VÍDEO HISTORINHA INFANTIL

Já está no Youtube a última historinha desse primeiro momento e hoje coloco aqui no blog: O GRILO, O RATO E O GATO.

São muitas histórias já escritas, mas sem poder fazer o vídeo.

Isso porque continuamos aguardando o interesse de empresas ou escolas para patrocinar esse empreendimento.

Agradeço muito aos meus amigos: JÜRGEN PFITZNER (COPHTA PRODUÇÕES), ANA CARLA BORTOLONI, MARCO VIEIRA e ERVIN FAST que me atenderam nesse projeto piloto sem receber qualquer gratificação.

Sinto muito que histórias instrutivas para crianças não despertem interesse por parte de escolas e instituições…

Com uma bagagem grande para crianças de diversas idades, continuo batalhando para que, quem sabe um dia, possa ser reconhecido esse nosso trabalho.

Enquanto isso, aproveitem as que estão prontas para mostrar a seus filhos, sobrinhos e netos.

Para entrar diretamente no Youtube e ver os 4 vídeos é só digitar o meu nome: Sílvia Novaes Fernandes

 

 

A NOVIDADE CHEGOU!!!

Há tempos venho colocando a figura de uma velhinha simpática avisando que vem novidades no blog.

Pois é… essa velhinha simpática é a vovó Sílvia, contadora de histórias!

chamadaHistórias da vovó Sílvia

Venho escrevendo já há algum tempo.

E sonhando muito!

Fiz, ano passado, um livro para minha neta com o papel mais grosso e ilustrações que tirei do Google.

Levei na copiadora que finalizou com uma capa dura onde estava escrito: “Histórias da Vovó Sílvia”.

Oito historinhas que ela adorou!

E assim eu lia minhas próprias histórias para ela.

Foi quando percebi que, em meu blog, nunca tinha colocado nenhum vídeo…

Então por que não fazer um vídeo dessas historinhas?

Conversei com muita gente e, às vezes, quase desistia dizendo:

– Gente, eu só sei escrever!

Tudo era muito complicado para mim.

Mas acabei me aliando à pessoas que sabiam tudo sobre o que eu não entendia nada!

Aí entrei em um estúdio para fazer a gravação.

Sim, eu queria contar as histórias com minha própria voz (afinal não é a toa que tenho curso de locução)!

E as ilustrações foram tomando forma e o som preenchendo o vazio.

Até que hoje eu tenho a alegria de postar os dois primeiro vídeos das muitas histórias que tenho para contar.

Esses são para crianças de 2 a 5 anos.

Se quiserem entrar na minha página do youtube, o link é:

https://www.youtube.com/channel/UCwBoa3KhRwn07ZpHWYUCQ3w

Espero que gostem como eu, que adorei fazê-los!

 

 

DUNGA, O ANÃO QUE NÃO ERA MUDO

Há muitos e muitos anos atrás, dois irmãos muito amigos, começaram a escrever histórias.

E entre todas que escreveram a que mais gosto é a de Branca de Neve e os Sete Anões, não, por acaso, eu ser um deles…

Até aí tudo bem.

Como sou o mais novo dos sete, minha barba ainda não tinha aparecido como a dos outros e, por isso, fiquei diferente.

Dunga

Aí surge o Walt em nossas vidas!

Uma pessoa fabulosa que transformou nossa história em um filme de desenho animado que fez um sucesso estrondoso em todo o mundo.

Só que na hora de gravarem as vozes dos personagens, cada um ficava bem com a escolhida, menos eu… parece que ninguém tinha uma voz que combinasse comigo…

Então, Walt Disney me deixou mudo!

Fiquei conhecido como Dunga, o anão mudo!

Mas vou contar agora, porque falo, e muito, algumas coisas sobre a história que somente eu sei.

Branca de Neve era realmente linda!

E muito boazinha!

Depois de tudo o que ela passou nas mãos daquela madrasta malvada, ela chegou a nossa casa levada pelos animaizinhos da floresta.

