CATADORES DE PAPEL

catador

CATADORES DE PAPEL

As sombras vão caindo

enquanto eles,

incomodando o trânsito,

vão saindo

atrapalhando os que

com pressa caminham.

—–

Empurrando aquilo que tem:

o pequeno carrinho que ora puxam

como escravos, animais desolados,

emprego dos que

pariram dores,

sofrimentos, fome, suores.

—–

E crianças sacolejam neles

esquecidas deles.

Amarrotadas

como caixas de papelão

que as sufocam

sem perdão.

—–

E eles vão sem pressa.

Tão rudes, maltratados.

Catadores de papel

pelas ruas,

na vida,

ao léu…

(Do meu livro Um Pouco de Mim)

Imagem: louvoresaorei.zip.net