhecido passante conhecia essa letra?

Ou foi em um rasgo de emoção que pensou e escreveu?

Seja como for, parei para pensar nesse assunto…

E tudo que pensamos, pode sim virar um texto, um poema ou tema para reflexão.

Como a simples frase escrita no muro, me fez escrever!

Imagens: 1) ponto de interrogação: emojiterra.com; 2) coração partido: noticias.uol.com.br

“EIS QUE, NA PALMA DAS MINHAS MÃOS, TE TENHO GRAVADO; OS TEUS MUROS ESTÃO CONTINUAMENTE PERANTE MIM.” Isaías, 49- 16

 

ACREDITE, SE QUISER!

E a menina, querendo virar mulher, lá no tempo do êpa, sonha acordada com seu príncipe encantado.

Não tem TV, nem celular, muito menos internet, mas tem o rádio e é nele que ouve a voz de seu ídolo.

Pega as revistas que passam por suas mãos a procura do seu amado Elvis.

14-elvis-w529-h529

Recorta e cola (com aquele grude feito com farinha de trigo e água) no caderno de cartografia guardado a sete chaves.

E cuida como se realmente fosse o maior dos tesouros e pensa, quem sabe, um dia vê-lo de perto.

Por que não?

São sonhos, mas quem em plena adolescência não sonha?

Na verdade ela tem alguns pretendentes, todos estudando no ginásio estadual e quando termina sua aula, vai pelo caminho andando devagar esperando que “aquele” especial venha a seu lado empurrando a bicicleta.

Aí chega em casa encalorada, rosto vermelho e corre escrever em seu diário a conversa que teve.

E guarda tudo com cuidado, ao lado das fotos do Elvis.

À noite, senta na calçada e começa a procurar no céu limpo a estrela desejada e quando encontra recita os versos decorados:

“primeira estrela que eu vejo

qualquer coisa desejo.

Se……….estiver pensando em mim

cachorro late, gato mia, homem assobia.”

estrela

Aí é só esperar.

Em sua casa tem gatos e cachorro, mas nada de ouvir som nenhum.

De repente para sua alegria ouve um miado e logo depois os latidos do cão.

_Só falta o assobio de um homem. Ela fala consigo mesma.

E começa a ficar aflita.

Corre até seu pai e pede com jeitinho que ele assobie uma música para ela.

Então está feito!

Ela acredita!

Ele está pensando nela!

Coisas de antigamente…

Imagem 1)www.vulture.com; 2) g1.globo.com

” ALEGRA-TE, JOVEM, NA TUA MOCIDADE, E ALEGRE-SE O TEU CORAÇÃO NOS DIAS DA TUA MOCIDADE, E ANDA PELOS CAMINHOS DO TEU CORAÇÃO E PELA VISTA DOS TEUS OLHOS; SABE, PORÉM, QUE POR TODAS ESSAS COISAS TE TRARÁ DEUS A JUÍZO.” Eclesiastes 11- 9