Quando voltamos do trabalho na mina, a encontramos dormindo em nossas camas.

É claro que nos assustamos!

Mas a medida que os dias passavam nos afeiçoamos a ela como uma irmã mais velha.

Foi comigo que ela dançou uma valsa pela primeira vez.

E era eu quem dava palpites na sua comida porque, aqui entre nós, esse não era seu forte.

Foi por querer experimentar uma receita de torta de maçãs é que ela abriu a porta para uma velhinha (que não era outra se não sua madrasta transformada) deixando-a entrar.

E mordeu a maçã envenenada.

Claro que choramos muito.

Mas vou contar mais uma coisa: fui eu quem foi atrás do príncipe que estava caçando por ali, contando sobre o ocorrido e trazendo-o até a clareira onde estava Branca de Neve adormecida.

Ele chegou, ajoelhou-se ao lado dela, beijou-a e o encanto se quebrou.

Foram embora montados em um cavalo branco.

E sabem quem escreveu a última frase da história?

Eu, é claro e o que escrevi foi:

“E viveram felizes para sempre!”

walt4

(Baseada na história de Branca de Neve e os Sete Anões dos irmãos Grimn)

Imagens: 1) pt-br.disney.wikia.com; 2) fe.epaentretenimento.com

 

 

O DIA DO PAPAI NOEL

Naquele Natal, Papai Noel queria fazer alguma coisa diferente.

Andava cansado de fazer todo ano a mesma coisa: sair com seu trenó puxado por renas, entrar pelas chaminés das casas, enquanto a neve caía sobre sua roupa vermelha.

papai noel e animaisQueria ganhar um presente ao em vez de distribuir milhares em suas caixas coloridas, cheias de laços de fitas.

Precisava comer alguns dos doces que via nas mesas das casas que visitava e que pareciam tão saborosos que só de lembrar, dava água na boca.

– Huuummm!!!! Falava ele. Rabanadas, torta de nozes, panetone, peru assado, nem sei o que comeria primeiro! Mas como vou fazer? Não posso simplesmente entrar e pedir e, além disso, as crianças do mundo todo estão me esperando e se não aparecer vou fazer a tristeza de todas elas. Como vou fazer?

Então entrou em sua fábrica de brinquedos onde centenas de anões trabalhavam, procurou, revirou e, de repente, achou o que queria.

O que ele queria, era uma caixa de química, chamada “Pequeno Cientista”, cheia de vidros, líquidos coloridos, pós e fórmulas.

Papai Noel então, começou a misturar os pós com os líquidos fumegantes e a falar palavras desconexas, quando:

– PUM!!!

Um estouro e tudo parou.

A fábrica, os relógios, as pessoas e até a rena de nariz vermelho!

Imóveis!

Papai Noel saiu saltitante, alegre como uma criança!

papai_noel

E aí fez a festa: entrou nas casas enquanto todas as pessoas dormiam, provou comidas, lambuzou-se de marshmelow, mexeu nos enfeites das árvores, abriu pacotes, até virou cambalhotas.

Fez bonecos de neve e cantou músicas natalinas atrás das pessoas paralisadas.

Depois de tudo isso, voltou para sua casa, colocou os óculos na ponta do nariz e leu a fórmula que faria tudo voltar ao normal.

– PLIM!!!

E tudo começou a se mexer.

Então nosso bom velhinho viu que estava na hora de começar seu trabalho.

Num piscar de olhos lá estava ele em seu trenó encantado, cheio de brinquedos e presentes.

Enquanto isso, falava consigo mesmo:

– Ninguém imagina que hoje virei criança também! Como estou feliz!

E lá se foi ele pelo céu afora gritando bem alto:

-HO, HO, HO, FELIZ NATAL PARA TODOS!

p.n. e renas

Imagens:

1. educaja.com.br

2. http://www.linkscatolicos.com.br

3. http://www.melhorpapeldeparede.com

 

 

O LANCHE DAS PRINCESAS

Aproveitando que é quase “Dia das Crianças”, aqui vai mais uma história que fiz para elas (em especial para meus netos Isadora e Heitor).

0637cinderellasmall


Naquele dia CINDERELA acordou preocupada.

Tinha convidado várias amigas para seu castelo e queria que tudo desse certo.

Foi olhar pessoalmente os doces e salgados que estavam sendo preparados na enorme cozinha, as flores que eram colocadas em vasos no grande salão de jantar e depois se aproximou da porta que dava para a escadaria onde há muito tempo perdera seu sapatinho de cristal.

Lá ficou, ansiosa, a esperar suas convidadas.

Sua FADA MADRINHA já lhe contara que estava preparando uma surpresa para todas, isso com a ajuda de suas amigas FLORA, FAUNA e PRIMAVERA.

Qual seria o segredo das fadas? Pensou Cinderela.

Enquanto pensava viu que a primeira convidada estava chegando.

Era a BELA que gostava de ser extremamente pontual; afinal era considerada a mais culta e inteligente das princesas.

Terminado os abraços, nova convidada chegou: BRANCA, com um enorme chapéu para protegê-la do sol da tarde.

Não era sem motivo que sua pele continuava como a neve, branquíssima…

A seguir chegou TIANA, a do sapo, dando mil pulinhos e gritinhos enquanto subia os degraus; acho que ainda se lembrava de quando era uma rã.

De repente um tropel de cavalos e a chegada de POCAHONTAS, a princesa índia, com seus cabelos negros ao vento, seguida de MULAN em seu riquixá, que é uma espécie de carroça puxada por uma pessoa.

E as carruagens não paravam: veio RAPUNZEL com suas tranças enroladas em coque; JASMINE com suas roupas ricamente bordadas; ARIEL com um vestido de cauda que lembrava a sua quando ainda era sereia e, por fim, AURORA, sonolenta, bocejando como se não tivesse dormido por cem anos!

Nossa, mas que alvoroço!

princesas

 

Como fazia tempo que não se encontravam, todas queriam falar ao mesmo tempo, então quem ouvisse, escutaria uma história mais ou menos assim:

“os SETE ANÕES acharam um brilhante enorme, belíssimo e deram de presente a Branca de Neve que deixou cair no mar. Então Pocahontas pegou sua canoa, saiu remando e levou Ariel para o meio do mar para ela entrar na água e procurar a pedra. Mas nisso, Tiana já pedira ajuda aos sapos, seus amigos e Jasmine entende tudo errado e pensa que o brilhante tinha sido roubado pelos 40 LADRÕES e com sua espada queria lutar contra eles quando Rapunzel já oferece suas tranças para amarrar os ladrões e Mulan fala que não é isso, que a FERA é quem tinha assustado os anões que então derrubaram o brilhante no mar.”

– Parem, parem! Gritou a Fada Madrinha de Cinderela. Vocês estão confundindo tudo! O brilhante já foi encontrado pelo PAJEM do castelo que é mestre em encontrar coisas perdidas. Pois não foi ele quem levou o sapatinho de cristal para ser provado pelas moças do reino e encontrou Cinderela?

Todas começaram a rir!

Então as fadas anunciaram a surpresa: GISELLE, a princesa que saíra dos contos de fada para o mundo real, iria cantar com sua voz afinadíssima para elas!

E Giselle entrou linda, sorridente, com seu vestido enorme e começou a cantar.

Que silêncio elas fizeram!

E a Fada Madrinha, Flora, Fauna e Primavera, se abraçaram contentes pela linda ideia que tiveram.

Quando voltaram para seus respectivos castelos, as princesas estavam felizes!

E continuaram sendo felizes para sempre…

(Essa história foi inspirada nas princesas da Disney)

Imagens:1) mundonatilopes.wordpress.com; 2) ultradownloads.com.br

 

A FILHA DA GALINHA RUIVA

Eu gosto de ler e contar histórias.

Assim, foi um pulo para eu escrever minhas próprias histórias.

Essa, escrevi baseada no conhecido conto da Galinha Ruiva (um conto popular inglês).

Vai para os filhos e netos dos meus seguidores e…para os próprios que ainda devem possuir uma “alma de criança”.

galinha

(peregrinacultural.wordpress.com)

Era uma vez um pintinho amarelinho que, quando cresceu, se tornou uma Galinha Loira.

Ela era muito importante,  pois era filha da Galinha Ruiva que todos conheciam.

A história de sua mãe tinha ultrapassado fronteiras,  mas mesmo ela sendo sua filha, via contradições nela.

Afinal, era milho ou trigo que sua mãe plantara?

Era pão ou bolo que tinha feito?

Os amigos preguiçosos eram o Gato, Cachorro, Porco, Vaca ou ainda o Peru estava no meio?

Entrou no Google e leu as várias edições da história de sua mãe.

– Puxa, mãe, acho que você tem que escrever algo contando a versão correta da sua história, como ela realmente aconteceu.

E a Galinha Ruiva respondia:

– Já estou cansada dessa história. Por que você, como minha filha mais velha, não escreve?

E foi o que fez a Galinha Loira que, apesar de loira era muito inteligente.

Sua história acabou sendo escrita como nos dias atuais, em um computador, mandada por e-mail aos editores que, adoraram!

E ficou assim:

” Um belo dia estava a Galinha Ruiva cansada após pintar suas penas de um ruivo brilhante e andar pelo Shopping, quando resolveu passar pela feira para comer uns pastéis que só lá encontrava.

Lá estavam seus amigos: o Pato, o Peru e o Porco em volta da barraca de milho verde cozido e todos os derivados dele como o curau, pamonha, bolo, etc. Estavam se deliciando com um pedaço de bolo quando a Galinha Ruiva comentou que o que ela fazia era muito melhor!

patoperuporco


(galeria .colorir.com)

– Queremos experimentar! Falaram em coro.

– Pois vocês vão ver o que é bom! Respondeu ela. Só que preciso da ajuda de vocês. Quem vai me ajudar?

– Eu não posso! Disse o Pato. Tenho aula de natação agora mesmo!

– Eu não posso! Disse o Peru. Vou ao salão dar uma aparada em minhas penas.

– Eu não posso! Disse o Porco que já estava até deitado de tanta preguiça. Tenho que ir a academia fazer uns exercícios. Estou acima do peso…

– Está bem, está bem! Disse a Galinha. Vou fazer tudo sozinha.

Mas o “sozinha” dela era bem fácil de fazer: comprou uma mistura para bolo que era só colocar para assar em seu forno elétrico.

Ainda dava tempo de passar na casa da sua amiga Galinha Pintadinha e ensaiar uma canção nova.

galinha pintadinha

(portalozk.com)

Mais tarde, já em casa, o cheiro do bolo inundava tudo quando a campainha soou.

Lá fora estavam seus três amigos.

– Que cheiro bom! Falou o Pato.

– O bolo de milho já está pronto? Perguntou o Peru.

– Podemos entrar? Continuou o Porco.

A Galinha ia fechar a porta quando eles falaram em coro:

– Trouxemos uma garrafa térmica com café e um DVD para assistirmos juntos.

– Então entrem. Disse a Galinha.

E sentaram, comeram e conversaram.

Depois assistiram um filme em que uma certa Galinha Ruiva preparava um bolo e comia tudo sozinha!”

Quando saiu a edição do livro da sua filha Galinha Loira, sua mãe era todo orgulho!

– E aí, mamãe? Gostou da repaginada que dei em sua história? Perguntou a mais nova escritora do pedaço.

– Gostei muito, minha querida! Disse a Galinha Ruiva. Você se tornou tão famosa quanto eu!

E viveram felizes para sempre!